CRÍTICA – Capitã Marvel
08 mar

CRÍTICA – Capitã Marvel

Crítica, Filmes

Amanda Barros

00Título: Capitã Marvel
Título Original: Captain Marvel
Data de lançamento: 07 de março de 2019
Duração: 2h 8min
Direção: Anna Boden e Ryan Fleck
Gênero: Aventura, fantasia e ficção-científica
Nacionalidade: Estados Unidos

Sinopse: Carol Danvers (Brie Larson) é uma ex-piloto da aeronáutica que se torna uma das heroínas mais poderosas da galáxia. Ao se juntar à Força Estelar, uma equipe militar Kree, ela retorna à Terra com novas dúvidas sobre seu passado e sua identidade quando o planeta se encontra no centro de um conflito entre dois mundos alienígenas.

Um dos filmes mais aguardados do ano já está entre nós. Capitã Marvel já é sucesso de bilheteria em seu primeiro dia de exibição e promete agradar os fãs do Universo Marvel, além de preencher lacunas e ligar a heroína aos eventos de Vingadores: Ultimato.

O filme conta a história de Carol Denvers (Brie Larson), uma ex-piloto da aeronáutica que não tem muitas lembranças de seu passado. Ela é treinada e trabalha com uma raça alienígena, os Krees, contra seus maiores inimigos na galáxia, os Skrulls. Durante o longa é possível conhecer um pouco mais sobre as duas raças e como esses seres interferem na vida da capitã e na construção do personagem.

capitã-marvel

O primeiro filme solo de uma heroína da Marvel tinha uma tarefa muito árdua: contar a origem da personagem e preencher lacunas deixadas por Vingadores: Guerra Infinita, isso prejudicou um pouco a parte reservada para contar a jornada da heroína e criar o laço afetivo entre o público e a personagem, assim como os fãs têm com outros heróis do estúdio.

Em contrapartida, Brie Larson construiu uma personagem de acordo com o que se esperava, durona, com piadas sarcásticas a ponto de quebrar o clima “engraçadinho” de filmes da Marvel e muito poderosa. Grande parte do alívio cômico do filme fica por conta de Nick Fury (Samuel L. Jackson) e do gato Goose, que tem um papel muito mais importante do que se imagina a princípio.

A trilha sonora do filme com o estilo meio grunge e com hits dos anos 90 cria o clima que a história precisa e mostra um pouco de Carol Denvers como mulher, não como super heroína. Um dos aspectos mais marcantes do filme é a grande presença das mulheres em papel de destaque, o empoderamento na prática que vem junto da superação da personagem principal, que ainda sim poderia ter sido melhor explorado, não fosse todo o universo de Vingadores para ser contemplado no enredo.

Vale o destaque também para Ben Mendelsohn, que interpreta Talos, da raça Skrull e Jude Law, como Yon-Rogg, da raça Kree. Ben se destaca muito no papel do alienígena e não é apenas um plano de fundo para a história, já Law entrega uma boa atuação, mas nada espetacular.

2893670

Um ponto que merece destaque é a linda homenagem feita para Stan Lee nos créditos iniciais do filme, o criador do Universo Marvel faleceu no ano passado e sempre fazia pequenas aparições nos filmes do estúdio, dessa vez não foi diferente, mas a presença dele teve um peso diferente.

As sequências de luta do filme foram satisfatórias, porém com mais cortes de câmera do que o ideal. O longa compensou com um belo visual, tanto pelo uniforme da capitã quanto pelas demonstrações de poder da heroína, principalmente no clímax da história. Ainda vale ressaltar a sequência em que a história é contada durante o filme, diferentemente da maioria dos longas do gênero, o enredo se passa em grande parte com flashbacks e o público vai conhecendo aos poucos a história de Denvers junto com ela.

E um dos momentos mais esperados de todo o filme, as cenas pós-créditos, foi muito satisfatório. A primeira cena mostra um pouco do que os fãs estão esperando e finalmente dá uma noção de como todas as histórias irão se conectar nos próximos filmes do estúdio. A segunda cena, como na maioria das vezes, é engraçada e até fofa, vale a pena a espera na cadeira do cinema.

Capitã Marvel não é um filme revolucionário do gênero de heróis, mas é satisfatório para responder as perguntas deixadas por filmes anteriores e consegue contar de forma eficiente a história da mais nova integrante de um dos times de super-heróis mais amado do momento.

Nossa nota é:

4

Assista ao trailer:

Comentários