RESENHA: Operação Red Sparrow
04 abr

RESENHA: Operação Red Sparrow

Resenhas

Julia Giarola

Título: Operação Red Sparrow
Autora: Jason Matthews
Editora: Arqueiro
Gênero: Policial
Número de páginas: 432
SKOOB

Adquira aqui: Amazon

Sinopse: Desde pequena, o sonho de Dominika Egorova era fazer parte do Bolshoi, o balé mais importante da Rússia. Após ser vítima de uma sabotagem, porém, ela vê sua promissora carreira se encerrar de forma abrupta. Logo em seguida, mais um golpe: a morte inesperada do pai, seu melhor amigo.

Desnorteada, Dominika cede à pressão do tio, vice-diretor do serviço secreto da Rússia, o SVR, e entra para a organização. Pouco tempo depois, é mandada à Escola de Pardais, um instituto onde homens e mulheres aprendem técnicas de sedução para fins de espionagem.

Em seus primeiros meses como pardal, ela recebe uma importante missão: conquistar o americano Nathaniel Nash, um jovem agente da CIA, responsável por um dos mais influentes informantes russos que a agência já teve. O objetivo é fazê-lo revelar a identidade do traidor, que pertence ao alto escalão do SVR.

Logo Dominika e Nate entram num duelo de inteligência e táticas operacionais, apimentado pela atração irresistível que sentem um pelo outro.

Clique aqui  para ler um trecho grátis.

Vivendo em um mundo de completo caos político, nossa atualidade com certeza está longe de ser considerada entretenimento. Novas perspectivas, porém, encontram uma maneira de expor essa triste realidade em contextos de espionagem e jornadas pessoais, trazendo reflexão sobre governo juntamente com a emoção de estar inserido em uma história eletrizante. Operação Red Sparrow da editora Arqueiro oferece exatamente isso, com um aspecto político intenso, mas com uma trama boa o suficiente para o escapismo da realidade.

Construindo um mundo tenso inserido na vida de espionagem e conflitos políticos, o livro escrito por Jason Matthews estabelece um nicho específico de leitores já que se apoia bastante em muitos detalhes da política interna e do mundo burocrático que se passa. Este excesso de informações técnicas pode afastar parte do público que não está interessada nessa intensa atenção aos detalhes. Isso sendo dito, Operação Red Sparrow consegue explicar o bastante sobre procedimentos para ajudar o leitor a acompanhar a trama de intenso aspecto político. Durante a leitura a história se mescla aos detalhes, adquirindo um novo ritmo para os que aquentaram chegar até ali. O livro é antes de tudo um thriller político.

Dentro deste contexto, então, Jason Matthews explora alguns temas interessantes, voltando à paranoia do cinema dos anos 70, uma paranoia pós Guerra Fria, onde o grande inimigo é estrangeiro, isso tudo, porém sobre uma nova visão. Atualizando a temática ao capitalismo globalizado, Operação Red Sparrow inova esse conceito, explorando os dois lados dessa paranoia. As interessantes perspectivas sobre política expostas no livro conseguem balancear bem entre opinativo e objetivo, construindo uma história comentada dentro da realidade atual.

“A ironia disso tudo, diziam os professores, era que os Estados Unidos estavam em franca decadência, já não eram mais a potência de outros tempos. Depauperando-se com as guerras prolongadas, sofrendo com os indicadores econômicos, o suposto berço da igualdade vinha chafurdando em conflitos de classe e numa nociva política de ideologias conflitantes.”

Um ponto negativo do livro são os diálogos que, em contraste com a forte narrativa, são relativamente fracos. Nada muito absurdo, mas acompanhando uma visão bem construída entre descritiva e opinativa, as falas dos personagens não fazem jus a complexidade e sofisticação que foi estabelecida desde o começo. A interação entre as pessoas são eficazes, mas são os diálogos em si que pesam um pouco a tonalidade realista que o livro decide tomar.

Relatando objetivamente o passado, Operação Red Sparrow caracteriza bem todos os seus personagens, acompanhando desde a evolução de Dominika, até motivações mais obscuras de personagens coadjuvantes. Explorando um aspecto interessante sobre a habilidade da protagonista de conhecer a intensão das pessoas, o livro apresenta uma característica intrigante esta enxerga intensões como cores. Isso além de ajudar o leitor a entender como Dominika vê o mundo, é também uma técnica muito eficiente para sair das descrições que estamos acostumados, implantando um diferencial dentro da própria história.

“(…) observou o tom alaranjado das parábolas que se formavam em torno dos ombros do oligarca e pensou: interessante, o amarelo da falsidade misturado ao vermelho da paixão. Zhitvotnoe. Animal.”

Existe sim um aspecto sexual no livro, mas tudo é lidado muito bem. As descrições são condizentes com o restante da trama, explorando não somente a vida das pessoas que estão inseridas nesse mundo, mas também um lado pessoal na história de Dominika. Durante os treinamentos e acontecimentos, conseguimos entender que a personagem vai muito mais além de sua beleza e sensualidade, provando desde o começo suas habilidades de persuasão e manipulação.

“Enquanto se tornava cada vez mais forte e flexível, Dominika percebia algo novo brotar em seu corpo, uma consciência da própria feminilidade. Não era exatamente lascívia, uma vez que guardava a própria sexualidade apenas para si.”

Sem entrar em mais detalhes sobre a trama, Operação Red Sparrow é um livro que merece ser experienciado sem spoilers, pois apoia bastante nas reviravoltas para funcionar até o final. A leitura é um pouco pesada devido ao grande número de páginas e narrativa detalhada, porém a fonte do texto ajuda a fluir com bastante conforto. Entre as perspectivas disponibilizadas pelo livro e os próprios elementos da história, esta nova edição disponibilizada pela Arqueiro com certeza vale a pena dar uma conferida!

Leia também

Comentários