CRÍTICA: Unbreakable Kimmy Schmidt – 4ª Temporada (Parte 1)
31 maio

CRÍTICA: Unbreakable Kimmy Schmidt – 4ª Temporada (Parte 1)

Séries

Julia Giarola

Série: Unbreakable Kimmy Schmidt
Título original: Unbreakable Kimmy Schmidt
Ano de lançamento: 2015
Duração: 13 episódios
Criador: Robert Carlock, Tina Fey
Gênero: Comédia
Nacionalidade: EUA

Sinopse: Depois de viver durante 15 anos isolada em um culto, acreditando que era uma das únicas sobreviventes de um apocalipse que dizimou a Terra, Kimmy (Ellie Kemper) descobre que estava sendo enganada. Assim que é liberta, ela decide ir morar em Nova York, onde faz novos amigos e descobre um mundo inteiramente novo, que ela vai desbravar com um desafio por vez.

Após três temporadas sólidas e aclamadas pela crítica, Unbreakable Kimmy Schmidt cultivou uma legião de fãs dedicados que compartilham o mesmo humor peculiar e específico da série. Agora em sua quarta e última temporada, a produção da Netflix foi dividida em duas remessas de episódios, a primeira contendo 6 episódios que foram liberados na plataforma streaming dia 30 deste mês de maio; a segunda ainda sem previsão. Voltando à comédia e ao ritmo único que diferenciou tanto entre o extenso catálogo da Netflix, esta nova temporada mostra que este realmente é o momento perfeito de encerrar a jornada de KimmyTitus e companhia, já que desacelera e começa a mostra sinais de exaustão.

Unbreakable Kimmy Schmidt sempre abordou um estilo muito diferente de comédia, reduzindo seu público para um grupo específico, mas bastante impetuoso. Criando um mundo onde o absurdo agora faz parte da excentricidade do contexto criado no grupo social de Kimmy, a série estabelece um questionamento dos conhecimentos rotineiros, os colocando ao ponto de vista da alegre protagonista. Os episódios em si existem como um protesto dos padrões da normalidade exigidos, parodiando a sociedade em contraste aos personagens que tanto amamos.

Esta nova temporada volta muito bem à este humor característico e único da série, a comédia inteligente disfarçada como comédia burra. Pisque e você perderá uma piada. Utilizando discursos atuais, Unbreakable Kimmy Schmidt continua abordando tópicos polêmicos e problemas sociais com sofisticação e perspectiva fresca. As referências à cultura pop e até mesmo à política estão entranhados em cada fala dos diálogos inseridos nessa nova arremessa de episódios. Como um tema geral, a série parece ressaltar a atual e polêmica presença do assédio sexual na mídia, explorando aspectos mais complexos de maneira que apenas Kimmy Schmidt sabe fazer.

Acompanhando um interessante desenvolvimento emocional de Kimmy, esta quarta temporada parece entender a importância de concluir temas. Lidando com a maturidade em uma abordagem sutil e característica, Unbreakable Kimmy Schmidt se prepara para dizer “adeus” a seus personagens, lidando com os arcos de cada um de maneira inteligente e gradual.

Apesar de manter seu humor sagaz, a quarta temporada, porém, mostra que está encerrando no momento certo, agora que começa a exaustar suas dinâmicas, suas história e seus personagens. A primeira remessa de episódios é divertida e engraçada, mas parece desacelerar, podendo resultar em uma queda de qualidade se a série continuasse. Perdendo um pouco da sutileza das críticas sociais, Unbreakable Kimmy Schmidt tem tudo para encerrar no topo, mesmo que perca um pouco do charme das primeiras temporadas.

Nossa nota é:

 

Leia também

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *