Postado por: Victor Tadeu

Título: Upload
Título original: Upload
Ano de lançamento: 2020 (Amazon Prime Video)
Duração: 10 episódios
Criador: Greg Daniels
Gênero: Comédia, Ficção Científica, Drama
Nacionalidade: EUA

Sinopse: Upload é ambientado em um futuro em que os seres humanos são capazes de “carregar” a si mesmos em sua escolha preferida de vida após a morte. Quando Nathan (Robbie Amell) encontra sua morte prematura, ele é recebido por Nora (Andy Allo) em sua versão do céu. Enquanto Nathan se acostuma a viver longe de seus entes queridos, Nora luta para permanecer trabalhando ao lado de Nathan após a morte.

Muitas pessoas têm medo de morrer, mas em Upload aqueles com uma condição de vida estável conseguem decidir na beira da morte entre utilizar os métodos dos médicos para possivelmente continuar vivendo, mas, por outro lado, podem contratar os serviços da Horizen para fazer um upload da sua vida e viver em Lakeview, uma cidade virtual habitada também por pessoas que já morreram.

Após um acidente de carro, Nathan Brown aceita ser teleportado para Lakeview, essa foi uma ideia insiste da sua namorada. Porém, nem tudo é tão fácil como todos imaginavam, o homem precisa lidar com as diferenças do mundo real e o virtual e, além disso, ele pode estar correndo perigo em ambos os universos.

Upload, dirigido por Greg Daniels (The Office), é uma série futurista original da Amazon Prime Video que dependendo de como continuar sendo trabalhada pode explorar diversas questões que transitam entre as condições de vida real e tecnológica. No elenco acompanhamos Robbie Amell, como o protagonista Nathan Brown, mas também Andy Allo, Allegra Edwards e entre outros.

A série nos leva para 2033, onde o mundo está dominado pela tecnologia e este é um dos primeiros elementos que tornam a história bastante interessante. A ideia de construir um universo onde os robôs estão disponíveis para os humanos é instigante, porém, ao mesmo tempo a narrativa consegue ser responsável por trazer assuntos importantes que são conversados durante toda esta temporada, como os limites presentes mediante a maldade humana e a disponibilidade de máquinas, assim compartilhando os dois lados da moeda, o positivo e o negativo.

A Horizen, a empresa responsável por manter os uploads das pessoas, também é bastante curiosa. Através da corporativa, a direção utiliza Roma (Andy Allo) para levantar questões que trazem mais desejo em acompanhar a história, como a relação dela com o avatar de Nathan Brown e o seu desejo em tentar descobrir alguns problemas e pontas soltas que rodeiam a vida do upload, consequentemente momentos energéticos e inusitados.

Em Upload, os atores conseguiram manter a personalidade de seus personagens de modo bastante interessante, já que na maioria das vezes eles são bastante caricatos, assim satirizando muitos assuntos de forma cômica. E essa sátira é muito nítida em Ingrid Bannerman (Allegra Edwards), a namorada de Nathan, com sua busca pela perfeição e seus segredos que ao longo dos episódios são destrinchados.

Greg Daniels é bastante conhecido também por dirigir The Office, e neste título ele realizou um trabalho muito interessante, apesar de ser um pouco fraco. Apostando de um mundo tomado por inteligência artificial, máquinas e entre outros elementos, ele não deixa de lado o fato de levantar críticas, alusões e reflexões no enredo, assim utilizando personagens para criticar aplicativos de relacionamento, os problemas do capitalismo e, além disso, as próprias falhas de um mundo completamente dominado pela tecnologia.

Existem alguns momentos muito importantes dentro da série que não é muito focado pela história, que são os moradores que não tem condição para financiar um plano em Horizen, então eles ficam indo para as ruas manifestarem pelo direito de todos utilizarem esse serviço, e sinceramente, esta é uma ideia genial — principalmente para uma sátira — porque explora de forma objetiva as críticas e alusões que o diretor deseja trazer na narrativa.

A proposta da série é incrível e a produção consegue tornar tudo ainda mais curioso, principalmente dentro de Lakeview, onde tudo é pixels, existem atualizações, bugs e todas as outras possibilidades que o mundo virtual permite. Apesar de a produção ser um pouco fraca, ela consegue passar a ideia genial de uma possível realidade do mundo em 2033.

Upload é um romance bastante original e com um leque de assuntos para serem explorados. De forma gradativa e muito curiosa, o diretor consegue nos integrar neste universo recheado de tecnologia e, ao mesmo tempo, nos apresenta os prós e contras desse mundo futurista desejado muitas pessoas da atualidade. Esta é uma série que todos deveriam assistir, mas sem muitas expectativas para serem surpreendidos com o pouco a produção entrega nos episódios.

Nossa nota é:

Assista o trailer:

Desencaixados - 2020 | Alguns direitos reservados