RESENHA: Submerso
07 maio

RESENHA: Submerso

Resenhas

Victor Tadeu

Título: Submerso
Autor: Eduardo Cilto
Editora: Planeta de Livros
Gênero: Ficção/Romance
Número de páginas: 192
SKOOB

Adquira aqui: Amazon

Sinopse: “ELETRIZANTE. EMOCIONAL. O RETRATO DE UMA GERAÇÃO.
Aos dezessete anos, Dimitri não é mais capaz de enxergar a si mesmo quando encara o próprio reflexo no espelho. DIvidindo seu tempo entre o colégio e um emprego na última locadora de filmes da cidade, ele vê sua realidade colidir quando um simples encontro com os amigos acaba sendo gatilho para uma de suas maiores crises.
Lutando contra a nova vida e consigo mesmo, Dimitri é obrigado a passar o resto do ano em um acampamento para jovens desajustados que promete colocá-lo de volta aos eixos. POrém, um lugar que abriga tantos desajustados pode não ser tão perfeito quanto todos pensam, o que antes parecia ser a solução dos problemas, acaba se tornando apenas o começo de um dos maiores deles.
“É no caos que minha mente se esvazia e meus pensamentos se encontram”.”

 

Dimitri tem 17 anos e vive em São Paulo junto com seu pai, um homem que preocupa muito com as atitudes e decisão do filho. Devido alguns problemas familiares o garoto passa a maior parte do tempo reconciliando a escola, emprego e seus problemas pessoais. Após a perda da mãe, o lar em que vive começou passar por algumas mudanças, principalmente sentimentais, e infelizmente Dimitri sofre constantemente com a ausência da mãe.

Apesar dos serviços de streaming e portais com filmes e séries pirateados, Demo — apelido recebido pelos amigos — trabalha em uma locadora localizada próxima de sua casa, mas tudo começa a tomar rumos diferentes quando ele aceita o convite de ir para um bar na Avenida Paulista junto com sua amiga Clarissa, na qual Bernado — amigo de ambos — também trabalha. Provavelmente a idade seria um impedimento para eles entrarem no estabelecimento, mas com a identidade falsa foi tudo facilitado, só que, ao mesmo tempo um dos maiores problemas daquela noite.

Já dentro do estabelecimento com censura para pessoas que têm mais de 18 anos, Dimitri e Clarissa aproveitam o máximo que podem do local, mas, um grupo de amigos começa atrapalhar a diversão deles quando abordam Clarissa de forma grotesca e humilhante tentando beijá-la. O resultado de toda a insistência foi a pior de todas, Demo e Clarissa agrediram os meninos chamando a atenção da responsável do estabelecimento e a polícia é acionada para estabilizar o confronto.

O pai de Dimitri foi convocado na mesma noite para a delegacia, pelo contrário, Clarissa foi mais esperta e sumiu a identidade falsa, deixando somente Demo respondendo pelo crime de falsificação ideológica. O pai do garoto convence os policiais que ele jamais irá repetir o ato e como forma de punição pensada pelo avô paterno, Dimitri aceita ir para o Acampamento Misfit, um local afastado repleto de jovens rebeldes. E é nesse acampamento que a vida do garoto irá mudar por completo.

Submerso, de Eduardo Cilto é o segundo livro do youtuber publicado pela Planeta de Livros. A obra é um romance recheado de aventura, suspense e contém assuntos muito importantes e preocupantes diante da sociedade que hoje vivemos. Por isso, continue fazendo a leitura dessa resenha e confira a nossas impressões sobre a história.

Infelizmente lidar com perdas não é um fator muito fácil para ninguém ninguém, principalmente quando é uma pessoa que temos um grande afeto e faz muita importância em nossas vidas. Devido à ausência da pessoa, tendemos não saber como aceitar o fato com rapidez, por isso, alguns acreditam que a forma de acabar com a angustia que anseia em seus corações é aceitando que a vida é mais dolorosa que a morte, o que resulta em tristes suicídios ou casos semelhantes.

