RESENHA: Confinados
05 ago

RESENHA: Confinados

Notícias, Resenhas

Victor Tadeu

Título: Confinados
Editora: Monomito
Organização: ABERST
Gênero: Antologia/Terror
Número de páginas: 176
SKOOB

Adquira aqui: Monomito Store

Sinopse: Em uma noite fria de julho de 2018, na cidade de São Paulo, escritores se reuniram numa mansão para fazerem aquilo que mais amam: escrever. O evento, organizado pela Associação Brasileira de Romance Policial, Suspense e Terror (ABERST), resultou na obra Confinados – Contos de uma noite de terror.

O livro reúne 18 histórias que acima de tudo provocam no leitor o questionamento: onde está o mal? Cada história traz sua própria versão sobre a maldade que anda entre e dentro de nós.

Lord Byron foi um poeta muito conhecido no romantismo, inclusive responsável por noites obscuras, na qual reunia seus amigos em uma noite macabra para desenvolverem histórias sombrias. Analisando o quão interessante e instigante é essa ideia, a ABERST (Associação Brasileira de Escritores de Romance Policial, Suspense e Terror) abriu o edital para essa ação, reunindo diversos escritores da literatura brasileira em um só livro.

O projeto é chamado de Ghost Story Challenge e propõe autores escreverem curtas histórias, em outras palavras contos, dentro da temática de terror, horror ou suspense. Portanto, ao unir diversas personalidades com a visão de compartilhar o lado incógnito do mundo, a coletânea conseguiu apresentar momentos eletrizantes e inovadores para a literatura.

A antologia de contos de terror e horror Confinados, foi lançado pela Monomito Editorial em 2018, mas carrega futuras edições. A obra contém histórias de diferentes cenários, propondo assuntos interessantes para os leitores se questionarem e possivelmente se remoerem psicologicamente, assuntos esses que precisamos conversar nessa resenha.

Atualmente o mercado editorial está repleto de obras literárias que giram em torno de contos da mesma temática, infelizmente esses projetos estão sendo bastante duvidosos aos apresentarem contos com narrativas muito semelhantes, um problema de organização que necessita ter  mais atenção. Porém, Confinados consegue ser isento a esse pecado e se destaca por propor experiências divergentes em cada conto.

Durante a leitura dos contos é possível se surpreender de várias formas, principalmente por cada autor explorar, com maestria, um assunto diferente e de forma surpreendedora. A maior aposta presente nesta antologia são as possibilidades desses enredos irem além da ficção, como o conto de estreia que apresenta a protagonista envenenado uma parcela da população em plena paulista, o que levanta diversas questões que nos temem psicologicamente.

Entretanto, o maior destaque de Confinados é o terror psicológico muito funcional. Existem escritores bastante conhecidos no mercado editorial brasileiro, mas o projeto também apresentou outros pouco falados, e todos, sem exceções, conseguem atingir o ápice da trama. Como qualquer coletânea, existem algumas narrativas que se destacam mais que outras, algumas escritas são mais detalhadas e outras um pouco arrastadas, e isso também reside nesta antologia, mas em partes é questão de gosto, o que torna bastante relativo.

A organização realizada pela ABERST tornou esse projeto muito agradável, toda equipe foi atenta o suficiente em apresentar propostas diferentes e instigantes, um elemento essencial para coletâneas. Por outro lado, o legado que a associação está levantando é muito notável dentro do Ghost Story Challenge, unindo autores com enredos focado no obscuro, independente de fama.

O cuidado que a Monomito Editorial teve ao desenvolver a edição física desta obra é bastante admirável. A capa não revela muito sobre o que acontecerá durante os contos, mas consegue ser instigante ao apresentar somente uma ilustração como foco, apostando no simples e acertando em cheio. Por outro lado, a diagramação e a qualidade dos materiais são admiráveis, o preparo com a fonte, tamanho e espaçamento são agradáveis aos olhos, consequentemente tornando tudo mais prazeroso, por mais psicologicamente tenebroso que seja.

É válido ressaltar que esse livro contém uma orelha dupla, um elemento que, até então, encontramos somente nesse título, trazendo um diferencial muito chamativo para a antologia.

Confinados é uma coletânea de terror bastante inovadora, onde são apresentadas narrativas divergentes que se igualam na funcionalidade do horror. Essa é a primeira edição realizada pela ABERST e as próximas podem ser tão agradáveis quanto, principalmente demonstrando para os leitores que autores nacionais também são mestres do terror.

Comentários