1° de Maio – Dia da Literatura Nacional
02 maio

1° de Maio – Dia da Literatura Nacional

Coluna

Victor Tadeu

Hoje é 1° de Maio, Dia da Literatura Brasileira. Um dia dedicado para a comemoração de aniversário do romancista brasileiro, José de Alencar um autor que marcou a literatura nacional. Quebrando um pouco a tradição da data, nós do Desencaixados iremos homenagear alguns escritores contemporâneos da literatura nacional, assim apresentando a vocês obras e autores que tivemos o prazer de conhecer.

33% da população brasileira não lê, e 44% nunca comprou um livro. Infelizmente esse é o nosso índice de leitores em 2016, as porcentagens são assustadoras, mas não é sinônimo de falta de talento e/ou incentivo. O Brasil têm muitos livros com histórias maravilhosas e escritores talentosos, como a Esther Lya retratando cenários históricos através de suas distopias, mas não pense que só temos histórias com críticas porque também temos a Gabriela Cardial, Paula Oliveira, Cinthia Freire, Gabi Barbosa e a Carol Dias com seus romances, e por outro lado, a Catia Mourão e a Francine Locks com os hot.

Muitos dizem que ler é viajar sem sair do lugar, e nós temos vários autores que nos proporcionam uma leitura para conhecer novos ares e novos mundos, como o F.P Trotta com sua trilogia e o Wagner RMS com ficção científica, também é legal conhecer novos seres e dimensões fora do comum com histórias surpreendentes como a Daniella Rosa e Lucinei M. Campos foram capazes de escrever.

Zumbis, assombrações, entidades e todo espírito ou criatura sombria são elementos agradáveis para muitas pessoas, e alguns autores conseguiram criar histórias muito interessantes e medonhas, como Jessé Diniz, Marcus Barcelos, Cesar Bravo, Ana Beatriz Brandão e toda galerinha da Editora Illuminare que participaram de antologias de terror. Por outro lado, o “terror” e a “desgraça” podem estar acontecendo muito próximo de nós e autores como a Rô Mierling, Andrea Killmore conseguem fazer críticas super válidas com suas histórias realistas e “assustadoras”.

Fantasmas não são a praia de alguns leitores, por isso escritores como Mia Malafaia, Giovanna Vaccaro, Jéssica Figueiredo, Joana Amorim e Márcio Muniz escrevem histórias lindas, encantadoras e/ou dramáticas sobre a vida. Outros já preferem ser mais aventureiros e apresentar enigmas e missões, assim nos ensinando uma grande lição de vida e nos proporcionando uma aventura sem igual, como Ronnyel Sanpe com seus enigmas, Kátia Regina Souza com suas missões e o Luis Góes com seus casos inigualáveis.

Eu poderia escrever uma matéria imensa apresentando a vocês escritores que admiro e tenho o prazer de ter conhecido, mas seria um pouco cansativo e maçante receber muitas indicações em um só texto, por isso prometo escrever outra matéria como essa. Mas para finalizar com chave de ouro quero parabenizar todos os escritores brasileiros, e em especial o Rafael Buarque Montenegro e o Ian Fraser por escreverem história que envolve mitologia brasileira e afins.

Comentários