RESENHA: O Amor Está no Ar
05 jul

RESENHA: O Amor Está no Ar

Resenhas

Victor Tadeu

Título: O Amor Está no Ar
Organização: Alan Silva
Editora: Independente
Gênero: Antologia/LGBTQ+
Número de páginas: 94

Adquira aqui: O Vicio Olimpiano Storie

Sinopse: O amor está no ar.

Amor, dramas, tragédias. Esta antologia reúne contos sobre dores, traumas e a beleza de ser LGBTQ+. Uma sigla grande, capaz de englobar uma multidão de pessoas que, no fim das contas, apesar de tudo, só quer amar e viver em liberdade.

Se o amor está no ar.
Nos deixe amar.

Após anos sendo extremamente massacrados pela sociedade, ultimamente as minorias estão conseguindo ocupar espaços incríveis, na qual, está consequentemente aumentando a visibilidade e representatividade deles. Os LGBTQ+ sofrem cotidianamente devido ao que são e, felizmente, estão sendo bem representados em diversos meios de entretenimento, principalmente nos livros. Esse é o caso de O Amor Está no Ar, uma antologia organizada por Alan Silva, que conta com a participação de vários outros autores do Wattpad.

Publicado em formato independente, O Amor Está no Ar contém diversos contos do meio LGBTQ+ na qual são balanceados em vários gêneros literários. Durante a leitura da obra, os leitores irão conhecer personagens apaixonados, descriminados, marginalizados, empoderados e em diversas outras situações que refletem na realidade individual de cada LGBTQ+ diante de uma sociedade desenvolvida e organizada por intolerantes.

Os autores dessa antologia fizeram um trabalho incrível ao decidir abordar assuntos extremamente importantes e relevantes em suas histórias. Sabemos que recentemente muitas grandes empresas estão desenvolvendo conteúdos focados nas minorias para gerar lucro, ou seja, forçando uma representatividade industrializada, o que é acompanhada por pontos positivos e negativos. Porém, é muito nítido percebermos que em O Amor Está no Ar a ideia central é enaltecer os LGBTQ+ e demonstrar de formas diversas a realidade de cada um deles.

“Pelo modo como me olham. Nunca serei passível de amor? Ou, talvez, de um desejo que dure até depois que eu tire minhas roupas? (página 30, versão digital)”

Um ponto extremamente positivo e que merece ser esclarecido nessa resenha, é que nessa antologia não iremos conhecer somente histórias de homens homossexuais, muito pelo contrário. Homens trans, mulheres homossexuais, pansexuais e outras orientações sexuais e/ou identidade de gênero são tratadas no decorrer dos contos. Além disso, é válido lembrar que os contos fazem referência à algumas músicas que são catalogadas nas primeiras páginas.

Outro elemento muito importante que deve ser mencionado, é que, além da inclusão LGBTQ+, os autores também foram responsáveis o suficiente para quebrar o estereótipo de um LGBTQ+. Assim, eles deram voz a um deficiente visual homossexual, também somos levados à era medieval, na qual, um príncipe tem atração e sente amor por outros homens, várias outras inclusão e quebra de estereótipo são feitas em diversas histórias.

                       “A vida não é um drama! Pare de esperar finais felizes! (página 44, versão digital)”

É muito comum encontrarmos militância em histórias que as minorias são abordadas, porém de forma passiva e totalmente sútil, os autores conseguiram passar suas mensagens no final de cada conto. Utilizando um vocabulário simples, sem deslizes e totalmente compreensíveis, eles foram capazes de adaptar a obra para diversos públicos, o que acaba expandido os espaços que a antologia pode ocupar, e, o público que pode consumir as histórias.

O trabalho indie — independente — realizado pelo organizador Alan Silva está de parabéns. Os materiais escolhidos para um exemplar físico são de total qualidade, a diagramação está incrível — tanto na versão física, quanto na digital —, a capa é simples, mas contém uma ilustração muito fofa e tudo colabora para uma leitura prazerosa e engrenada.

O Amor Está no Ar, organizado por Alan Silva e que contém a participação de Cindy Lima, Dário Silva, E. N. Andrade, Isabel Cristina, Maria Freitas, Nadabe Souza e Vinicius Mattos, é uma antologia muito bem esquematizada e desenvolvida, na qual, tem a capacidade de agradar todos os públicos de formas divergentes. Adquira um exemplar agora mesmo, e desbrave das histórias nela disponíveis.

 

Leia também:

• RESENHA: O Meu Melhor Amigo é Gay.
• RESENHA: Não Tão Primos.
• RESENHA: Moletom.
• RESENHA: Submerso.

 

Comentários

  • Alan Nascimento

    Que resenha maravilhosa!!! Estou muito chocado e feliz com toda essa repercussão. Obrigado desencaixados por entenderem as mensagens nessa obra. Vocês foram incríveis.