RESENHA: Memórias da Emília
02 jan

RESENHA: Memórias da Emília

Resenhas

Victor Tadeu

Título: Memórias da Emília
Autor: Monteiro Lobato
Editora: Biblioteca Azul
Gênero: Infantil/Fantasia
Número de páginas: 208
SKOOB

Adquira aqui: Amazon l Submarino

Sinopse: A edição em capa dura reúne algumas das primeiras ilustrações feitas para a obra de Monteiro Lobato. No livro, a boneca de pano mais famosa da literatura brasileira conta com a ajuda do sábio Visconde de Sabugosa para montar um livro de memórias. Misturando fatos reais e invenções, Emília filosofa sobre a vida e a morte, expressa suas visões de mundo e dá palpites sobre todos os assuntos do Sítio. Além disso, relembra suas aventuras com o anjinho da asa quebrada, com Popeye e o Capitão Gancho e a visita aos estúdios da Paramount Pictures, em Hollywood.

Emília é uma boneca de pano que ganhou vida e foi curada pelo Dr. Caramujo após tomar uma “pílula falante”. Vivendo em um sítio muito receptivo e cheio de aventuras, a boneca sempre anda aprontando uma atrapalhada junto com Narizinho, Pedrinho e os outros companheiros. Com uma personalidade forte e sempre mantendo a pose mandona, Emília começa a ter ideias muito difíceis para colocar em plano.

Incomodada com a ideia que até então não havia sido colocada em ação, ela começa buscar por ajuda e o mais apropriado para satisfazer seus desejos é Visconde, um sabugo de milho muito inteligente. A boneca estava querendo escrever suas filosofias de vida, através de suas memórias e compartilhar para o mundo todo em formato de livro.

No início é um pouco difícil para ambos, pois Emília é um pouco autoritária e deseja tudo conforme do seu jeito, ninguém podia dar opiniões que iriam contra a sua. Com um pouco de dificuldade em saber por onde começar e o que contar, o sabugo de milho começa escrever tudo que a boneca dita e assim inicia uma coletânea de aventuras inesquecíveis.

Cansada de ficar ditando Emília deu o assunto para Visconde escrever e sai para resolver alguns problemas, custando para lembrar das aventuras da boneca falante, o sabugo escreve tudo nos mínimos detalhes para satisfazer a mais querida só sítio. E assim você conhece as atrapalhadas mais engraçadas e animadas passada por Emília e seus amigos.

Memórias de Emília é um livro escrito por Monteiro Lobato e publicado pela Globo Livros com o selo Biblioteca Azul. Essa resenha é da edição capa dura, ou seja, uma edição ilimitada e para colecionadores que são fãs da série. Mesmo não sendo colecionador, irei abordar alguns assuntos muitos relevantes e importantes da história e da edição durante a resenha.

Sítio do Picapau Amarelo é conhecido por muitos brasileiro quando a Globo resolveu transmitir o seriado em 2001 até 2007. As histórias que passam no seriado foram inspiradas nos livros escritos por Monteiro Lobato, ou seja, o mesmo que deu origem a quase todos os personagens, pois alguns são inspirados em lendas folclóricas.

Os livros do autor também já haviam inspirados outras duas versões da série que foram transmitidas anos atrás em emissoras diferentes. Muitas pessoas adoravam assistir Sítio do Picapau Amarelo e acompanhar as aventuras de todo aquela turma da bagunça, mas infelizmente não são todos que ainda tem contato com a série, pois ela é reprisada somente pelo Canal Cultura e, além disso, a emissora transmite somente os episódios das quatro primeiras temporadas.

Muitas pessoas sabem que adaptações cinematográficas são portas para o incentivo da literatura, é muito comum assistirmos uma série ou filme e depois descobrir que existe um livro sobre a história, o legal de tudo isso, é que sempre procuramos adquirir um exemplar e saber mais sobre o que aconteceu em cenas não transmitidas nos filmes e/ou séries.

“— Verdade pura! Nada mais difícil do que a verdade, Emília.
— Bem sei — disse a boneca. — Bem sei que tudo na vida não passa de mentiras…
(página 11)”

Felizmente esse foi o meu caso com Memórias de Emília, eu tenho um amor muito grande pela história, sempre assistia a série pela Globo e lembro muito bem que pararam de transmitir. Como eu era muito novo, não sabia o motivo e só voltei a ter contato com os personagens criados por Monteiro Lobato ao fazer a leitura dessa obra.

Durante a leitura do livro eu fiquei muito emocionado e ao tempo mesmo extremamente feliz em saber que mesmo sendo uma edição nova, com capa dura e procurando ser adaptada na contemporaneidade o autor conseguiu manter todo o “linguajar” que os personagens usavam na época em que a história é narrada. Eu fiquei muito emocionado quando todas palavras utilizadas por Emília me fazia lembrar os momentos em que eu deitava no sofá para me deliciar e desfrutar dos momentos cômicos passados pelos protagonistas.

