RESENHA: Palavras de Rua
25 jun

RESENHA: Palavras de Rua

Notícias, Resenhas

Victor Tadeu

Título: Palavras de Rua
Autor: Felipe Saraiça
Editora: Pendragon
Gênero: Ficção
Número de páginas: 186
SKOOB

Adquira aqui: Amazon

Sinopse: João saiu de casa ainda adolescente. Fugiu sem se despedir e sem muita coisa na mochila. Deixou para trás suas poucas lembranças, mas levou as marcas do passado e dos golpes que ainda doíam. Partiu sem rumo ou direção. Seguiu por ruas e estradas desconhecidas, até que seu corpo ficou exausto e teve que parar. Ali, dormiu olhando as estrelas em cama de concreto e cobertor de papelão. Acordou outro alguém; morador de rua, sem história, marginal. Tornou-se invisível. Passou a estender a mão e pedir moedas, mas receber em troca chicletes mastigados e olhares de desprezo. Porém, entre rostos desconhecidos e olhares vazios, ele também encontrou a bondade e abrigo daqueles que nada tem.

João é um garoto que desde criança sobre opressão dentro de casa, principalmente por vir de uma gravidez não desejada, onde seu pai é extremamente intolerante e torna qualquer pequeno problema em motivos para agredir sua mãe. Vivendo em um lar bastante traumático, ele acaba tornando as ruas como sua casa, provavelmente encontrando mais “conforto” invés de viver ao lado dos responsáveis.

Tudo aconteceu durante mais uma sessão de agressão. Encontrando motivos banais para agredir a esposa, o pai de João, um homem controlado e totalmente machista, começa brigar com a mãe do garoto. O único desejo da mulher era tirar a criança daquelas condições, por isso, indicou-o fugir de casa e procurar um lugar melhor.

Seguindo os conselhos da mãe, a criança parte para rua, porém sem nenhuma orientação de onde ficar ele acaba se confortando do seu novo e conturbante lar; as ruas. Vivendo de forma desagradável e muito humilhante, João tem muito que ensinar para diversas pessoas, e isso será apresentando durante a leitura do livro.

“Eu permaneço deitado, observando-o se afastar, indo em direção à sua mulher e filho. Ali com toda certeza vive uma família rodeada de porta-retratos pela casa e mágoas guardadas embaixo do travesseiro.” (página 18)

Palavras de Rua, escrito por Felipe Saraiça, é um livro publicado em 2016 pela Editora Pendragon e gira em torno de uma adolescente em situação de rua. Essa foi a obra de estreia do autor e precisamos conversar um pouco sobre o seu desenvolvimento com a escrita, principalmente por explorar uma pessoa socialmente marginalizada não representada na literatura.

Atualmente, no Brasil, existem diversas pessoas que acabaram adotando as ruas como seus lares, isso acontece devido uma série de problemas, mas a ignorância social acaba sendo levantada pela pré-conceitualização da vida dessas pessoas, onde muitos não procuram entender o verdadeiro motivo para um indivíduo chegar nessas condições. Inclusive, um singelo diálogo com uma moradora de rua foi inspiração para essa história.

Procurando explorar como é o cotidiano de alguém em situação de rua, Felipe Saraiça acaba obtendo altos e baixos ao aprofundar nos sentimentos do protagonista de forma rasa, onde ele transita sob tempos divergentes; momentos de miséria e outros de glórias. Provavelmente os baixos seriam justificáveis, principalmente pelo escritor não ter essa vivência, mas algumas situações presentes na história poderiam ser mais detalhadas para um impacto mais funcional e marcante durante a leitura.

Palavras de Rua acaba se destacando devido os assuntos totalmente necessários levantados durante as páginas, como a agressão doméstica, o engavetamento de determinados crimes, o preconceito fortemente presente na sociedade em relação aos moradores de rua e entre outras explorações que trazem uma realidade para dentro desta ficção. Por mencionar a realidade, os atos dos personagens terciários são totalmente cruéis levantando uma reflexão muito forte para quem está lendo, provavelmente mudando a visão deles ao tratar outros “Joãos” de forma igualitária; pois não adianta se comover com o livro e não aplicar no dia a dia.

      “Escutei certa vez, há alguns anos, que depois de cada final existe um início. (página 103)”

O desenvolvimento dos personagens também é recheado de altos e poucos baixos, a forma que o autor construiu João enriquece muito a história, principalmente por apresentar o artista poético que existe dentro dele. Por outro lado, os coadjuvantes têm certas influências dentro do enredo, mas poderiam ser mais explorados, principalmente Paulo, e mesmo com essa pequena ausência ele consegue ser muito marcante durante os capítulos.

A escrita de Felipe Saraiça é muito direta e sem rodeios, infelizmente isso acaba acarretando os sentimentos que deveriam ser provocados nos leitores. Por tratar de capítulos rápidos e sem muitos detalhes, torna a leitura acelerada e não gera muita proximidade aos personagens, consequentemente fazendo o leitor não aprofundar de forma sentimental nas angustias e solidão do protagonista. Entretanto, determinadas cenas acabam aparecendo superficiais, justamente por não haver detalhes essências para uma introdução mais idealizada da situação, tudo é muito rápido.

O trabalho editorial da Pendragon particularmente não ficou muito chamativo, acredito que uma nova edição precisa ser realizada com a intenção de corrigir alguns erros de diagramação — existem ausências de vocativos. — Por outro lado, o exemplar físico poderia atender uma otimização nas cores, principalmente para conseguir se destacar na primeira visão, recepcionando o leitor também visualmente.

Palavras de Rua é um livro curto e de fácil compreensão, mesmo apresentando pequenos probleminhas a história consegue ser surpreendente e, além disso, durante o ler das páginas várias lições sociais e morais são dadas por Felipe Saraiça.

Comentários