RESENHA: Lorena – sem filtro nem ponto final
29 dez

RESENHA: Lorena – sem filtro nem ponto final

Resenhas

Stefany

Titulo: Lorena- sem filtro nem ponto final
Autor: Mariana Lancellotti
Editora: Kazuá
Gênero: contos
Número de paginas: 223
Skoob

Adquira aqui: Editora Kazuá

Sinopse: O livro de contos contemporâneos Lorena – sem filtro nem ponto final de Mariana Lancellotti apresenta a sua protagonista, uma paulistana de classe média, em suas paixões desde a infância até a idade adulta, e sua frustração por não conseguir se expressar através das artes, no decorrer de onze Contos, evidenciando os conflitos e o debate sobre o papel da mulher nos dias atuais. As relações humanas enredadas na narrativa são observadas na concepção comportamental, sobretudo nas relações afetivas e sexual, e deste conflito surgem as reflexões sobre paradigmas e estereótipos próprios de um grupo social em especifico, o das mulheres envolvidas com o mundo cultural, frequentadoras da Zona Oeste de São Paulo.

 

Ser criança é considerado uma das melhores fases da vida, muitas pessoas almejam voltar para a infância e reviver todo aquele momento de brincadeiras e conversas sem nexos com os amigos. Além desses momentos únicos, enquanto somos crianças também temos comportamentos consideravelmente para adultos, como ter atração por outra pessoa, e é bem provável que todos nós já tivemos aquela famigerada atração pelo colega de escola durante o ensino fundamental e médio.

É assim que a vida segue, em várias fases somos entrelaçados em diversos amores, isso acontece independente da idade. Muitas das vezes relacionamentos são momentos significantes e únicos da vida, e sempre cada um deles acaba sendo diferente um do outro, e, além disso, conseguimos recolher uma experiência e aprendizado novo com cada companheiro(a) que convivemos.

Publicado pela Editora KazuáLorena – sem filtro nem ponto final é uma obra recheada de contos amorosos, a autora do livro é Mariana Lancellotti e a mesma vem surpreendendo várias pessoas com sua escrita.

Lorena – sem filtro nem ponto final narra os amores e no final desamores de Lorena, uma mulher forte, sagaz e determinada que conta sua história utilizando nenhum filtro para esconder a realidade, muito pelo contrário, ela transmite toda a energia que nenhum filtro é capaz de alterar. Nascida em um ceio familiar de classe média, paulista, fotógrafa, independente e sem medo Lorena vive as suas descobertas amorosas de uma forma simples e leve, pois, todos os homens que passaram em sua vida, lhe deixaram algo novo e interessante para ser compartilhado.

“A única certeza que tive é de que lembraria dele para sempre, o menino mais bonito de primário, com quem eu queria me casar um dia, o único que mereceria meu coração invisível eternamente…(página 206)”

A autora Marina Lancellotti nos apresenta uma personagem forte, independente e conhecedora de si própria, que ao longo da vida viveu muitos amores e desamores; casou-se, conheceu o homem mais interessante de sua vida, outrora o mais divertido ou até mesmo aquele que fez ela dar mais gargalhadas. Ou seja, a autora realmente conseguiu criar uma linha do tempo, focando nos relacionamento de uma personagem que provavelmente fará o leitor relembrar os seus momentos com os companheiros.

Conforme eu ia fazendo a leitura da obra, em alguns momento não tinha a consciência de que eu estava lendo uma história — talvez — fictícia. Pra mim, eu era Lorena, minha mãe já foi e continua sendo uma Lorena; pois todas nós somos Lorenas. A nossa protagonista carrega uma representatividade tão grande que consegue abranger todos os tipos de mulheres de forma gratificante, assim tornando a leitura ainda mais satisfatória.

A autora fez questão de trazer no seu livro uma personagem real — de forma figurada —, que encontrou seu amor eterno várias vezes no decorrer de sua existência. Os contos não estão escritos de forma cronológica, ou seja, o leitor fica indo e vindo no tempo junto com o espírito nostálgico de Lorena — eu particularmente adoro esse tipo de escrita —, para alguns leitores isso pode ser confuso, no entanto, a forma na qual a autora escreve, o entendimento e conexão cronológica dos fatos se torna algo automático, e acaba facilitando a leitura de tão fluída que é.

