Siga nossas redes sociais

Crítica

CRÍTICA: Army of the Dead: Invasão em Las Vegas

Zack Snyder garante diversão e entretenimento em novo filme Original Netflix

Publicado

em

Depois de ter ganhado a simpatia – e alguns atritos – com os fãs da DC Comics com os filmes Batman V Superman: a origem da justiça e Zack Snyder’s Justice League, o diretor Zack Snyder (Madrugada dos Mortos, Watchmen) retorna com sua segunda produção no ano 2021, dessa vez em parceria com a Netflix. Trata-se de Army of the Dead: Invasão em Las Vegas, o primeiro projeto do cineasta longe do universo de super-heróis depois de quase oito anos.

Depois das brigas de bastidores, já bastante conhecidas pela mídia e pelo público nerd, entre o diretor Zack Snyder e o estúdio da Warner Bros, chegou a vez do cineasta conduzir outras histórias e universos mais particulares. Essa era a expectativa dos fãs: um filme de zumbis com a visão do Snyder. E não é para menos, depois ser responsável pelo ótimo Madrugada do Mortos era de se esperar no mínimo um divertido filme de zumbis. Realmente, há diversão, sangue, explosões, zumbis mutilados, tudo no nível mais cafona possível.

O diretor não perde tempo na sua história e foca no que parte público, provavelmente, se interessa: o escapismo da batalha contra os “mortos – vivos”. É nesse sentido que o filme não desenvolve nenhuma trama de maneira mais profunda. Desde a motivação confusa de uma personagem que entra no covil dos inimigos até relação conturbada entre o pai e uma filha, o filme passa por todas essas subtramas sem explicar certas questões. Os personagens surgem aqui todos subdesenvolvidos, mas curiosamente é o necessário para guiar a história e até criar algum carisma por eles. Os destaques são Dave Bautista que é um protagonista sem muitas expressões, mas tem carisma, Ella Purnell e o bom alívio cômico da relação entre Matthias Schweighöfer e Omari Hardwick.

Resta então o, amado e odiado, estilo de Zack Snyder para prender a atenção do público. Ele consegue até certo ponto. A abertura em câmera lenta junto com trilha sonora que parece que saiu da própria playlist do diretor ainda tem o seu charme, e a sanguinolência está na medida certa para um filme desse gênero. Contudo, certas pretensões sempre alcançam o enfadonho nos filmes do diretor, e elas estão aqui mais uma vez. A necessidade de estender cenas que mereciam uma atenção maior na sala de edição, cenas escuras demais e as alegorias cafonas por vezes baseada no cristianismo, nos sonhos e na “vida e a morte”.

Army of the Dead: Invasão em Las Vegas é divertido e garante o entretenimento, mérito de Zack Snyder. Mas esse mérito se limita e os vícios do cineasta, que muitos enxergam como qualidades, aparecem e isso pode não agradar a outra parte do público. Porém, trata-se de um dos filmes menos arriscados do diretor e garante que as opiniões não sejam tão divergentes. Um bom filme para uma nova fase de Zack Snyder.

ASSISTA AO TRAILER:


Título: Army of the Dead: Invasão em Las Vegas
Título original: Army of the Dead
Ano de lançamento: 2021
Direção: Zack Snyder
Gênero: Ação/Terror

Nacionalidade: EUA

Sinopse: Ambientado em um mundo pós-apocalíptico, Army of the Dead acompanha a história de Scott Ward (Dave Bautista), um desabrigado e ex-herói de guerra que agora vende hambúrgueres nos arredores de Las Vegas. Tudo muda na vida de Scott quando Bly Tanaka (Hiroyuki Sanada), um magnata dos cassinos, oferece uma proposta tentadora: invadir Vegas, que está cheia de zumbis, para roubar 200 milhões de dólares de um cofre antes que a cidade seja bombardeada em 32 horas pelo governo. Motivado pela esperança de que a recompensa possa ajudar na reconciliação com sua filha, Kate (Ella Purnell), ele assume o desafio e monta uma equipe de especialistas para o grande roubo.

Resumo
Data de revisão
Artigo revisado
Army of the Dead: Invasão em Las Vegas é divertido e garante o entretenimento, mérito de Zack Snyder. Mas esse mérito se limita e os vícios do cineasta, que muitos enxergam como qualidades, aparecem e isso pode não agradar a outra parte do público. Porém, trata-se de um dos filmes menos arriscados do diretor e garante que as opiniões não sejam tão divergentes. Um bom filme para uma nova fase de Zack Snyder.
Avaliação do Autor
51star1star1star1star1star
Continue Lendo
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copyright © 2020 Desencaixados. Todos os direitos reservados.