Conheça a Dark Writer Project
24 mar

Conheça a Dark Writer Project

Coluna

Victor Tadeu

Para algumas pessoas receber uma mensagem de “estranhos” pode ser totalmente perigoso, outras já acreditam ser uma nova amizade, mas para a Dark Writer Project é apenas o início de um novo vinculo. A Dark Writer Project é um projeto super bacana que procura em redes sociais pessoas com determinado perfil para conhecer uma nova história, assim criando um grande vinculo com o leitor, e hoje irei apresentá-los a vocês.

Quase sempre é assim, alguém entra em contato com você perguntando se você tem interesse em conhecer uma nova história, dependendo da sua resposta ele te envia o primeiro capítulo, caso goste e tenha interesse em continuar sabendo mais da história, ele vai te enviando mais capítulos, mas é claro, com cautela e te fazendo perguntas sobre o que achou do capítulo. A história que o projeto nos apresenta é de Mary Cavenglass, uma jovem que mora em Londres junto com seus pais e que estão prestes a sair para uma viagem, mas tudo que devia ser perfeito acaba tomando rumos drásticos e começa com um meteorito atingindo o Big Ben, seguindo por um cervo morto no meio da estrada e um GPS indicando que muitas coisas estavam erradas. A história é realmente instigante e aguça a curiosidade do leitor, até onde li percebi que o autor consegue trabalhar muito bem naquilo que produz e sabe usar as doses corretas para cada cena.

O projeto surgiu em 2010 no Orkut e Twitter onde eles tiveram o contato com os primeiros leitores e descobriram que estavam tomando o rumo certo. As pessoas que participam do projeto escondem suas identidades, em 2012 eles foram para a Bienal e chamou a atenção de um grande número de pessoas. Usando uma roupa caracterizada ao projeto e uma máscara cobrindo seu rosto o autor manteve contato através de mímicas com sua ilustradora, Nahamut — esse não é o seu nome real, eles levam muito a sério o anonimato — que retratava a história de Mary. Eles queriam chamar a atenção de editoras para conseguir realizar o sonho de publicar o livro, mas isso não ocorreu e o que eles conseguiram foi um grande número de novos leitores.

A repercussão foi grande, uma professora de inglês que participava de um fã-clube brasileiro de Harry Potter é tradutora e resolveu traduzir os primeiros capítulos do livro e levar para Inglaterra onde a história é habituada. Tendo acesso à história os ingleses começaram a compartilhar com seus amigos e acabou chegando ao alcance de Barry Cunningham, o editor que apresentou ao mundo a famosa J.K Rowling e a tão lida saga Harry Potter. O editor já tinha visto alguns comentários da Dark Writer e decidiu investir na história, dando a oportunidade do brasileiro ir para Inglaterra e ter um trabalho com o editor de sucesso. O livro seria lançado em meados de 2015 ou 2016, mas infelizmente e por motivos preocupantes eles tiveram que retornar para o Brasil.

A identidade fora relevada apenas para Barry Cunningham, só ele viu quem realmente escreve a história, só ele sabe quantas pessoas trabalham na equipe; a pessoa que escreve, quem realmente ilustra, quem fica na parte da diagramação e quem revisa. Mas a ideia não foi em vão, eles ainda vão atrás de leitores querendo compartilhar uma nova história e devem manter nesse ritmo até que as coisas se resolvam.

Navegando pela página do projeto no Facebook você pode encontrar ilustrações impecáveis e textos envolventes, além disso, eles entendem muito bem de “dark”, o que deixa o trabalho mais do que profissional — vale lembrar que as publicações são em dois idiomas; português e inglês. O projeto já foi elogiado pela DarkSide Books, a única editora brasileira dedica ao terror, não só por ela, mas também pelo Cesar Bravo um autor nacional da editora.

Estamos muito curiosos em saber mais da Dark Writer Project e resolvemos marcar uma entrevista para semana que vem com eles. Tenho muita curiosidade em saber como eles chegaram a essa ideia fantástica que deixou muitas pessoas curiosas, como eles ou ele consegue/conseguem esconder/esconderem a identidade e comunicar utilizando somente pseudônimos, como foi a sensação de ter a identidade revelada para uma única pessoa — uma pessoa importante por sinal. São dúvidas e dúvidas que tenho, o fato deles não revelarem sua(s) identidade(s) me enche de perguntas e creio que você também ficou bastante curioso.

Eu tive o prazer de compartilhar com vocês a Dark Writer Project, acho que vocês também vão ter o prazer de fazer perguntas a eles, por isso abrirei espaço para a participação dos leitores. Então para manter vocês em contato com o projeto, peço que deixem nos comentários perguntas que vocês gostariam que fossem feitas, selecionarei as melhores para serem feitas. Mas fiquem atentos, o próximo a ser convidado para conhecer Mary Cavenglass pode ser você.

Todas informações usadas foram pegas na página do projeto no Facebook.

Comentários