CRÍTICA – Calibre
29 jun

CRÍTICA – Calibre

Filmes

Victor Tadeu

Título: Calibre
Título original: Calibre
Data de lançamento: 29 de junho de 2018 (Netflix)
Duração: 1h 41min
Direção: Mat Plamer
Gênero: Drama/Suspense

Sinopse: Dois Amigos de longa data vão para uma isolada vila na Escócia para um final de semana de caça, mas nada poderia prepará-los para o que aconteceria em seguida.

Vaugh Carter e Marcus Trenton são amigos de longa data e estão sempre empenhando para um ajudar o outro. Logo cedo no início de um final de semana, os amigos partem para uma vila isolada e pacata da Escócia com o intuito de praticar a caça em florestas. A ideia inicial era ensinar Vaugh ter um empenho melhor, porém durante o primeiro tiro disparado pelo homem um menino é atingido na cabeça colocando toda a situação em risco.

O pai da criança estava no mesmo local, e para não sujar a imagem e nome dos caçadores, Marcus atira no peito do responsável com o intuito de silenciar ambas as mortes. De imediato Vaugh fica traumatizado querendo entrar em contato com a polícia local, mas percebe que o estrago já tinha feito e não podia ser preso por causa da sua esposa recentemente grávida. Lutando para esconder a tragédia Vaugh Carter e Marcus Trenton ficam à beira do abismo tentando se livrar dos acidentes.

Calibre é o novo lançamento da Netflix publicado e distribuído nessa sexta-feira (29/06/2018). Dirigido por Matt Plamar, os atores Jack Lowden, Martin McCan e Tony Curran lhe apresentará uma história de suspense na qual falaremos um pouco sobre ela, continue lendo nossa crítica.

Suspense é um gênero cinematográfico muito bem aceito pelos cinéfilos, isso acontece pelo fato dele conseguir abranger várias vertentes e poder seguir rumos imprevistos durante a história, assim tendo a capacidade de surpreender o expectador de várias formas. Recentemente o consumo de suspense está cada vez aumentando e os produtores estão apostando fielmente em conteúdos do gênero.

É muito comum o cenário de um suspense ser em ambientes pacatos e esse é o caso de Calibre. O filme é passado em uma vila da Escócia onde todas as cenas são passadas e a trama desenrola. Devido ao local os produtores tiveram tudo para inovar no enredo, porém todos os elementos utilizados na produção e construção da história foram aproveitados e apresentados em outros filmes, na qual, perde muito a originalidade do filme.

Os personagens também são outros fatores muito bem reconhecidos em filmes com a tese semelhante. Ao passar do tempo você vai se deparar com as típicas cenas de bares, onde um valentão sente ciúme de uma moça solteira, além disso, acidentes repentinos e perseguição da população são outros elementos receitados do filme. Só que, apesar de serem conhecidos, o cinéfilo provavelmente despertará sentimentos pelos protagonistas, o que recompensa na ofuscação de originalidade.

Infelizmente a fotografia dessa produção poderia ser um pouco mais qualificada, já que, a imagem dele está sempre tendendo ser embaçada. Por outro lado, a trilha sonora recompensa no suspense, mas os instrumentos utilizados também não são novidades em filmes do gênero que carrega a mesma ideia. A produção e a direção conseguiram desenvolver um filme eficiente para àqueles que gostam de histórias batidas que possam assistir durante um momento de estresse ou uma sessão pipoca leve com a família.

Calibre, dirigido por Matt Plamer é um filme sem muitas surpresas e inovação, na qual pecou em diversos momentos, mas tem a capacidade de entreter algumas pessoas. Com cenas previstas a história consegue ser recompensada com um final emocionante, capaz de despertar sentimentos no expectador.

Nossa note é:

Assista ao trailer:

Comentários

  • dugabowski

    Duas estrelas para uma bomba dessas? Muito generoso… É clichê em cima de clichê. Aliás, a Netflix é puro TNT: uma fábrica de bombas…

  • Marcelo Barreto

    O filme serve apenas pra passar o tempo, com uns 2 ou 3 momentos de tensão, e a burrice dos protagonistas é irritante.