CRÍTICA: Desventuras em Série – 3° Temporada
07 jan

CRÍTICA: Desventuras em Série – 3° Temporada

Notícias, Séries

Myrna Ariel

Série: Desventuras Em Série
Título Original: A Series Of Unfortunate Events
Ano de Lançamento: 2017
Duração: 3 temporadas
Criador: Daniel Handler
Gênero: Mistério / Comédia
Nacionalidade: Estados Unidos

Sinopse: Os órfãos Baudelaire são três irmãos muito inteligentes; Violet é a mais velha, Klaus é o irmão do meio e Sunny é a mais nova, com três anos. Quando seus pais morrem, eles passam a morar com diferentes tutores, e o primeiro é o Conde Olaf, que irá tentar roubar a herança deixada pelos pais.

 

Após terem sido forçados a incendiar o parque Caligari, os órfãos Baudelaire encontram-se mais uma vez em uma tremenda desventura. O terrível Conde Olaf sequestrou Sunny enquanto os órfãos estavam disfarçados de aberrações no Caligari, agora Violet e Klaus estão presos em um dos carrinhos do parque que está despencando da montanha Mão-Morta. Eles precisam criar algum plano rápido para escaparem da morte e tirar a irmã caçula das mãos do Conde.

Toda essa série de desventuras começou com um incêndio que levou à morte dos pais Baudelaire. Os três irmãos então foram entregues ao Conde Olaf, um tutor que só liga para a fortuna das crianças, mesmo após elas conseguirem fugir das suas garras ele as persegue por todos os lados. Enquanto tentam escapar do terrível tutor e fazer os adultos acreditarem no que eles estão dizendo, os órfãos se deparam com um mistério que envolve os seus pais e até mesmo Olaf.

Durante o tempo em que eles passaram por diversos lugares os irmãos deparam-se com as siglas C.S.C. e pessoas que um dia conheceram os seus pais. Ainda existem pessoas boas que querem o bem das crianças, mas uma cisão de um grupo criado para fazer o que é certo gerou uma série de problemas que envolvem Violet, Klaus e Sunny Baudelaire.

Desventuras em Série é uma adaptação dos 13 livros escritos por Lemony Snicket, pseudônimo de Daniel Handler, a série foi produzida pela Netflix. A terceira e última temporada chegou à plataforma no primeiro dia do ano e trouxe nos 7 capítulos o final de uma série que agradou o público.

A Netflix fez uma série pensando nos leitores de Daniel Handler, disso eu tenho certeza, Desventuras em Série é uma das melhores adaptações que eu já assisti. Muitas pessoas cresceram lendo a história dos Baudelaire e aguardavam uma adaptação melhor do que a do filme de 2004, e foi isso que a Netflix entregou.

Está temporada apresenta revelações que trazem todo um novo sentindo para a série, Lemony Snicket (Patrick Warburton) continua contando para o público a história dos Baudelaire que ele descobriu nas suas pesquisas, mas o que me surpreendeu foi a maneira como ele contou os trechos da história em que ele apareceu, pois temos os órfãos conhecendo Lemony (Isso não é Spoiler, estava no Trailer).

A evolução dos personagens foi outra coisa que me surpreendeu, podemos ver como Violet (Malina Weissman), Klaus (Louis Hyne) e Sunny (Presley Smith) estão mais maduros e chega a um ponto em que eles percebem que os únicos que podem resolver os problemas que aparecem são eles mesmos. Os atores melhoraram muito e finalmente pararam de usar tantos efeitos computadorizados em Sunny, afinal a atriz já está um pouco mais velha e é capaz de realizar algumas cenas que antes não conseguia. Em questão de atuação não foram só as crianças que deram um show, Lucy Punch simplesmente arrasou como Esmé Squalor

O ambiente em que a história é contada está muito bem construído e percebemos que nesta temporada eles utilizaram tons mais escuros em algumas cenas e mais claros em outras deixando tudo bem caricato, o que acabau sendo um ponto positivo.

A capacidade dos produtores de apresentarem personagens com características tão visíveis fez com que o público se afeiçoasse a alguns deles que foram apresentados. A terceira temporada foi a mais sentimental de todas, porque tivemos o retorno de pessoas que já vimos nas temporadas anteriores e outras que apareceram em um certo momento, e que com uma frase já conquistaram o público.

A presença e história da família Snicket na série é tão importante quanto da família Baudelaire, e como na segunda temporada conhecemos o irmão de Lemony, Jacques Snicket (Nathan Fillion), nesta tivemos a aparição da terceira irmã Snicket, Kit Snicket (Allison Williams) que apareceu em alguns trechos da temporada anterior bem rapidamente. É nos últimos capítulos que vamos entender a importância dessa família, é onde será mostrada a relação do Conde Olaf, a família Snicket e a família Baudelaire.

O último episódio traz alguns fatos diferentes do livro, Dan Handler costuma deixar os seus leitores sem respostas, mas sim com um grande ponto de interrogação. A série procurou responder algumas perguntas, nem tudo foi explicado, o paradeiro de alguns personagens ainda é um mistério, mas tivemos um final que não perdeu a essência da série.  

Desde criança a história de Desventuras em Série é uma das que mais me fascina, é uma história que fala sobre nobreza, família, sobre ser uma das pessoas que ajudam a pagar incêndios enquanto outros provocam, sobre você se igualar ao seu inimigo para derrota-lo, e é com esse pensamento que a série traz frases como: “Combater fogo com fogo torna o mundo cinza” ou “Uma biblioteca é uma ilha num grande mar de ignorância”. Assisti a essas três temporada só me fizeram lembrar o quão linda essa história é, apesar das desventuras a série traz uma mensagem que deve ser lembrada, e que como um bom voluntário você deve usar os seus dons para fazer o bem, afinal “Aqui o mundo é sereno”.

Nossa nota é:

Assista ao Trailer

Comentários