Postado por: Victor Tadeu

A realidade de leitores em território brasileiro é bastante preocupante, infelizmente isso não é novidade para ninguém, já que a população não procura livros como forma de entretenimento. Pesquisas apontam que o número de leitores do país está crescendo aos poucos, mas esse índice precisa ser analisado, pois 42% dos entrevistados afirmam fazer a leitura somente da bíblia, enquanto outros 22% de obras religiosas, ou seja, é um aumento quantitativo, mas não qualitativo, como costuma dizer a socióloga e coordenadora de pesquisa, Zoara Failla.

Apesar dessa preocupação com o crescimento do consumo de livros literários no Brasil, precisamos conversar sobre uma realidade de leitores assíduos — ou não —, pois essa população está lendo cada vez menos e isso não é opcional, mas sim uma consequência da vida.

Uma pesquisa realizada há alguns meses afirma que crianças entre 5 a 10 anos encontra-se 62% de leitores, por outro lado os pré-adolescentes de 11 a 13 anos 84% consomem livros, consequentemente sendo a faixa etária com maior número de leitores no país. Logo após somente 75% ocupa os jovens de 14 a 17 e a partir da vida adulta muitos deixam os livros de lado, alcançando uma porcentagem muito próxima dos não-leitores que são 52% da população brasileira.

Infelizmente os adultos tendem ter uma vida com bastante compromissos e responsabilidades, um dos maiores motivos declarado em pesquisa sobre a perca do hábito da leitura, 32% afirmam que a falta de tempo é um grande vilão para retornarem aos incríveis mundos e debates proporcionados por livros, mas será que o tempo é uma justificativa totalmente válida?

É impossível negar que diante de diversas novidades tecnológicas tendemos nos ocupar muito com celulares, portanto uma pesquisa confirma o Brasil como terceiro país do mundo mais conectado à internet, estimando o uso de nove horas e quatorze minutos por dia. O IBGE disse em 2013 que as pessoas dedicavam somente 6 minutos diários para leitura de livros, enquanto um relatório da ComScore de 2014 diz que os brasileiros ficavam horas atualizando as redes sociais.




Diante da atual realidade, podemos concluir que existe uma grande força de vontade da população consumir internet e colocar livros como segundo plano, uma contradição muito presente em relação a falta de tempo, substituindo essa desculpa como falta de prioridades e organização.

Existem sim leitores que se ocupam nas tecnologias fazendo a leitura de livros digitais, diante dos números as vendas dos e-books estão crescendo, mas essa utilização é uma minoria muito visível.

Falta de tempo e/ou prioridade? Não temos total propriedade para relatar a realidade das pessoas, mas podemos confirmar com os olhos fechados que quanto mais velho você ficar, menos livros você vai ler!

Desencaixados - 2020 | Alguns direitos reservados