Postado por: Safira Andrade

Muitos esperando o lançamento de A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes, a nova obra que envolve Panem em seu décimo reality mortal. O enredo traz o famoso Presidente Snow como mentor dos tributos do distrito 12, e seu caminho até a chegada ao poder.

Dia 19 de maio, para comemorar o lançamento, Suzanne Colins decidiu fazer uma leitura de um trecho do terceiro capítulo do livro, deixando muitos fãs já com vontade de devorar as 576 páginas que só estarão disponíveis aos brasileiros dia 19 de junho.

Confira abaixo o transcrito do vídeo de Suzanne.

O pacificador foi em direção ao segundo carro e liberou as correntes. As portas deslizaram ao abrir revelando Jessop, o tributo masculino do distrito 12, apertando os olhos ao descer na iluminada estação. Coriolanus sentiu um choque percorrer seu corpo, que se endireitou em ansiedade.  

– Certamente ela estaria com ele!

Jessop saltou rigidamente no chão e se virou para o trem. Lucy Gray Baird pisou para frente em direção a luz. As suas mãos algemadas estavam cobrindo seus olhos enquanto eles se ajustavam. Jessop levantou seus braços e abriu os pulsos o máximo que as correntes deixavam, e ela caiu em sua direção, deixando-o pegá-la ela cintura e sustenta-la até atingir o chão, em um surpreendente movimento gracioso. Ela deu umas batidinhas na manga da camisa do garoto em agradecimento e virou sua cabeça para trás, querendo aproveitar a luz do sol que atravessava a estação. Seus dedos começaram a correr seus cachos, desfazendo os nós e catando pedacinhos de palha.

Voltando a Coriolanus, sua atenção se voltou or um momento aos pacificadores, que estavam gritando ameaças em direção ao trem. Quando ele olhou de volta, Lucy Gray estava encarando ele diretamente. Ele começou a duvidar que o olhar dela era para ele mesmo, mas depois se lembrou que era o único na plataforma, além dos pacificadores.

Os soldados estavam dizendo palavrões agora, enquanto eles içavam um deles dentro do vagão para tirar do trem os relutantes. É agora ou nunca. Ele atravessou em direção a Lucy Gray, abriu as filas e fez um sutil aceno com a cabeça:

-Bem Vindos à Capital! – Ele disse.

Sua voz estava suavemente mais grave, pois não havia falado por horas, mas ele achou que isso o deu um bom tom de maturidade. A garota ficou olhando ele de cima a baixo por um instante, ele temeu que ela fosse embora ou pior, rir dele. Ao invés disso, ela se aproximou e arrancou delicadamente uma pétala da rosa que ele tinha em mãos.

 – Quando eu era bem pequena, eles costumavam me dar banhos em soro de leite e pétalas de rosa. – ela disse de uma maneira que, apesar do desgosto em sua voz, parece totalmente crível.  

Ela passeou com os dedos sob a superfície branca aveludada e colocou a pétala dentro de sua boca, fechando os olhos para guardar o sabor, – Tem gosto de hora de dormir!

Coriolanus aproveitou o momento para examiná-la. Ela estava diferente de quando a viu na colheita, exceto pelas mudanças pequenas aqui e lá, a maquiagem tinha sido removida e sem ela, ela parecia mais jovem. Seus lábios estavam rachados, seu cabelo estava solto, seu vestido de arco-íris estava empoeirado e amarrotado. A marca golpe feito pelo prefeito tinha se transformado e um hematoma de cor roxa profunda. Tinha outra coisa também. Ele novamente tinha a impressão de que estava presenciando uma atuação, mas uma privada dessa vez. Quando ela abriu os olhos, ela focou toda sua atenção nele.

-Você não se parece com alguém que deveria estar aqui.

– Eu provavelmente não deveria, – ele admitiu – mas eu sou seu mentor e gostaria de te conhecer nos meus próprios termos, e não nos termos dos idealizadores dos jogos.

 – Ahh, um rebelde! – ela disse.

Aquela palavra era veneno nas bocas dos cidadãos da capital, mas ela disse com tanta aprovação, como se fosse um elogio, ou ela estaria tirando sarro dele? Ele se lembra que ela carrega cobras em seus bolsos, e que as regras normais não se aplicam a ela.

 – E o que meu homem pode fazer or mim além de me trazer rosas? – ela perguntou.

 – Eu farei o meu melhor para te proteger – ele disse.

Ela olhou por cima de seu ombro, onde os pacificadores estavam jogando crianças meio famintas em direção a plataforma. A garota quebrou um dente da frente, enquanto o garoto recebeu vários chutes fortes depois de pousar no chão. Lucy então sorriu para Coriolanus:

– Bom, boa sorte bonitão. – ela disse e voltou a andar em direção a Jessop, deixando ele e sua rosa para trás.

(Trecho transcrito em tradução livre pelo Desencaixados)

Desencaixados - 2020 | Alguns direitos reservados