“— O mundo é um lugar complicado. — Finalmente tenho coragem de dizer, dando alguns passos para trás e desviando o olhar para o céu escuro. — Situações complicadas nos tornam complicados. (página 12)”

Dimitri sofre constantemente com a perda da mãe, tudo aparenta que ele passa por sessões psicológicas fazendo o máximo para amenizar o vazio que ocupa seu coração. Parece ser um assunto muito clichê em histórias, principalmente em ficção, mas indesejavelmente casos como o de Demo é presente em vários locais do mundo e recentemente os diagnósticos vem aumentando e levando os profissionais do ramo à preocupação.

Eduardo Cilto teve uma grande responsabilidade em retratar esse problema social e psicológico em sua história, é muito admirador encontrar uma pessoa muito influente nas redes sociais abordando a realidade de pessoas que sofrem por inúmeros fatores. Além disso, Submerso é ainda mais satisfatório quando o autor optou por caminhar pelo trajeto de autorreconhecimento durante a criação da história.

Dimitri reconhece que não está muito bem e isso acaba sendo outro elemento da história muito bem elaborado, dar o primeiro passo é sempre fundamental para mudanças em nossas vidas e foi isso que Demo fez — não é spoiler, são acontecimentos iniciais da história —, a forma que ele encontrou de tentar ser uma outra pessoa e sair daquela áurea negativa foi alterando pequenas coisas em suas vidas, consequentemente essa é uma das incríveis mensagens que o livro nos passa; dar oportunidade para as mudanças é fundamental, principalmente quando mudar está sendo necessário em sua vida.

Outros assuntos gritantes também são apresentados na história, como o uso constante de drogas por alguns adolescentes, a intolerância LGBTQ+, abuso de poder e entre outros. Apesar de Submerso dotar esses temas diversos e aparentemente pesados, Eduardo Cilto conseguiu escrever de forma leve, sem romantizar, os acontecimentos diante dos temas dentro da história. Além disso, fielmente ele também foi capaz de seguir a trama da obra — pitadas de aventura, romance e suspense — sem perder o rumo e/ou a essência da história.

A escrita de Eduardo Cilto é muito simples e engajada, no início da história ele consegue prender o leitor até o final. Esse foi o primeiro livro do autor que tive contato, ou seja, não sou capaz de definir a evolução/mudança dele como escritor de Traços para Submerso, mas tudo indica que ele conseguiu trazer uma história um pouco mais chocante e com temas mais fortes, pois o mesmo assumiu em um vídeo que ficou limitado ao escrever Traços por não ter muito conhecimento nos assuntos que queria tratar, e na base de muito estudo conseguiu finalizar Submerso após um ano e alguns meses. Clique aqui para saber mais.

“Não que eu acredite cem por centro no que digo, mas, às vezes, temos de nos demonstrar otimistas para apaziguar o coração de quem é importante para nós. (página 33)”

A edição do livro está incrível, mais uma vez a Planeta de Livros teve um capricho muito visível ao editar Submerso. A capa do livro faz jus à história e, além disso, as tonalidades escolhidas deixou ela muito linda; a diagramação está incrível, a fonte está agradável, o tamanho essencial e o espaçamento está ótimo, tudo colaborando para uma leitura prazerosa. Em todo início de capítulo somos recepcionados com uma música e confesso que essa ideia foi incrível para o livro, pois todas elas têm envolvimento com a história.

Para finalizar Submerso é um livro que contém uma história emocionante e tocante, recomendamos ele para todas as pessoas, principalmente para a comunidade LGBTQ+ (existe representatividade na história) e para quem gosta de um bom suspense com teor de aventura. Mas, e aí, o que aconteceu com Dimitri dentro do Acampamento Misfit? Descubra agora mesmo fazendo a leitura de Submerso!

Leia também:

• RESENHA: O Meu Melhor Amigo é Gay.
• RESENHA: Não Tão Primos.
• RESENHA: Moletom.
• RESENHA: Mulheres Que Não Sabem Chorar.

Comentários