Postado por: Safira Andrade

Is 'Valeria' available to watch on Canadian Netflix? - New On ...

Titulo: Valéria

Título original: Valéria 

Duração: 8 episódios (325 minutos)

Criadoras: Elisabét Benavent, María López Castaño

Gênero: Romance, Comédia

Nacionalidade: Espanha

Sinopse: Valéria é uma escritora em crise tanto com seus romances quanto com seu marido e com a distância emocional que os separa. Ela se refugia em suas três melhores amigas: Carmen, Lola e Nerea, todas imersas em um turbilhão de emoções sobre amor, amizade, ciúme, infidelidade, dúvidas, desgostos, segredos, trabalhos, alegrias e sonhos sobre o futuro.

 

A série é baseada na série de livros Valéria de Elisabét Benavent. A primeira temporada que conta 8 episódios foi lançada no dia 8 de maio desse ano, e é focada no enredo do primeiro livro “Nos Sapatos de Valéria”.

No livro a própria valeria se intitula como uma Carrie Bradshaw, o que não foi trazido para a série, mas é possível ver semelhanças da série com o sucesso hollywoodiano Sexo e a Cidade ou, como mais comumente conhecida, Sex and The City. Entretanto, as semelhanças são sutis e assim, a série não é só uma cópia espanhola moderna. Acredito que traz mais a ensinar e a contemplar.

Logo no princípio já é possível perceber que várias mudanças foram feitas na adaptação. Isso ocorre geralmente para que a série se torne mais atual e vendável, alcançando não somente os leitores dos livros, mas um novo público. As mudanças deixaram a historia um pouco mais real, mais relacionável, de mais fácil identificação com o público.

A história central é mantida, assim que os temas são os dois problemas que Valeria está acomodada demais para resolver: seu livro e seu casamento. O enredo da série é como se fosse uma realidade paralela dos livros. As mudanças feitas foram para modernizar a história. Não são ruins, nem ótimas, são medianas. Vale ressaltar que além de ter escrito os livros em que a série é baseada, Elisabét Benavent também é supervisora e produtora da série, ou seja, as mudanças podem ter sido autorizadas pela mesma, como se fosse uma visão diferente da história se ela tivesse sido escrita hoje. Os livros originais foram publicados todos no ano de 2013.



Uma curiosidade, é que a escritora dos livros aparece no segundo episódio (“Sinais”), escrevendo no mesmo café que sua personagem mais famosa. A garçonete, que é fã número um de Valéria, usa a escritora de exemplo para que a personagem principal veja que não é só ela que está passando dificuldades nessa carreira.

A atriz que interpreta Valéria, Diana Gomez, é muito expressiva, o que deixa a trama mais leve e engraçada. Diria que não só ela, mas todos os atores são bem expressivos. Maxi Iglesias interpreta perfeitamente o cafajeste confuso Víctor, e isso chama atenção. A atriz que interpreta Carmen (Paula Malia) exagera um pouco nessa estratégia de expressões, o que faz que algumas cenas pareçam um pouco falsas.

A série explora um pouco mais do passado de Lola, mas deixa Carmen e Nerea (Teresa Riott) abandonadas. Nerea acaba, no inicio, a mais negligenciada das amigas. É visível seu incômodo de não ter amigas que compartilhem, e nem entendam muito bem sua história, suas vontades e seu cotidiano.



Há uma cena em que elas estão reunidas e Nerea reclama de não ter amigas que também façam parte da comunidade LGBTQI+, e que elas só vão a lugares héteros. Depois disso, Carmen corta a amiga no meio de seu raciocínio sem mesmo perceber, demonstrando nessa cena e em outras durante a série, que é algo recorrente. Ao participar de uma reunião LGBTQI+, de um centro feminista, ela faz amigas e conhece um interesse amoroso, o que  abre espaço para que o tema seja discutido na série. Isso é feito de forma natural e até um pouco didática. A discussão envolve identidade de gênero, orientação sexual e até poliamor.

Ademais, a liberdade sexual feminina é assunto comum dos episódios. A série é um exemplo de estar confortável com seu próprio corpo e sobre conhecer melhor. Um detalhe um pouco sútil é que duas personagens passam por uma trasição capilar, Lola e Nerea. Quando são mais jovens usam cabelos lisos, quando chegam a fase adulta e independente, assumem os cachos.
A série explora um pouco também da família da personagem, o que explica o por quê ela atrasa a resolução de seus problemas. Além disso, acontecem alguns flashbacks no final que contribuem para uma compreensão melhor dos problemas atuais da escritora.

Por fim, Valéria é engraçada, leve e real. Além disso, tem umas jogadas inteligentes sobre os temas abordados e como são abordados. Recentemente a Netflix deu a entender no instagram, em uma conversa com os dois elencos, que essa nova aposta seria uma “substituição” do também sucesso espanhol As Telefonistas, assim é esperado que a série passe pelos mesmos enredos gerais e tem tudo para ser um sucesso, assim como sua “predecessora”.

A nossa nota é:

Assista ao Trailer

 

Desencaixados - 2020 | Alguns direitos reservados