Postado por: Victor Tadeu

Título: O Poço
Título original: El Hoyo
Data de lançamento: 20 de março de 2020 (Netflix)
Duração: 1h 34min
Direção: Galder Gaztelu-Urrutia
Gênero: Terror
Nacionalidade: Espanha

Sinopse: Exibido pela Netflix, O Poço conta a história de um lugar misterioso, uma prisão indescritível, um buraco profundo. Dois reclusos que vivem em cada nível. Um número desconhecido de níveis. Uma plataforma descendente contendo comida para todos eles. Uma luta desumana pela sobrevivência, mas também uma oportunidade de solidariedade.

O mercado cinematográfico espanhol têm nos dado muitas histórias impressionantes, mas, de longe uma tão impactante que nos coloca no fundo do poço. Distribuído oficialmente pela Netflix, O Poço é um título que fará muito a diferença para o catálogo da plataforma, principalmente por se tratar de um enredo original e instigante.

Goreng conseguiu ingressar no sistema oferecido pelo Poço, onde duas pessoas compartilham o mesmo nível, uma espécie de quarto. Felizmente ele acorda no número 48 e, apesar e não parecer, aquela era uma excelente posição já que ninguém sabia o total de níveis. A condição de vida é básica, mas manter-se alimentado depende da solidariedade daqueles que estão acima de você.

O Poço, dirigido por Galder Gaztelu-Urrutia, é um longa-metragem que transita entre ficção científica e terror lançado em março no catálogo da Netflix. No elenco contamos com grandes revelações, como Ivan Massagué, Zorion Eguileor e Antonia San Juan.

Ao explorar uma espécie de prisão vertical, o filme consegue nos propor uma narrativa absurdamente louca, na qual colocará seus personagens à beira do abismo em uma luta diária pela fome, mas claro, dependendo do nível que ele estiver. O filme aprofunda cada vez mais até onde vai o egoísmo do homem, porém fugindo completamente dos clichês, assim utilizando elementos e ganchos capazes de fazer sua cabeça explodir.

O enredo remete muito a alguns títulos bastante conhecidos e aclamados dentro do mercado cinematográfico, como Parasita, O Expresso do Amanhã e entre outros, porém, apesar dessa semelhança ele consegue se sustentar em sua originalidade e nos entregar momentos de perder o ar. Também é válido ressaltar que o diretor não se limita em explorar cenas gores, cenas essas que ele muita das vezes testa a capacidade do seres humanos para se manter vivos.

Ivan Massagué atuando Goreng é uma grande revelação, o ator consegue acompanhar o crescimento do seu personagem, aumentando a nossa curiosidade em relação aos seus próximos passos para compreender e/ou sair daquela situação que ele mesmo se colocou. Por outro lado, existem outros personagens que colaboraram para o filme atingir cenas inesquecíveis, como Zorion Eguileor vivendo Trimagasi e Antonia San Juan como Imoguiri.

Devido as inúmeras simbologias, metáforas e alusões, o enredo do filme acaba sendo um pouco complexo e limita a compreensão daqueles que preferem histórias redondinhas, ou seja, com final explicado. Muito pelo contrário, O Poço aposta em levar o público forçar a mente para entender o que significa cada detalhe ali apresentado, assim trabalhando com referências fáceis e outras um pouco mais difíceis.

Essa foi a estreia de Galder Gaztelu-Urrutia como diretor e ele arriscou muito na direção desse longa, mas, mesmo com um final que divide opiniões, conseguiu entregar uma história impactante e necessária. Ele conversa bastante entre as cenas sobre consumo consciente, pirâmide hierárquica — o que vagamente reflete na Hierarquia de necessidades de Maslow — e entre diversos outros assuntos que refletem em questões políticas, sociais e religiosas.

A produção trabalhou incrivelmente para conectar os sentimentos e condições do protagonista ao expectador, apostando fielmente em cenas tensas e completamente apreensivas. A forma como utilizaram ângulos com a câmera e luzes do ambiente para intensificar a situação de Goreng, colabora ainda mais para propor a terrível experiência ao público, assim, alcançando com maestria a ideia de realmente tocar na consciência das pessoas, consequentemente passando a mensagem imediatamente ou após as horas de êxtase com a história.

O Poço é um filme que conversa sobre assuntos necessários e de forma gradualmente impactante, convidando o expectador realmente sentir-se no fundo do poço e refletir sobre essa experiência. O longa também explora uma história que não será esquecida facilmente entre aqueles que conseguiram captar sua essência, sendo um terror ficcional, mas com alusões que beiram a realidade.

Nossa nota é:

Assista ao trailer:

Desencaixados - 2020 | Alguns direitos reservados