O dia que Agatha Christie desapareceu
12 jun

O dia que Agatha Christie desapareceu

Coluna, Notícias

Victor Tadeu

A consagrada Agatha Christie transformou um trecho da sua vida em um grande mistério, até nos dias de hoje historiadores não sabem exatamente tudo que aconteceu, mas a escritora conseguiu mobilizar uma grande parcela da população, pois decidiu sumir do mapa sem revelar muitas dicas.

Tudo começou em dezembro de 1926, exatamente na noite do dia 04. A autora pegou uma pasta e foi embora de casa da Inglaterra, porém antes despediu da sua filha, mas não deixou nenhuma notícia para o seu marido da época, Coronel Archibald Christie. Um dos principais motivos para essa decisão foi a descoberta de uma traição, que acabou tomando rumos jamais imaginados e tornando um caso público.

O sumiço dela durou uma média de duas semanas, apenas dois dias foi motivo de colocá-la nas primeiras páginas da The Times, principalmente devido a sua fama, pois alguns dos seus títulos já haviam sido lançados. Naquele mês ela tinha 36 anos, e o início da busca teve origem com o seu carro encontrado abandonado em Guildford.

Já no dia 08 de dezembro o cunhado da best-seller disse ter recebido uma carta afirmando que ela estava em Yorkshire descansando no spa, sendo motivo para cancelar a busca. Porém, não tão convencido com essa história após alguns dias a procura continuou, incluindo o cão de estimação da Agatha, assim ele podia rastear o cheio dela. Mas, nem tudo estava tão concretizado, muitos acreditavam que tratavam de um suicídio, por isso focaram na profunda lagoa Silent Pool, levando a população acreditar que ela aparecia à margem e sem vida em qualquer momento.

A polícia procura por Agatha Christie perto do local onde seu carro foi abandonado.
Crédito H. F. Davis / Agência Topical Press, via Getty Images

Dia 11 de dezembro foi revelado que a escritora deixou três cartas antes de sumir; uma para seu marido, para o cunhado e outra para a secretária. Isso foi motivo para a expansão da procura, mas, mesmo assim, muitos estavam levantando possibilidades de ser um golpe publicitário e a secretária pessoal de Agatha negou a hipótese, por outro lado, o marido nunca revelou a carta.

Ainda não achavam rastros da autora, só que dois dias passaram e uma média de 15 mil pessoas mobilizaram-se com o intuito de achá-la, alguns persistiam que ela estava disfarçada em Londres utilizando trajes masculinos, com a ideia de dificultar a busca.

Após tantas especulações, incluindo enigmas de suicídios e envolvendo espiritualistas tentarem solucionar o caso, a escritora foi encontrada no dia 15 de dezembro no spa em Yorkshire, acalmando a preocupação dos seus fãs e deixando todos curiosos pela fuga sem explicações. Seu marido afirmou à impressa que ela havia perdido a memória por completo, mas durante a investigação foi encontrado um dos principais motivos.

No spa Agatha Christie fez seu check-in com o nome “Mrs. Tressa Neele”, anos depois pesquisando à fundo foi descoberto que esse era o nome da amante do Coronel Archibald Christie. A autora realmente aparentava querer vingar do ex-marido, quando ele foi buscá-la, ela olhou-o friamente, demonstrando muito decepção.

Multidões na estação de King’s Cross esperam ter um vislumbre de Christie.
Crédito Hulton Archive / Getty Images

15 meses depois de todo o ocorrido a Christie começou processar o divórcio com o marido, mas dois anos após a saga de investigação ela casou com outra pessoa, da mesma forma que o seu ex-esposo uniu com a amante, Mrs. Tressa Neele.

Como informado no início até hoje não existem afirmações sobre o verdadeiro motivo da autora ter saído de casa, muitos afirmam que era uma vingança pelo marido, mas outros acreditam que foi uma decepção amorosa muito forte de aceitar. Somente uma parcela de pesquisadores levantam a possibilidade de uma amnésia.

Mesmo com diversos conteúdos biográficos sobre Agatha Christie, só existem especulações sobre esse sumiço. As informações apresentadas foram retiradas de uma pesquisada realizada pela The New York Times.

Comentários