RESENHA: Moletom
22 dez

RESENHA: Moletom

Resenhas

Victor Tadeu

Título: Moletom
Autor: Julio Azevedo
Editora: Globo Alt
Gênero: Ficção/LGBT
Número de páginas: 168
SKOOB

Adquira aqui: Submarino l Amazon

Sinopse: Em ‘Moletom’, Julio Azevedo — o jovem autor da página de mesmo nome do Facebook — mostra, por meio de uma narrativa envolvente e ilustrações poéticas, que não adianta tentar fugir dos problemas: eles nos perseguem até que os encaremos de frente. Seu protagonista, Pedro, está fugindo de algo. Ele acaba de chegar em uma nova cidade, onde ficará hospedado na casa da tia por algum tempo, e essa mudança representa para ele um recomeço, um escape de algo que está causando uma grande angústia. Assim que chega a esse novo ambiente, no entanto, ele conhece Lucas, um garoto que despertará exatamente os sentimentos que ele estava tentando evitar.

 

Pedro é um garoto novo que recentemente teve uma discussão com seus pais após contar sobre a sua sexualidade. Inconformado com os problemas que carregava dentro de casa e a obrigação de conviver com pessoas intolerantes ele decide mudar de cidade, assim, indo morar com sua tia para recomeçar a vida e correndo de qualquer forma de discriminação possível.

O garoto estava caminhando tranquilamente nas ruas da nova cidade, até que uma chuva aparentemente pesada começa a cair do céu. Como ele tinha alguns manuscrito na mochila decide correr para a cafeteria mais próxima que encontrasse, assim, salvando todos os seus textos de uma vez por todas. Entrando no estabelecimento, Pedro pede ao atendente uma xícara de café e sem perceber, devido a aflição, pede outras até que o atende fica um assustado.

Lucas, o atendente muito atencioso pergunta ao garoto se está tudo bem com ele. Um pouco incomodado com a situação Pedro diz que sim e envergonhado sai da cafeteria, mas acaba esquecendo a sua mochila. No outro dia ele retorna ao local e busca o seu pertence, só que Lucas muito interessado na vida do novo morador da cidade, começa uma conversa e foi a partir desse dialogo que nasceu uma grande amizade.

Percebendo que ambos tinham amigos em comum, um relacionamento mais próximo começa a ser criado entre os dois meninos. Quando eles menos esperam, um estar caído pelo outro, e o fato da timidez tomá-los por completo acaba atrapalhando um pouco. Por um lado temos Pedro, um garoto que está descobrindo a vida agora, e por outro, Lucas, está interessado em conhecer um pouco mais da vida de Pedro.

Moletom é o primeiro livro do Julio Azevedo, um menino de 18 anos residente em Natal, no Rio Grande do Norte. O livro foi inspirado na sua página do autor no Facebook que foi criada em 2016 onde ele compartilha suas ilustrações, ideias e poesias. Publicado pela Globo Alt, essa obra é focada em um romance LGBT muito prometedor.

Todo mundo sabe que quando o assunto é minorias uma grande parte da população brasileira se incomoda por ser intolerante a vários movimentos inclusos em minorias. O movimento LGBT pode ser considerado o mais incomodativo, principalmente para a família tradicional brasileira, ou seja, as pessoas mais conservadoras que além de não aceitar também não respeitam. Infelizmente esse preconceito é atingido dentro da literatura, mas diante de tanta revolução e manifestação esse quadro vem mudando para melhor.

Representatividade é algo muito necessário dentro da nossa sociedade, seja representatividade feminina, negra, sexual e afins. É muito comum as pessoas tratarem arte como forma de manifestação, e recentemente muitos autores estão utilizando a literatura para fazer uma crítica social de forma bastante agradável, e um grande ponto positivo desses autores, é que as minorias estão sendo inclusas e representadas em histórias maravilhosas.

“Encarar um recomeço não como uma perda, mas como uma oportunidade de não repetir os mesmos erros é o que vem me ajudando a seguir em frente. (página 17)”

Diante de uma sociedade muito preconceituosa, é bastante difícil contar para seus pais sobre a sua orientação sexual — quando não é heterossexual —, para muitos responsáveis no início é complicador aceitar o filho fazer parte de “pecadores” — segundo alguns religiosos — e esse é um assunto bem retratado na história de Moletom.

Apesar de Julio Azevedo ter abordado um assunto muito importante em sua obra, não é somente isso que ela fala, muito pelo contrário, em Moletom encontramos um romance muito gostoso de ser lido. O romance é homoafetivo, idealizado por Pedro e Lucas, os dois novos amigos. Um fato muito importante e relevante do romance deles é que em nenhum momento o autor foi capaz de erotizar o relacionamento, e a falta de erotização foi uma das ideias que mais me agradou durante a leitura do livro.

É muito comum encontramos pessoas falando que os integrantes do movimento LGBT só pensam em sexo, chegam até dizer que “são um bando de safados”. Infelizmente alguns autores acabam reforçando isso em histórias eróticas com personagens LGBT, não é uma ideia ruim, todos nós gostamos de ter relação sexual, mas acaba tornando uma abordagem chata quando a história é somente isso, dando a entender que essas pessoas só pensam em sexo, assim aumentando a visão marginalizada que a sociedade tem sobre os LGBT.

