CRÍTICA – Para Todos os Garotos Que Já Amei
17 ago

CRÍTICA – Para Todos os Garotos Que Já Amei

Filmes

Victor Tadeu

Título: Para Todos os Garotos Que Já Amei
Título original: To All The Boys I’ve Loved Before
Data de lançamento: 17 de agosto de 2018
Duração: 1h 39min
Direção: Susan Johnson
Gênero: Romance/Comédia
Nacionalidade: EUA

Sinopse: Lara Jean Song Covey (Lana Condor) escreve cartas de amor secretas para todos os seus antigos paqueras. Um dia, essas cartas são misteriosamente enviadas para os meninos sobre os quem ela escreve, virando sua vida de cabeça para baixo.

Para Todos os Garotos Que Já Amei conta a história de Lara Jean, uma garota de 16 anos entrando na adolescia, porém a mesma ao longo da sua vida teve 5 paixões, na qual, escreveu cartas para os meninos, mas nunca teve a coragem e vontade de enviá-las. Só que, um certo dia todas as cartas são enviadas para seus destinatários, o que coloca a vida da adolescente em várias situações constrangedoras e totalmente comprometedoras. Agora Lara tem que arcar com tudo aquilo que escreveu e as consequências parecem ir longe demais.

Após o lançamento de A Sociedade Literária e a Torta de Casca de Batata semana passada, a Netflix aparenta está procurando trabalhar melhor nos títulos que carregam o selo Original Netflix, na qual, são produzidos ou distribuídos pelo serviço de streaming. Esse foi o caso de Para Todos os Garotos Que Já Amei, uma adaptação cinematográfica com o mesmo nome escrito por Jenny Han e publicado no Brasil pela Editora Intrínseca, a mesma responsável por 13 Porquês (13 Reasons Why), que ganhou uma adaptação em série também pela Netflix.

As adaptações cinematográficas estão sendo muito bem trabalhadas na atualidade e a empresa responsável por Para Todos os Garotos Que Já Amei conseguiu realizar um trabalho eficiente em toda a produção. Trabalhando de forma dedicada e muito delicada com a história do filme, a diretora Susan Johnson conseguiu adaptar o roteiro de Sofia Alvarez muito bem dentro do longa-metragem, já que ele consegue passar a mensagem exata da produção e ser bem agradável ao longo das cenas.

O humor desse título é um ponto muito forte e sofisticado, com assuntos um pouco leves e as vezes cômicos, alguns personagens conseguem desferir frases ou passar por situações capazes de gesticular risadas dos cinéfilos, o que acaba sendo uma grande novidade dentro dos lançamentos da Netflix, já que os assinantes vinham reclamando há um tempo. Consequentemente, o desenvolvimento da história é muito natural, em nenhum momento nos deparamos com cenas forçadas para tapar algum buraco, o que ausenta muitas pontas soltas do longa.

Por tratar de adolescentes, o público-alvo dessa adaptação será recepcionado com muito agrados, pois, os assuntos tratados ao longo das cenas são chamativos e dedicado à eles. Mesmo contendo muitas cenas de humor, às vezes existem momentos que lembra momentos que Hannah Baker, de 13 Reasons Why teve a infelicidade de passar, como bullying, difamação e rivalidade entre garotas, porém a gravidade aqui é totalmente divergente, mas são assuntos que ainda devem ser tratados para cessar esse falta de educação ou finalizar com essa cultura bastante desrespeitosa.

Os atores fizeram um trabalho incrível, mesmo alguns precisando de ter uma melhoria, eles conseguiram passar a mensagem e transmitir toda a essência de seus personagens. Lana Condon trabalhou de forma magnífica como Lara Jean, ela teve um desenvolvimento de expressão fácil fantástica, chegando nos encantar. Além disso, os atores conseguiram empenhar de forma aceitável o comportamento dos adolescentes, mesmo sendo pessoas com característica um pouco passada, assim, concluindo que eles estudaram para exercer tal atuação.

O romance de Para Todos os Garotos Que Já Amei é uma questão que pode ser trata de forma individual, acreditamos que esse elemento é bastante relevante e cada um sentirá um impacto diferente. Já que, a protagonista encontra-se em uma situação muito desconfortável e devido aos fatos da adaptação, acabamos nos apaixonando e aprofundando aos poucos nos relacionamentos que ela teve (ou não) com os garotos das cartas. Assim, Lara Jean acaba vivendo um aparente triangulo amoroso que consegue trazer altos e baixos dentro da história.

Apesar de a Netflix ter trabalho de forma melhor dentro do título, esse não será um filme que você vai encontrar muitas novidades cinematográficas, porém, também não será uma adaptação que irá te desagradar. Por se tratar de uma comédia que envolve romance e drama, fica muito previsível muitas situações (nem todas, inclusive, o final pode surpreender alguns expectadores), o que remete muito aos livros e filmes clichês, que são ótimas sugestões para assistir em momentos estressantes, capazes de nos relaxar com toda a história, um exemplo de A Barraca do Beijo, que também é Original Netflix.

A fotografia de Para Todos os Garotos Que Já Amei é razoável, o que não torna ruim, em certos momentos somos recepcionados por uma trilha sonora bem agradável e de acordo com toda a situação da cena. O que pode acabar incomodando algumas pessoas são os efeitos sonoros, que em alguns momentos acaba sendo ausentado, como em discussões envolvendo porta de carro sendo batida com força, o que não conseguimos ouvir o som da porta sendo fechada. Porém, esse pequeno pecado não é incomodativo ao ponto de atrapalhar nosso encanto com a adaptação.

Para Todos os Garotos Que Já Amei, de Jenny Han e adaptado por Susan Johnson é um filme bastante agradável que remete à outros títulos que também são adaptações cinematográficas, ele é uma ótima opção para assistir junto com os amigos e/ou até mesmo com o “crush”, a história nos cativa aos poucos e de forma muito natural. O livro contém mais duas continuação, o que não sabemos se haverá outros filmes, talvez essa afirmação seja feito diante do resultado de audiência do longa-metragem. Porém, o conteúdo encontra-se disponível na Netflix.

Nossa nota é:

Assista ao trailer

Comentários

  • Beatriz Silva

    O filme deveria ter outro nome, apesar de ser um filme legal, não tem nada a ver com o livro !!!!