Siga nossas redes sociais

Notícia

Recusada no mercado de trabalho, Faela Maya cria web novela e faz sucesso na internet

A mulher viveu três meses somente com 30 reais no bolso, hoje gera uma pequena renda para ela e seu elenco

Publicado

em

Faela Maya, de 28 anos, viveu momentos difíceis em Fortaleza (CE) buscando uma oportunidade de emprego. Se mantendo com apenas 30 reais por mês, a mulher foi obrigada a retornar para o interior do estado, Jaguaribe, onde voltou a dar vida para a sua web novela chamada Pobreza Brasil, que hoje é um sucesso na internet, reunindo mais de 18 milhões de visualizações somente no YouTube.

Tudo começou no final de 2018, quando a fundadora da produção gravava a história pela stories do Instagram. Conquistando o público com a simplicidade e o roteiro bastante cômico, Faela Maya precisou se adaptar aos vídeos mais longos e hoje lança com frequência alguns episódios de Pobreza Brasil e uma série de curtas-metragens do Humor Made in Interior, sempre carregando os mesmo atores no elenco.




Em entrevista para a TV Scala, Faela Maya contou um pouco sobre sua trajetória de vida e como foi sua recepção pelo mercado de trabalho:

“Este ano mesmo eu tinha nenhuma perspectiva de arrumar emprego, porque sempre foi negada uma oportunidade para mim. Até mesmo para faxineira me negaram um emprego, simplesmente alegaram que eu não tinha qualificações para auxiliar de serviços gerais.”

E ainda continuo levantando uma reflexão:

“Eu nunca aceitei o não, eu sempre usei o não para buscar o sim, e hoje vendo o meu trabalho sendo reconhecido e as meninas sendo reconhecidas, para mim, é muito gratificante”.

O elenco é composto por crianças, jovens, adultos e idosos, e entre eles estão Ivone Maia, Ivonilce Maia, Yslla Maia, Nineide Alves, Pedro Vitor Alves, Talia Ferreira, Joelma Ferreira, Neymar Ferreira, Maria do Socorro de Lima, Maria Helena de Lima e Letícia Pereira.

Apesar desse grande número de atores para a gravação dos episódios da web novela e dos curtas-metragens, Faela Maya ressaltou que, até o momento, não ganhou muito com o Youtube, mas o dinheiro que recebe do Facebook ajuda ela e todo mundo que participa da produção.




O preconceito sofrido por Faela Maya reflete no preconceito da sociedade com mulheres trans, assim, fazendo com que muitas sejam excluídas pelo mercado de trabalho e se submetam a prostituição. Porém, seu destaque com o trabalho realizado na internet está conquistando um público que se simpatize pela simplicidade, inclusive, até mesmo o Diogo Paródias fez um vídeo reagindo e elogiando o Pobreza Brasil e alguns episódios de Humor Made in Interior.

Clique aqui para saber mais sobre Faela Maya.

Assista ao curta-metragem “A Palpiteira”:

Continue Lendo
Clique para comentar

Copyright © 2020 Desencaixados. Todos os direitos reservados.