RESENHA: Lantejoulas ao Vento
24 ago

RESENHA: Lantejoulas ao Vento

Resenhas

Victor Tadeu

Título: Lantejoulas ao Vento
Autora: Zana Ferreira
Editora: Gramma
Gênero: Ciências Sociais
Número de páginas: 146
SKOOB

Adquira aqui: Submarino l Livraria Gramma

Sinopse:Para aqueles que se importavam com o carnaval valadarense, acompanhá-lo nos últimos anos era como enfrentar uma montanha russa. Às vezes, as expectativas subiam e se mantinham em alta após uma boa edição da festa, mas logo em seguida vinha uma reviravolta e a situação mudava completamente. Era difícil saber o que esperar. Os investimentos da Prefeitura costumavam dar uma prévia de como a folia poderia ser, mas somente isso não definia toda a situação. Novidades podiam surgir e embaralhar o cenário todo novamente”. Dono de grande prestígio na década de 1950 e conhecido como “o melhor carnaval do interior de Minas”, o carnaval valadarense se transformou a partir dos anos 1960 devido à perda econômica dos clubes sociais que promoviam a festa nas ruas. Após os clubes restringirem sua folia aos salões, a Avenida Minas Gerais ficou livre para as escolas de samba que, apesar de serem as protagonistas da festa, passaram a enfrentar o desafio de com poucos recursos financeiros tentarem manter o antigo prestígio do evento.

O ano é 1958 e a cidade é Governador Valadares, o carnaval estava começando a ser fundamentado nela, os moradores começaram acolher a ideia e diversas situações foram marcadas nesses momentos comemorativos. Durante essa época a cidade lotava de turista, todos enalteciam o carnaval valadarense, mas depois de tantos anos onde essa animação e reputação foi parar? Por que ninguém mais comenta sobre?

Lantejoulas ao Vento, de Zana Ferreira é um livro publicado em 2018 com a finalidade de estender um projeto de curso superior da escritora, ela narra o passado do carnaval valadarense e tudo o que levou a festa ser esquecida dentro da cidade. Nessa época o uso de droga era feito crianças, adultos e idosos (sem a conscientização de ser uma droga), os clubes eram recheados de mulheres, as prostitutas eram respeitadas e totalmente remunerada e a alegria reinava para todos os foliões. Só que, o que houve para a festividade ter decaído?

“Durante três dias as pessoas se fantasiavam, jogavam confetes e serpentinas nos outros, pulavam até cansar. As mulheres tinham finalmente a chance de serem livre dos preconceitos e amarras, mesmo que por pouco tempo. O carnaval se tornava um época de relaxamento das estruturas sociais caindo com algumas algemas do cotidiano. Quando o Rei Momo começava a reinar na cidade, era época da alegria, do prazer, da liberdade. As cantorias, as serpentinas e confetes passavam ser a marca desse dia. (página 14)”

Zana Ferreira é jornalista e publicou o seu primeiro livro após o seu TCC — Trabalho de Conclusão de Curso —, na qual, foi publicado pela Gramma Livraria e Editora em 2018. Ela utilizou duas pessoas que fundamentaram o carnaval de Governador Valadares para trazer uma ficção bem elaborada para o seu título, na qual, aos poucos vai contando momentos históricos e relevante sobre o carnaval da cidade, que foi o tema do seu TCC.

Lantejoulas ao Vento é o primeiro título publicado pela escritora, apesar de ser uma obra que narra o passado de uma cidade ele está longe de ser um livro massante e histórico, muito pelo contrário, a autora conseguiu desenvolver um livro agradável, empolgante e curioso diante de um assunto que muitas das vezes passa despercebido. Pois é fácil encontrar um valadarense — nome referente às pessoas que nasceram em Governador Valadares — que não sabe como o carnaval da cidade já foi impactante e motivo de grandes números de turistas.

Zana trabalhou de forma eficiente na construção do seu livro, ele é carregado de assuntos interessantes que enriquece todo o passado de Governador Valadares, uns até chegando surpreender os mais novos, como o uso de lolo e/ou lança perfume, uma droga ilícita. Anos atrás o carnaval valadarense era recheado da droga, na qual, todos faziam o uso para manter-se animados, inclusive crianças usavam sem nenhum problema, e a escritora conseguiu descrever toda a trajetória da legalização e proibição da droga no livro.

A concorrência de clubes também é outro fator histórico muito bem abordado pela autora, ele conseguiu desenvolver a disputa existente entre eles durante os momentos carnavalesco na cidade. Zana tratou do assunto de forma fiel e sem muitas voltas, assim, apresentando para seus leitores como eles surgiram e também a forma que eles foram desanimando da comemoração, o que consequentemente também acaba refletindo no setor político da cidade.

“E se o que muitas das vezes impulsava a competição era o poder aquisitivo dos foliões para poder apresentar belas fantasias, as escolas de samba desejavam também conquistar independência financeira e que permitisse voos maiores na festa valadarense. (página 71)”

A autora demonstrou ter estudado de forma aprofundada em relação aos assuntos explorados em Lantejoulas ao Vento, ela também demonstra como a festividade era organizada naquela época e como a cidade se encontrava em questão social, cultural, politica e econômica, o que acaba sendo grandes referência para aqueles que desejam estudar a área e/ou tem curiosidade sobre a construção e/ou desenvolvimento da cidade.

O trabalho editorial dessa obra não requer muitas novidades, acreditamos que a escritora optou por ser simples e fiel ao assunto tratado, já que, a capa do livro é a comemoração de carnaval quando a cidade fez 50 anos, inclusive a diagramação é bem agradável aos olhos e contribui para uma leitura engajada, além disso, em um determinado ponto da leitura iremos ter acesso à imagens que registraram os momentos carnavalesco de Governador Valadares.

Lantejoulas ao Vento é um livro que poderia ser mais destacado entre os valadarenses, principalmente devido ao fato deles estarem sempre reclamando em relação às festividades da cidade, seria uma excelente opção de leitura para explorar melhor como o carnaval já foi bem enaltecido dentro da cidade. Porém, a leitura também fica recomendada para àqueles que desejam conhecer um pouco mais do passado de Governador Valadares, que muitas das vezes é esquecido por todos.

Leia também:

RESENHA: Quem Tem Medo do Feminismo Negro?
RESENHA: Shákila – A Batalha Pelo Trono
RESENHA: Vale do Aventureiro
RESENHA: Coeur de Femme
RESENHA: Confissões de uma Numeração Especial

Comentários

  • Milton Ivo De Freitas

    Um livro delicioso de ler. Nos leva a um tempo delicioso de viver em Governador Valadares.
    Zana escreve facil e com o conhecimento de quem trabalhou muito no tema antes de sentar e começar
    a por no papel todo o seu trabalho.
    Estou esperando o seu proximo livro Zana.
    Milton Ivo de Freitas