Livros que personagens sofrem estupro
07 mar

Livros que personagens sofrem estupro

Coluna

Victor Tadeu

Infelizmente o Brasil registou uma média de 135 estupros por dia durante o ano de 2016, além disso, 12 mulheres também foram mortas todos os dias durante o mesmo ano. Tudo isso é de acordo com os dados levantados pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública que foi divulgado no dia 30/10/2017. O resultado desses crimes diários resultou em 49.497 casos de estupros durante o ano, o gráfico afirma que foi 4,3% a mais do que em 2015. A entidade que estuda e divulga os índices diz que em 2013 os casos foram mais graves, pois houve 51.090 estupros registados durante todo o ano, além disso, naquele mesmo ano 4.657 foram mortas, sendo 533 delas por feminicídio.

O Dia Internacional das Mulheres está chegando e o Desencaixados está produzindo uma série de matérias para enaltecer esse gênero tão guerreiro e resistente como são as mulheres. Talvez seja um pouco chato ficar compartilhando assunto sobre crimes que acontecem com mulheres justo no dia em que estamos parabenizando elas, mas a equipe sente obrigada a expôr esses números para vê se a conscientização da sociedade aumenta.

É muito triste depararmos com um gráfico tão grande de estupros e feminicídios, é de total responsabilidade o governo começar trabalhar pesadamente em campanhas mais realistas em qualquer veículo que promove informações, pois o índices são desesperador. Diante de tanta preocupação da Equipe do Desencaixados, resolvemos trazer algumas indicações de livros que abordam assuntos sobre estupro.

Dentro das indicações iremos citar livros que as protagonistas sofrem estupros ou que outras personagens passam por essa situação humilhante. Provavelmente essas mesmas histórias não servem para empoderar as mulheres, mas, por outro lado, eles servem para alertar toda a população como esses casos não são brincadeiras. Por isso, hoje vamos apresentar a vocês livros com histórias diferentes que serve para mulheres e também para os homens.

Livros que mulheres sofrem estupros

 

Bom Dia, Verônica – Andre Killmore

O livro conta a história de Verônica Torres, uma escrivã do Departamento de Homicídio e Proteção a Pessoa (DHPP) de São Paulo, ela presta serviço para o delegado Wilson Carvana. Diariamente a escrivã sente ser uma pessoa invisível dentro da sua área de trabalho, ninguém se importa muito com ela, até que ela presencia uma cena chocante. Uma mulher muito ferida sai da sala do advogado e se joga do décimo primeiro andar, só que, na mesma semana outra mulher liga para ela desesperada dizendo que seu marido mata mulheres. Inconformada com tanta brutalidade e machismo da parte do Wilson, pois ele pediu para engavetar o caso do suicídio, ela decide tomar posse e começa a investigar o motivo do suicídio e quem era o matador de mulheres.

Bom Dia, Verônica é um livro publicado pela DarkSide Books e foi escrito por uma pessoa brasileira, até o momento ninguém sabe quem vive por trás desse pseudônimo, só que, existem muitas histórias que a escritora ou escritor trabalhou no DHPP e que já conviveu com casos muito semelhantes aos da história. Por isso, essa pessoa prefere não revelar a identidade, inclusive, nem a editora responsável pela publicação sabe quem é o/a escritor(a), os advogados que ficaram responsável por todo o acordo editorial.

A história parece ser um thriller nacional, mas ela vai muito além disso, durante toda a leitura deparamos com cenas angustiantes e de revirar o estômago, os crimes cometidos pelos investigados são de total crueldade e, infelizmente, acontecem em várias partes do mundo, até mesmo no Brasil. O nosso assunto de hoje é sobre personagens que são abusadas sexualmente, não irei falar quando isso acontece em Bom Dia, Verônica pois soaria como spoiler, mas recomendo você fazer a leitura do livro e conhecer  esse livro incrível.

Fome – Roxane Gay

O livro é uma autobiografia de Roxane Gay, uma mulher que têm muitas histórias para contar sobre o seu corpo. Desde pequena ela sempre sentiu-se rejeitada pelas pessoas, nunca foi de ter amizades com vários colegas de classe, só que, um menino um pouco mais velho que ela começa a conhecê-la. Apesar dele às vezes lhe tratar de forma horrível, ela ainda corria atrás desse garoto e fazia de tudo para ter a atenção dele.

