Postado por: Amanda Barros

Título: Extracurricular
Título original: 인간수업
Ano de lançamento: 2020 (Netflix)
Duração: 10 episódios
Criadora: Jin Han Sae
Gênero: Crime; Suspense
Nacionalidade: Coreia do Sul
Sinopse: Extracurricular é um dorama da Netflix que conta a história de Ji Soo (Kim Dong Hee) é um estudante modelo do ensino médio. Para pagar sua faculdade, ele faz uma má escolha e entra no mundo do crime Min Hee (Jung Da Bin) e Gyu Ri (Park Joo Hyun) frequentam a mesma escola que Ji Soo e se envolvem nos crimes que ele comete.

Extracurricular, novo dorama da Netflix,tem como título alternativo Human Class. Antes de dar início à crítica é necessário avisar que a sinopse oficial do k-drama não é tão condizente com o conteúdo, então a série e a crítica podem conter gatilhos sobre prostituição de menores, depressão, suicídio e violência. Portanto, se não se sente apto (a) para lidar com esses assuntos, não leia esta crítica e tampouco assista ao dorama. Saúde mental em primeiro lugar.

Extracurricular é mais um dorama da Netflix, dos tantos novos que estão presentes no catálogo. A série coreana conta a história de Oh Ji Soo (Kim Dong Hee), um jovem do ensino médio que para pagar as despesas da faculdade resolve se tornar, como ele mesmo chama, alguém que oferece um serviço de segurança para as moças que trabalham com o “namoro compensado”, também conhecido como prostituição, porém, diferentemente do que ele tenta se convencer, Ji Soo é na verdade o cafetão de várias mulheres.

Ji Soo trabalha junto com o até então conhecido como Sr. Lee (Choi Min Soo), um homem misterioso que é responsável pela segurança das garotas e não trata diretamente com seu chefe, somente pelo telefone. O desenvolvimento desse personagem é muito singular, aos poucos o público passa a conhecê-lo e ele demonstra o carisma que tem a ponto de conquistar não só o espectador, mas alguns personagens.

A personagem que mais interage com o Sr. Lee é a jovem Seo Min Hee (Jung Da Bin), a garota leva essa vida para sustentar seu namorado valentão Kwak Ki Tae (Nam Yoon Soo) e vê no seu guarda-costas uma figura paterna de quem ela não consegue se desvencilhar. A relação construída entre esses dois personagens chega a ser comovente e contribui bastante para a trama, ainda que Min Hee não seja tão carismática e sua personagem não permita uma grande identificação do público, a química entre os dois se encarrega de manter o enredo sólido.

O personagem mais superficial e previsível da trama é Kwak Ki Taek, o jovem delinquente faz tudo que um valentão é capaz de fazer, desde delinquências inofensivas a verdadeiros crimes, somente para satisfazer o próprio ego, disfarçado de preocupação com sua namorada, Seo Min Hee. A garota cheia de problemas e que se prostituía para sustentar o namorado e sua pessoa mais próxima era o seu segurança, isso mostra como ela é uma jovem problemática que se sente sozinha e precisa de afeto.

Os protagonistas não são muito diferentes, Bae Gyu Ri (Park Joo Hyun) é uma jovem rica e cheia de problemas que prefere morrer ou viver em perigo do que morar com os pais que a tratam como se fosse um produto, assim como tratam os trainees em sua empresa. Oh Ji Soo é um jovem pobre que praticamente não tem família e vê no crime sua única alternativa para sobreviver e realizar seu sonho de se formar e ter uma vida normal, mas ele por muitas vezes parece não conhecer os limites do que é aceitável e do que não é.

O roteiro, em termos gerais, é muito bem escrito, entretanto a autora, Jin Han Sae não deixa muito claras as posições ou o caráter do protagonista, ainda que seja um jovem carismático e com cara de bom moço, lhe falta a definição de personalidade. O enredo ainda apresenta algumas soluções um pouco mirabolantes demais para grandes problemas, mas consegue ter grande coerência na maior parte dos acontecimentos e procura não deixar pontas soltas, pelo menos não sem um objetivo. A história adiciona detalhes e até objetos com significado, nada do que ocorre é por acaso e isso é um ingrediente fundamental para manter o espectador focado na narrativa.

No caso das atuações, o maior destaque é com certeza de Kim Dong Hee (Itaewon Class; Sky Castle), que interpretou Oh Ji Soo com toda a destreza possível fazendo o espectador torcer para ele, mesmo que pareça muito errado, ele consegue fazer o papel de coitado, bandido, esperto e garoto problemático, tudo de uma vez só. Além dele, o elenco feminino também não fica por baixo, Park Jo Hyun (A Piece Of Your Mind) está em seu segundo trabalho da carreira e o primeiro como protagonista e dá um show de atuação interpretando a manipuladora e inteligente Bae Gyu Ri, ainda que sua personagem seja o estopim de vários problemas, ela consegue resolvê-lo com calmaria e frieza que desafiam quem está assistindo a acreditar que a garota seja uma adolescente.

Confira aqui nossa crítica de Itaewon Class.

Extracurricular é mais dorama original Netflix e se arrisca a abordar assuntos como prostituição de menores, violência, suicídio, mas principalmente a pressão que é aplicada nos alunos e o pouco que a saúde mental deles é cuidada. O dorama mostra os extremos que alguém sem acompanhamento algum pode chegar, por isso ao final de cada episódio é mostrada uma mensagem que aconselha as pessoas a procurarem ajuda. Extracurricular traz uma história eletrizante com uma crítica à sociedade coreana muito maior do que aparenta à primeira vista, faz isso de maneira responsável diferente de algumas séries americanas de sucesso e com pontas soltas ótimas para uma possível segunda temporada, entretanto não cria um final insatisfatório para chegar nesse objetivo.

Nossa nota é:

Assista ao trailer:

Desencaixados - 2020 | Alguns direitos reservados