Para Lorena cada homem que passou por sua vida foi único, desde o primeiro até ao último presente em sua narrativa: um foi o mais interessante, o um outro serviu meio que uma escola de sexo, outro foi o mais divertido e por aí vai. Cada um foi único e teve sua maneira de lhe apresentar e ensinar novas experiências, o que reflete bastante na personalidade de cada pessoa, e ao mesmo tempo, reforça que cada relacionamento em vão, nunca foi em vão, e sim uma experiência para uma nova paixão.

“Sorri, mas já havia entendido minha tristeza. Estava cansada de viver a vida emendando festas e ressacas. Queria sossegar em um relacionamento descomplicado e correspondido, mas não tinha encontrado “o cara” ainda. Só tinha vivido máscaras e fantasias de Carnaval. Assumi para mim mesma que isso que buscava: uma amor que fosse, ou ao menos nos parecesse, eterno; sem filtro, nem ponto final. (página 82)”.

O conto que mais me marcou neste livro foi o “sem filtro nem ponto final”, Lorena magoada após levar um pé na bunda e ter visto o embuste, decide se juntar a umas amigas em uma viagem de carnaval, lá elas vivem umas aventuras muito interessantes — não contarei, vou deixar você leitor curioso —. Mas eu falei que esse conto em especial ficou na minha cabeça por conta do que Lorena fala no final e isso de certa me ajudou, por que eu estava vivendo uma situação semelhante à da protagonista.

A capa do livro provavelmente pode ser julgada por muitos leitores, pois o primeiro contato de uma pessoa com a obra é a capa, na maioria das vezes ela deve ser chamativa, só que Lorena – sem filtro nem ponto final tem uma capa simples, mas, ao mesmo tempo, muito apaixonantes. Ou seja, eu não tenho nada do que reclamar, simplesmente amei.

A diagramação da obra me incomodou de uma forma tolerável, pois as linhas suavemente vinham descendo as páginas, mas felizmente isso não atrapalhou a leitura. Provavelmente esse erro foi de gráfica e nada que uma outra tiragem resolva. E por falar em diagramação, a fonte e o espaçamento está muito agradável aos olhos, e um elemento muito importante dessa obra que não posso deixar de contar, é as ilustrações simplesmente perfeitas e ao mesmo tempo simples que torna a obra ainda mais linda.

Mariana Lancellotti tem uma escrita muito leve e tocante, a história flui logo no início da leitura e isso contribui para um livro inesquecível. A escrita é tão fluída e gostosa de ser lida que quando me assustei já tinha lido mais do que a metade da obra, em nenhum momento eu encontrei erro de revisão ou algo do tipo, ou seja, é uma escrita que me agradou de todas as formas.

Enfim, eu recomendo o livro para todas as pessoas, independente da orientação sexual, identidade de gênero ou posição social, esse livro é válido e agradável para todos os públicos. Eu tenho a certeza que em algum momento, em algum conto ou até mesmo em alguma frase você lembrará de um relacionamento passado ou atual. Então corra para a livraria mais próxima ou para o site da editora e adquira o seu exemplar.

Comentários

  • Oi, Stephany.
    Ainda não conhecia esse livro, mas gostei muito do que você disse sobre ele.
    Fiquei curiosa porque senti que tenho muita coisa em comum com a protagonista!
    A edição me pareceu simples, mas bom saber que não atrapalhou a sua leitura!
    Beijos
    Camis

  • Manoel Alves

    Olá
    Eu ainda não conhecia esse livro até o momento, mas já achei bem interessante pelo o que acabei de ler em sua resenha. Livros assim são bem envolventes e os seus comentários sobre a protagonista só me deixou mais curioso para adquirir a obra. Até mais ver
    Bjs

  • Oi Stefany!

    Tudo bem? Então, eu adoro livros de contos porque são, em geral, leituras bem rápidas. Gostei da proposta do livro por trazer não só histórias de amores, mas também de desamores.

    Ainda tem o fato de Lorena ser uma protagonista forte (meu tipo favorito!) então fiquei bastante empolgada om o livro e espero ter a chance de lê-lo em breve.

    Beijihos
    http://www.paraisoliterario.com

  • Kamila Villarreal

    Olá!

    Adorei a premissa. Eu não leio livros de contos com frequência, mas curti essa justamente por causa da identificação que os leitores podem ter com as personagens. Adorei a dica, obrigada!