Postado por: Victor Tadeu

De fato existem diversos títulos dentro do catálogo da Netflix com um final totalmente sem conclusão, isso quando é considerado um final. Porém, recentemente foi lançado O Poço, um filme de terror espanhol, que está sendo bastante comentado e questionado entre os assinantes do streaming, principalmente pelo fato das últimas cenas, na qual poucos conseguiram compreender a mensagem passada pelo longa.

O Poço narra um trecho da história de Goreng (Ivan Massagué) que por vontade própria decide ingressar no sistema de Poço, uma espécia de prisão vertical com os principais recursos de sobrevivência, no caso comida e água. Porém, ali dentro existem níveis que é dividido entre duas pessoas e a distribuição de alimentação é realizada de cima para baixo, ou seja, o nível 1 se alimenta e deixa um pouco para o nível 2 e assim sucessivamente até chegar no último nível, que de início ele não sabe. Bom, essa era a finalidade, mas o egoísmo dos humanos acabam comprometendo aqueles que vivem abaixo, tornando um caso de vida ou morte.

Caso você não assistiu ao filme, saiba que essa explicação é recheada de spoilers, porém se deseja fazer a leitura da nossa crítica é só clicar aqui.

A compreensão da mensagem passa pelo filme foi um pouco comprometida para algumas pessoas justamente pelo fato de não ser uma história redondinha, ou seja, com uma conclusão diretamente explicada. Além disso, a história é carregada de metáforas, alusões e simbologias, o que também é necessário o entendimento de cada um desses detalhe para compreender o final.

Porém, aqui compartilharemos a nossa interpretação de O Poço e rapidamente explicaremos esses detalhes de metafóricos presentes nas cenas.

EXPLICANDO O FINAL DE O POÇO

Goreng ingressa no sistema com a finalidade de parar de fumar, mas logo sua missão dentro daquela prisão muda, pois percebe que a administração daquele processo estava sendo falho, principalmente por todos não serem beneficiados da mesma forma. Entretanto, ele procura tentar comunicar com as pessoas acima e abaixo de si, tentando pedir compreensão e colaboração para que todos possam se alimentar, já que os primeiros comiam quase tudo e, além disso, prejudicava a refeição que o próximo comeria.

As alusões dessa introdução são claras, ela remete ao sistema socioeconômico em que vivemos e como ele é falho, onde quem está acima não preocupa com aqueles que estão abaixo. Infelizmente essa é a nossa realidade, mas a história vai um pouco além e traz alusões bíblicas, tornando Goreng um exemplo de Messias e ele fica responsável por passar a mensagem para todos, inclusive a Administração do Poço.

Essa visão de Goreng e Messias é mencionado em determinadas cenas e intensifica quando ele junto com Baharat entram em uma missão arriscada de distribuir a comida corretamente entre os níveis, impedindo os mais beneficiados e viabilizando a alimentação dos mais prejudicados. E para comunicar com a administração eles escolhem uma Panacota para chegar intacta,  simbolizando a mensagem, demonstrando que todos foram éticos o suficiente para uma alimentação consciente.

Só que, essa panacota deixa de ser a verdadeira mensagem quando eles chegam no nível 333 e encontram Ramsés, a filha de Miharu, que todos os dias descia até o final da prisão para alimentar sua filha, pois ela tinha em mente que ali não chegava refeição e que a própria administração não sabia da existência de uma criança dentro do sistema (não era permitido menores de 16 anos), mais uma vez reforçando como os de cima não lembram da existência dos debaixo.

Reforçando as alusões. Ramsés II foi um faraó muito conhecido pela sua excelente administração, o seu povo estava confortável em questões econômicas, sociais e entre diversas outras, inclusive seu reinado foi um dos mais longos.

Então, a panacota não era a mensagem, mas sim Ramsés, o objetivo era fazer ela ter contato com a Administração, o termo utilizado o tempo inteiro pelos residentes do Poço, caso ela chegasse até eles, ele notariam algum erro no próprio sistema e possivelmente seguiriam o exemplo de reinado de Ramsés ll, por isso o nome são iguais.

Goreng não sobe junto com a garotinha porque ele foi corrompido pelo sistema, então ele se sacrifica pelo futuro da humanidade, onde a menina acaba sendo a esperança, resiliência e a mensagem, uma alma pura e sem maldade humana.

RESUMO DA EXPLICAÇÃO

Goreng é o mensageiro e Ramsés é a mensagem, já o Poço é o falho sistema em que vivemos e a Administração é o governo. Concluímos que O Poço é uma história recheada de alusões que remetem a realidade, uma ficção que beira a não-ficção.

Você teve outra interpretação? Sinta-se à vontade para compartilhar conosco pelos comentários.

Desencaixados - 2020 | Alguns direitos reservados