Uma ideia que Monteiro Lobato utilizou na obra foi o fato de incluir personagens de outras histórias, não só as histórias nacionais, mas sim de outras nacionalidades, como: Alice no País das Maravilhas, Popeye, Peter Pan, Capitão Gancho e entre outros. Essa ideia me agradou de uma forma inegável, pois remeteu bastante ao fato de o livro ser infantil e ao mesmo tempo capaz de agradar todas as idades.

Como dito eu não tive nenhum contato com Sítio do Picapau Amarelo desde que a série parou de ser transmitida na Globo, então eu não sabia muito bem se existiam livros que pudessem me satisfazer, eis que o site tornou parceiro da Globo Alt e eu consegui descobrir essa fonte maravilhosa de obras incríveis sobre a série. Esse é o primeiro livro que fiz a leitura, sei que existem outros e também alguns já foram adaptados para versão ilimitada como Memórias de Emília.

Confesso que já faz um tempo que fiz a leitura dessa obra e só agora estou escrevendo a resenha, isso aconteceu devido aos eventos que cobrir em Novembro e as festividades de Dezembro, na verdade todas as resenhas atrasaram por isso. Antes de começar a falar da edição editorial, gostaria de pedir desculpas por prometer a resenha em Novembro, mas publicar somente em Janeiro, o legal de tudo isso, é que você já começa 2018 com uma indicação maravilhosa.

A capa do livro condiz muito com a história, nela encontramos umas ilustrações que narram perfeitamente o momento em que Emília coloca o pobre coitado do Visconde para escrever, além disso, ainda na capa existe um conteúdo muito bacana que encontramos no final na obra, que é sobre as ilustrações e evoluções ilustradas da boneca de pano.

“— Todo o mal vem da língua — afirmava a boneca. — E para piorar a situação existem mil línguas diferentes, cada povo achando que a sua é a certa, a boa, a bonita. (página 31)”

Em todos os capítulos existem ilustrações, sejam elas de momentos das histórias ou da Emília e suas mudanças, além disso, em todos os capítulos somos recepcionados com folhas amarelas que combinam perfeitamente com a cor da capa, elas nos apresentam o nome do capítulo e o subtítulo do mesmo, e algumas das vezes também têm ilustrações na divisão dos capítulos.

A diagramação dessa obra está inteiramente impecável, a fonte escolhida é bastante nítida para uma pessoa fazer a leitura sem problemas, o tamanho dela é muito confortável aos olhos e o espaçamento entre linhas colabora para uma leitura agradável. Claro, como dito as ilustrações que existem na obra também é um complemente muito bacana e ela ajuda engajar na leitura de forma muito rápida.

Monteiro Lobato é um escritor fantástico, gostei muito de conhecê-lo novamente, mas agora pela escrita, onde nasceu todo o seriado de Sítio do Picapau Amarelo. Eu andei reparando, a essência dos personagens não mudaram em nenhum momento, mas as circunstâncias e teorias tiveram suas alterações, mas nada que atrapalhe a leitura, muito pelo contrário, fortalece e empolga mais ainda.

Memórias da Emília, escrita por Monteiro Lobato e publicado pelo selo editorial Biblioteca Azul é um livro que super recomendo para todos, apesar de ser infantil, eu tenho a certeza que os jovens e adultos irão amar fazer a leitura e passarão por um momento de pura nostalgia durante as aventuras feitas por toda essa turma da bagunça.

Leia também:

RESENHA: Moletom.
• RESENHA: E Se Ela Soubesse.
• RESENHA: O Sol Também é uma Estrela.
• RESENHA: O Meu Melhor Amigo é Gay.

Comentários

  • Morgana Brunner

    Oiii tudo bem?
    Que demais essa dica, eu sou apaixonada pela Emília e adoraria ler a obra, parece ser linda e cheia de aventura, ela sempre é tão engraçadinha e amada <3
    Beijinhos

  • Pah

    Já tive contato com as obras do Monteiro, mas ainda não conhecia essa edição publicada pela Globo, adorei o trabalho de edição feito pela editora e acredito que tenha deixado a obra ainda mais encantadora
    bjos

  • Raíssa Nantes

    Ah! Monteiro, confesso que sempre amei muito a primeira série que surgiu do Sítio do Pica-pau Amarelo, mas nunca tive curiosidade em ler as obras do autor. Pra falar com sinceridade ainda não tenho. Fico feliz que tenha tido essa vontade e esteja curtindo a experiência.

  • Alessandro Bruno

    Viajei no tempo agora, adoooro todos os livros de Monteiro Lobato e a boneca Emília sepre foi minha personagem preferida deles! A sua resenha ficou ótima e meu deu muita nostalgia da minha infância na distante décade de 1980.

    Amei o texto, agradeço muito.

    Abraços

  • Suzana Chaves Linhares

    Olá! Emília sempre com seu jeito engraçado! Foi uma delícia ler sua resenha, me levou para a minha infância!! Sempre gostei da Emília e desse jeito serelepe dela de ser. Beijos!

  • Adoro livros infantis e amo Monteiro Lobato. Este um livro maravilhoso que espero um dia reler.

  • Ana Paula Lima Miranda

    Oiii!

    Eu lembro bastante de acompanhar o Sítio e acho muito boa essa ideia nostalgica que a obra nos traz. AMEI a edição!

    Dica anotada.

    Beijinhos,