Infelizmente um dia ele convida Gay para caminhar em uma trilhar, só que, o inesperado é cometido. Ele leva Roxane para dentro de uma barraca e com um forte odor de cerveja comete um estupro coletivo junto com seus amigos, a pobre menina tinha apenas 12 anos e sentiu uma dor que desejava para ninguém desse mundo. A humilhação foi tão grande que a mesma não contou imediatamente para os pais e foi após isso que sua vida mudou bastante.

Tendo hábitos diferentes e participando de outros grupos sociais, Roxane começa comer muito e consegue chegar aos 262 KG com um 1,90 metro de altura. E em Fome, ela conta toda a história de seu corpo durante todos esses anos de humilhação sexual, olhares indesejáveis devido ao seu corpo e comentários ridículo que já foi obrigada a ouvir. A história do livro é real, foi publicada pela Globo Livros e esse é um relato ousado, doloroso e arrebatador.

Diário de uma Escrava – Rô Mierling

Também publicado pela DarkSide Books, o livro conta a história de Laura, uma garota que aos 14 anos foi sequestrada por uma pessoa que ela tinha muito interesse em conhecer. Infelizmente, a garota foi obrigada a viver em um cativeiro subterrâneo onde era abusada sexualmente com frequência, além disso, a pobre adolescente vivia em situação higiênica decadente e o Ogro — maneira que ela chamava o criminoso — não tinha tanta piedade.

Como se o estupro da protagonista não fosse o suficiente, o Ogro foi capaz de estuprar outras meninas adolescentes, incluindo crianças. Todas elas não resistiram a brutalidade dessa pessoa insensível, por isso, Laura era uma das mais resistentes. As diversas formas que a escrava sexual foi abusada é de cortar o coração, mas, infelizmente a história foi baseada em vários casos diagnosticados em vários países do mundo.

O livro foi escrito por Rô Mierling, uma autora nacional, mas que atualmente mora em outro país. Ele foi publicado em 2016 e teve várias opiniões divididas, tudo isso aconteceu devido ao final um pouco indesejável pelos leitores, só que, durante toda a construção dessa história a autora teve um compromisso muito grande em apresentar para o mundo um problema que algumas pessoa que já foram estupradas correm o risco de passar — transtorno.

Os Treze Porquês – Jay Asher

Imagem do site Além da Capa.

Provavelmente esse seja o livro que todo mundo conhece a história, pois em 2017 ele ganhou uma adaptação em série pela Netflix e teve uma grande repercussão pela mídia e digitais influencer. O livro conta a história de Hannah Baker, uma adolescente que cometeu suicídio após sofrer uma onda de bullying na escola. Durante a leitura nós vamos acompanhando pelo protagonista Clay, quais foram os motivos dela ter se matado, pois antes de programar a própria morte, ela foi capaz de gravar treze fita cassete com os motivos de sua morte, além disso, ela criou um regra de passar adiante as fitas para cada pessoa que colaborou no suicídio e Clay recebe a caixa com as fitas.

O livro já andava sendo bem comentado por várias pessoas antes mesmo da adaptação, ele sempre foi bem recomendado por leitores e booktubers. Mas, após a adaptação muitas pessoas começaram a dar opiniões prós e contras, tudo isso porque os bullyings que Hannah recebeu foi de imensa crueldade e muito presente na vida de muitos adolescente, mas o grande problema foi a forma que ela encontrou de acabar com essa vida cansativa e já desgastada. Os bullyings que a adolescente sofreu foi de difamação a abuso sexual e isso comoveu aqueles que assistiram.

O desfecho do livro é uma grande lição de moral, por isso, a leitura dele é muito recomendada para leitores, mas saibam que eu não estamos incentivando ninguém ter a mesma atitude que Hannah Baker, pois a história pode ser um gatilho para pessoas que passam pela mesma situação. O livro foi publicado pela Editora intrínseca, escrito por Jay Asher e contém uma história muito surpreendente e tocante ao mesmo tempo.

É válido lembrar que essa matéria não está incentivando o abuso sexual, muito pelo contrário, estamos compartilhando ele em forma de alerta!

Fonte de pesquisa: Folha de São Paulo

Comentários