CRÍTICA: Stranger Things – 3ª Temporada
04 jul

CRÍTICA: Stranger Things – 3ª Temporada

Notícias, Séries

Amanda Barros

pasted-image-0Título: Stranger Things
Título original: Stranger Things
Ano de lançamento: 2019 (Netflix)
Duração: 8 episódios
Criadores: Matt Duffer e Ross Duffer
Gênero: Drama; Fantasia
Nacionalidade: Estados Unidos

Sinopse: É 1985 em Hawkins, Indiana. O verão está mais quente do que nunca, e um novo shopping foi inaugurado na cidade. O grupo de protagonistas estão a beira da adolescência, e pequenos romances complicam sua dinâmica. Eles precisarão aprender a crescer sem crescer realmente. Enquanto isso, um novo perigo surge. Com a cidade ameaçada novamente, Eleven e seus amigos percebem que o mal nunca acaba, apenas evolui. Agora, todos precisarão ser mais unidos do que nunca para sobreviver, e se lembrar que a amizade sempre será mais forte do que o medo.

Desde 2017 os fãs de Stranger Things estão sedentos pela continuação da história das crianças de Hawkins, por isso a terceira temporada da série era uma das mais esperadas do ano e prometia muitas respostas após os fios soltos e dúvidas que a segunda temporada havia deixado.

Sendo assim, a Netflix finalmente trouxe ao catálogo, hoje (4) a terceira temporada da série. A expectativa dos fãs era grande, mas ainda havia um certo receio, pois a temporada anterior não havia mantido o ritmo da primeira e isso poderia ser um sinal de que a história estava se perdendo, porém Stranger Things 3 provou exatamente o contrário.

Stranger-Things

A história da 3ª temporada da série ainda se passa em Hawnkins e traz os personagens já conhecidos pelo público, só que agora não mais crianças, mas sim adolescentes. Eleven (Millie Bobby Brown) já é filha adotada oficialmente de Jim Hopper (David Harbour) que é um pai super protetor e parece não gostar nada do namoro da garota com Mike Wheeler (Finn Wolfhard), mas nem tudo é só problema de adolescente, de alguma maneira o mundo invertido ameaça o povo de Hawkins de novo e a turma tem que tentar salvar o mundo outra vez.

É possível dizer que Stranger Things 3 foi a melhor temporada da série até agora, mesmo com uma pequena queda no ritmo e qualidade na temporada anterior, a série recuperou de forma majestosa tudo o que perdeu e deu aos fãs o que precisavam para se sentirem mais animados ainda com a história.

O roteiro foi muito bem construído e mais uma vez a série apostou em novos personagens e parcerias que não haviam sido vistas antes, e funcionou muito bem, não só para o desenvolvimento de personagens já conhecidos pelo público, mas para a inserção dos novos, com destaque mais do que merecido a Robin (Maya Hawke), uma personagem com muito mais profundidade do que se imagina e Erica (Priah Ferguson) que não se limitou a ser apenas a irmã de Lucas (Caleb McLaughlin), mas também ganha seu próprio espaço na trama.

Quanto a outros personagens secundários, vale o destaque como sempre aos adoráveis Steve (Joe Keery) e Dustin (Gaten Matarazzo) que trazem mais uma vez sua parceria depois do grande sucesso da amizade improvável dos dois que foi um dos pontos altos da temporada passada. Enquanto isso, Will (Noah Schnapp) foi um personagem “esquecido” de certa maneira e não teve muito destaque dessa vez.

stranger-things-3

Além disso, é necessário citar Billy (Dacre Montgomery) que trouxe uma atuação sensacional em seu personagem que finalmente foi revelado como um dos vilões nos últimos trailers da temporada, o ator foi capaz de trazer as diversas nuances do personagem e finalmente deu uma expressão para ele.

Stranger Things já é bem conhecida por suas referências aos anos 80 e dessa vez não foi diferente, as maiores referências foram com certeza o filme De Volta Para o Futuro e até um personagem que parece totalmente com O Exterminador do Futuro de Arnold Schwarzenegger. A trilha sonora também não deixou a desejar, os clássicos da música com direito até uma pequenina performance como sempre embalaram de maneira perfeita os personagens, sem falar na fotografia incrível de encher os olhos.

Netflix resolveu apostar no seu maior tesouro e conseguiu um resultado talvez até melhor do que o que os fãs pensavam, apesar das perdas que podem deixar alguns espectadores chateados, a qualidade de Stranger Things é inegável e abre mais caminhos para a produção de novas temporadas com personagens mais maduros e explorando outras fases da vida dos personagens que o público já ama.

Nossa nota é:

5-1

Assista ao trailer:

Leia também:

Comentários