Ted Bundy, o conquistador
10 maio

Ted Bundy, o conquistador

Coluna, Serial Killers

Myrna Ariel

Um dos serial killers mais conhecidos dos EUA no século XX, Theodoro Robert Cowell chocou o mundo com uma série de assassinatos dignos de uma mente perturbada. Também conhecido como Ted Bundy, o criminoso teve uma infância conturbada, já na adolescência foi um dos melhores alunos da classe e dedicou-se a estudar Direito. Aqueles que vissem o homem não imaginavam que por baixo daquela máscara estava escondido um assassino.

Em 1967 Ted se apaixonou por Leslie Holland, mas o namoro não durou muito tempo. A partir daí ele ficou obcecado por mulheres que lembrassem a sua primeira namorada, como aquelas jovens com cabelos longos divididos ao meio e as morenas eram as suas favoritas.

Bundy aproximava-se das suas vítimas de maneiras diferentes, se passando por um policial, bombeiro ou fingia estar machucado. Não importava o horário ou local, nada o impedia de agir. Ele sequestrava suas presas e as levava para um lugar que ele pudesse prolongar o sofrimento e tortura das mulheres. Elas eram algemadas, torturas, estupradas e mortas.

O assassino conquistava as suas vítimas com carisma e beleza, até hoje não se sabe quando ele cometeu o primeiro crime. Espalhando o terror por mais de quatro estados, Ted namorou outras garotas como Elizabeth Kloepfer e Stephanie Books, mas os relacionamentos não duraram muito tempo.

A polícia começou a ligar os casos que vinham acontecendo nos estados de Washington, Oregon, Colorado, Ihado e outros. O Volkswagen Fusca 1968 era o veículo que Ted utilizava para se aproximar das vítimas, muitas vezes ele fingia estar machucado e pedia que o ajudasse a chegar até o carro, quando chegavam lá as mulheres eram agredidas e sequestradas. Hoje em dia o carro está exposto no Museu do Crime.

Em 2002 foi lançado o filme Ted Bundy que se baseava na história real do serial killer. Recentemente foi confirmado um novo longa-metragem sobre a vida do assassino e o responsável por protagoniza-lo será Zac Efron, e o elenco também conta com a participação de Lily Collins. Pelo o que já foi divulgado, o longa contará a história a partir do olhar de Elizabeth, namorada de Ted. Intitulado de Extremely Wicked, Shockingly Evil and Vile e dirigido por Joe Berling, o filme ainda não tem data de estreia.

Foi Elizabeth Kloepfer que alertou a polícia sobre Bundy, ela ligou para eles dizendo que o seu ex-namorado era o culpado por todos aqueles crimes. Ela acreditava nisso porque sempre que Ted se mudava para um lugar os crimes aconteciam na região e ela alegou ter encontrado objetos estranhos em seu apartamento. Quando o assassino foi preso, por não parar em uma blitz rodoviária, foi que os investigadores perceberam que ele era o culpado.

Ao notarem que em seu carro faltava o banco do passageiro foi feita uma perícia e encontraram instrumentos de tortura, máscaras e até fios de cabelos e resquícios de sangue de outras vítimas. Bundy foi preso e solicitou que atuasse como seu próprio advogado, assim permitindo que ele tivesse acesso à biblioteca para estudar o caso. Em uma das oportunidades ele fugiu pela janela.

Ele foi para Tallahasse e invadiu a casa de uma fraternidade e em menos de vinte minutos deixou quatro vítimas. Margaret Bowman, Lisa Levy, Kathy Kleiner e Karen Chandler estavam dormindo quando foram atacas, estupradas e mortas com atos de extrema violência, onde uma das garotas teve os seus mamilos arrancados com os dentes.

Ted começou a mudar de cidade em cidade, mas foi preso em 1978. Ele confessou ter sido o responsável pela morte de 30 jovens, mas a polícia alega que o número pode ser muito mais. O seu julgamento repercutiu no mundo todo e enquanto estava a caminho da cadeira elétrica Ted Buny revelou que praticou necrofilia e colecionou as cabeças de algumas vítimas. Em 1989 ele foi eletrocutado, assim finalizando a história de um dos serial killers mais conhecidos do século XX.

Comentários