O relacionamento de Pedro e Lucas acontece muito rápido, muitas pessoas não gostam de romances rápidos — sou uma delas —, mas compreendendo a história de ambos e consigo dissertar o fato deles terem apegados um no outro muito apressadamente. Os dois são pessoas carentes, com vontade de gritas aos quatro cantos do mundo a sua verdadeira sexualidade, e devido à sociedade opressora e a família um pouco tradicional, fica um pouco complicado. Por isso eles agarraram um no outro tão instantaneamente, parece que abraçaram a primeira oportunidade de viver intensamente como realmente queriam, assim libertando uma vontade que guardavam para si mesmo por muitos anos.

Sei que vários leitores associam romances rápidos como algo ruim, mas em Moletom não é bem assim, Julio Azevedo conseguiu escrever uma história de duas pessoas homossexuais muito gostosa de ser lida. A forma que o autor descreveu os sentimentos dos personagens é muito leve e fofo, o jeito que Pedro e Lucas tratam um ou outro é muito real, principalmente para quem já teve um relacionamento e é LGBT e felizmente isso me agradou de uma forma incrível, pois o autor não fantasia a realidade dos Homossexuais, Bissexuais, Transexuais, Transgêneros e afins.

“Bloqueei a tela do celular e o coloquei junto ao peito. Até quando evitar o problema ia sustentar essa ilusão de que ele estava resolvido? (página 75)”

Os personagens criados pelo autor fora muito bem idealizados, em nenhum momento eu me decepcionei com eles, muito pelo contrário, me apaixonei por todos de pouco em pouco. A escrita de Julio colaborou muito para uma história tão fofa como Moletom, ele escreve de forma sútil e fluída, assim eliminando qualquer ponta solta ou momentos irrelevantes na obra. O vocabulário do autor é muito tranquilo, não tem nenhuma militância e é bem-vindo para todos de qualquer idade.

Como o livro é inspirado na página do autor no Facebook, fica mais do que óbvio que haverá ilustrações impecáveis durante a leitura da obra. Confesso que li a obra sem saber o nome do autor, pois não gosto de ficar lendo sinopse, prefiro ser surpreendido de todas as formas, sem nenhuma base, e quando descobri que era do Julio Azevedo fiquei bastante feliz, pois não conhecia o trabalho dele e agora já me tornei um grande fã. A capa do livro condiz bastante com a história, inclusive eu achei ela maravilhosa, amo capas ilustradas e para concluir a diagramação da obra está ótima, o tamanho da fonte e o espaçamento colaboram para uma leitura agradável aos olhos.

Enfim, indico Moletom para todos, principalmente para você que é LGBT ou tem alguém do movimento na família, creio eu que te ajudará bastante. Também indico para você que gosta de um romance fofo, sútil e com ilustrações encantadoras. Mas e aí, será que Pedro e Lucas conseguiram aprofundar no relacionamento? Descubra e conheça essa romance agora mesmo adquirindo o seu exemplar!

Leia também:

RESENHA: O Meu Melhor Amigo é Gay.
• RESENHA: Não Tão Primos.
• Filmes com temática LGBT.
• Batalhando a Homofobia com a Arte.

Comentários

  • Helanaohara

    Olha, gostei do enrende e a história de Moletom, é algo muito de ler, romance LGBT é sempre bem vindo, ele sendo curto ou não, acredito que Julio conseguiu colocar o que precisava nas poucas páginas.

  • Simeia Da Silva Perpetuo

    um romance fofo e rápido, era tudo que eu precisava pra retomar minhas leituras. Amo livros nessa temática, amei demais a ideia do título e fiquei curiosa pra saber mais o porque. curiosa ao extremo quanto a história.

  • Jennifer

    Nossa parece ser bem interressante esse livro, gostei de saber um pouco mais.
    https://blogdajenny2014.blogspot.com.br/

  • Célia Guimarães

    Oi, tudo bem? Achei sua resenha bem completa e explicativa. Não é um livro que eu leria mas, achei muito bem feito e criativo, independente do tamanho, um livro bom é bom de qualquer forma. beijos

  • Anna Caroline

    Oi, tudo bem?
    Eu não conheço a página do Julio, mas vou procurar agora, quem sabe conhecendo um pouco mais do trabalho dele eu não realize a leitura. De fato romances rápidos me incomodam um pouco, mesmo tendo uma justificativa, não me sinto conectada aos personagens… mas como disse vou procurar saber um pouco mais sobre o autor e quem sabe eu não dou uma chance.
    Beijos

  • Mariana Maiz Pirolo

    Fiquei super curiosa a respeito desse livro quando vi a divulgação no lançamento. Acho que deve ser uma leitura muito gostosa.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

  • Julia Rios

    Ooi, tudo bem? Eu adorei a resenha! Sua escrita é bem leve e não sei, confortável de se ler haha! <3 Nunca ouvi falar do livro, mas parece ser bem fofo. Estou com uma lista infinita de livros para ler esse ano, mas darei uma pesquisada nesse, quem sabe não faz parte dessa bagunça, né? Haha. Abraços :)