Postado por: Victor Tadeu

Título: Cabo do Medo
Autor: John D. MacDonald
Editora: DarkSide Books
Gênero: Thriller
Número de páginas: 223
SKOOB

Adquira aqui: Amazon

Sinopse: Violento e visceral, Cabo do Medo foi publicado pela primeira vez nos anos 1950 e deixou leitores atormentados com sua narrativa brutal. Agora, é com muito orgulho que a DarkSide® Books recebe John D. MacDonald e sua obra-prima em nossa casa dos horrores. Até onde você iria para salvar aqueles que mais ama?

Por catorze anos, o condenado Max Cady nutriu um ódio por Sam Bowden, um advogado de sucesso que ostenta uma família margarina e que, ao atuar como seu defensor público, pouco fez para evitar que ele fosse parar atrás das grades.

Agora um homem livre, Max retorna à sociedade com sangue nos olhos e enlouquecido por uma sede de vingança pelo tempo e família que perdeu. E decide fazer com que toda a família de Sam pague por seu erro.

Sam Bowden é um advogado que leva a vida tranquila, mas seus dias de calmaria estão contados, pois um caso do passado está muito próximo de retornar e atingir toda a sua família.

Tudo aconteceu quando o homem estava estacionado na Austrália e andando pelas ruas encontrou um cara abusando sexualmente de uma garota de catorze anos. O caso foi julgado e o criminoso Max Cady pegou prisão perpétua.

Porém, determinado dia o advogado teve uma conversa inesperada e tenebrosa com o criminoso, ele contou que participou de trabalhos comunitários e reduziu sua pena para 14 anos de prisão. Mesmo utilizando metáforas, Cady deixou claro que buscava por justiça, mas claro, da sua forma.

Voltando de uma viagem tudo começa ser freneticamente tenso, a família Bowden é alertada da situação, a cidade onde moram é pequena e a lei não está totalmente à favor de Sam. Agora ele precisa lidar com toda a perseguição de acordo com que é fornecido, aumentando gravemente o perigo que sua família pode correr.

“Ele pode não fazer absolutamente nada, mas precisamos assumir que ele pode fazer algo.” (página 35)

Cabo do Medo, escrito por John D. MacDonald, é um clássico de 1957 que já ganhou duas adaptações em filmes; uma em 1962 a outra em 1991. Após muitos anos a DarkSide Books trouxe o título para território brasileiro e essa pode ser uma obra que causará grandes experiências nos leitores, arrancando suspiros e retirando fôlegos.

Apesar de já ter ganhado adaptações cinematográficas, desde o começo da leitura é possível sentir a grande diferença entre o livro e os filmes. A obra acaba sendo extremamente bem desenvolvida e destorce bastantes fatos rasos presentes nos filmes, trazendo uma análise aprofundada para quem está lendo, consequentemente ampliando o conhecimento daqueles que já assistiram os longas-metragens.

O livro se destaca por levantar diversas questões envolvendo lei e ordem, a família Bowden corre bastante perigo com Max Cady pelas redondezas e a justiça não pode tomar medidas, isso é muito nítido desde o início da história. John D. MacDonald consegue transmitir a preocupação e a indignação de todos os personagens para o leitor, automaticamente envolvendo quem está lendo dentro desse caso de gato e rato.

Max Cady é o centro de toda a história, ele é um personagem bastante memorável e carregado de problemas psicológicos e sociais. Em determinados momentos é questionado a sanidade do vilão, porém isso não é aprofundado, mas o enredo deixa nítido como ele é perturbado. Por outro lado, o romance do Sr. e a Sra. Bowden é muito agradável e bem construído, sem falar da personalidade de seus filhos retratadas com eficiência.

“Não é uma ameaça, tenente. Como eu disse, a gente estava bem empatado. Agora você tem uma esposa e três crianças à minha frente.” (página 72)

A família Bowden são os personagens que mais desenvolvem durante a obra, eles não são muito conectados com o perigo, mas a forma com que todos ficam amargurados com a perseguição e vão encontrando os seus meios de defesa chega ser bem agradável dentro do livro — isso é gravemente pecado nas adaptações. — Por outro lado, Max Cady é o típico vilão que vai incomodar muita gente, possivelmente arrancar lagrimas, contribuindo para uma história tensa e violenta. O autor soube gesticular personagens, antagonistas e coadjuvantes de forma muito admirável,

A escrita de John D. MacDonald é bastante engajada desde as primeiras páginas, o autor desenvolve um thriller recheado de novidades e bastante tenso. Com cenas de suspense e outras de perseguições, John soube dosar excepcionalmente cada aspecto encontrado em suas palavras, tornando a história bastante frita, recheada de ódio e muito visceral.

A edição da DarkSide Books é dotada de novidades, a editora está sempre inovando em seus lançamentos e Cabo do Medo não foi diferente. O exemplar tem aspectos de ser um diário de presidiário, onde é encontrado palavras no corte das páginas, na capa e rabiscos em todo livro. Aparentemente esses elementos inspirados dos filmes, principalmente ao de 1991, onde as tatuagens de Max Cady é bem retratada. Por outro lado, a diagramação é padrão da Caveirinha e ótimo para uma leitura confortável.

Cabo do Medo é um thriller extremamente viciante, a história é hipnotizante e cativante, capaz de surpreender até mesmo quem já assistiu as adaptações. Este é um livro que marcará as experiências literárias de qualquer pessoa, não será fácil desgrudar da história, muito menos esquecer o quão problemático é Max Cady.

Desencaixados - 2020 | Alguns direitos reservados