CRÍTICA — Aurora – O Resgate das Almas
25 abr

CRÍTICA — Aurora – O Resgate das Almas

Filmes, Notícias

Victor Tadeu

Título: Aurora – O Resgate das Almas
Título original: Aurora
Data de lançamento: 25 de abril de 2019 (Netflix)
Duração: 1h 38min
Direção: Yam Laranas
Gênero: Terror
Nacionalidade: Filipinas

Sinopse: Leana, a dona de uma pousada decadente decide auxiliar na busca pelos corpos dos passeiros do navio Aurora, que colidiu em uma costa rochosa e destruiu o sustento de uma ilha inteira. O problema é que os espíritos dos mortos também estão vagando por lá.

Explorar a cultura de terror e horror de diversas nacionalidades está sendo um foco muito presente dentro dos lançamentos da Netflix, como recentemente foi lançado Suzzanna: Enterrada Viva, um terror da Indonésia levantando uma tradição impactante. Porém, a plataforma de streaming aumenta o seu catálogo com Aurora – O Resgate das Almas.

Aurora, um navio, colidiu com uma rocha e deixou diversos mortos, a segurança pública conseguiu resgatar alguns dos corpos já sem vida, porém outros ficaram desaparecidos dentro do mar. Inconformados com a situação, uma família oferece recompensa para Leana caso ela esperasse e procurasse por alguma das vítimas, mas tudo começa sair do controle quando as almas das pessoas aparecem querendo seus caminhos de volta para suas casas.

Aurora – O Resgate das Almas é um filme de terror sobrenatural dirigido por Yam Laranas (Ecos do Mal), onde explora um gênero não muito presente em naufrágios. O longa-metragem foi lançado oficialmente em dezembro de 2018 e arrecadou 107 milhões PHP em bilheteria, mas a Netflix está distribuindo originalmente para vários territórios.

O filme apresenta um enredo bastante interessante, pois não é comum encontramos um terror sobrenatural envolvendo vítimas de um naufrágio, mas infelizmente toda a esperança de um filme extremamente inovador fica somente na sinopse, já que nas primeiras cenas percebemos como a história é fraca e cansativa.

Submeter em desenvolver uma história de terror é uma responsabilidade muito grande, principalmente para o gênero que requer muitas novidades durante as cenas para causar todos os sentimentos possíveis aos expectadores. Provavelmente Aurora – O Resgate das Almas pode ter dado muito certo em Filipina, mas pode ser um desastre em diversos outros países devido o sobrenatural caricato, previsível e entediante.

Yam Laranas tem uma divisão de público com a direção de Ecos do Mal, mas não demonstrou superioridade ao apostar em mais uma história de fantasmas/espíritos que está bastante cansativa dentro do mercado. A forma que ele dirigiu o filme não é o suficiente para recompensa no desastre de escrita e isso torna a história cada vez mais massante, podendo levar o expectador à desistência.

O investimento de Aurora – O Resgate das Almas foi baixo (3 milhões PHP) e isso é notável entre as cenas, os atores Anne Curtis, Mercedes Cabral e Andrea Del Rosario são bastante fracos devido o roteiro vazio e sem muito impacto, infelizmente não sabendo dosar as necessidades para elevar o longa. Mas é válido ressaltar que a fotografia é muito boa, algumas das vezes encantadoras

Entretanto, Aurora – O Resgate das Almas não é um filme inovador e tão agradável para assistir, ele contém diversos pontos negativos durante as cenas e isso acontece porque histórias como essas já são cansativas de tão batidas em território brasileiro. Apesar de tudo isso, o título ganhou o prêmio de Melhor Fotografia do Metro Manila Film Festival em 2018, premiação essa merecida.

Nossa nota é:

Assista ao trailer;

Comentários