RESENHA: Fogo & Aurora
19 out

RESENHA: Fogo & Aurora

Resenhas

Victor Tadeu

Título: Fogo & Aurora
Autor: Luís Góes
Editora: Independente
Gênero: Thriller
Número de páginas: 350
SKOOB

Adquira aqui: Clube de Autores

Sinopse: Vingança.
Este é o tema central de “Fogo e Aurora”, que ainda conta com a equipe de detetives do Laboratório Forense para Investigações de Crimes de Nova Iorque. Quando, no primeiro dia do ano de 2010, terríveis imagens de tortura aparecem ao vivo nos telões da Times Square, o detetive Harry Shadowkurk prevê que não será fácil determinar quem ou o quê causou aquele tumulto iminente. Com o passar do tempo – na verdade, em questão de horas – outro assassinato acontece e o filho do detetive, o também investigador Tom, se vê no meio de seu próprio mundo. O jovem, que é fã de bandas de “heavy metal”, descobre que há um serial killer a solta, matando conforme as músicas de um dos álbuns da banda “Angra”, chamado “Aurora Consurgens”, e que por sinal, é seu grupo favorito.
Os assassinos parecem conhecer os detetives, tratando-os com seus nomes próprios e dando-lhes pistas para as próximas etapas. Contudo, em meio a tanta confusão, um integrante da equipe, o investigador Mathias Chase, é sequestrado inesperadamente, dando outro rumo às descobertas deste incrível caso, que eles nunca mais esquecerão.
Luís Góes apresenta seu segundo livro, também no estilo de “As Duas Faces de um Homem” – um suspense policial ágil, cheio de aventura e suspense, que vai fazer você ler e ler até descobrir o que realmente há por trás desta louca história. Uma singela homenagem do autor para a banda brasileira que ele tanto admira e aprecia – “Angra”, que significa, segundo a mitologia tupiniquim, a “deusa do fogo” – traz a sonoridade pesada entre letras verdadeiras e inovadoras, falem elas de amor, aventura ou doenças psíquicas. E é exatamente isso que vamos tratar aqui.
Prepare-se… Siga o curso da natureza, deixe a voz da sua consciência determinar o que é certo ou errado, mas não se desanime, não deixe seu ego ficar cinzento, fracassado. Quebre vínculos com os maus pensamentos, nunca cogite o suicídio como única salvação! Não abra janelas que não darão a nenhum lugar, estando longe ou perto, deixe o tempo passar… tudo vai se resolver. Liberte seu coração para a vida, abandone destinos que não o deixarão viver. Saia deste mundo, crie o seu próprio. Senão, poderá ser tarde demais.

 

Após resolverem o caso de Johnatan Lemon os detetives acreditavam que casos como aquele provavelmente demoraria acontecer, mas infelizmente esse pensamento é totalmente detonado na virada de 2009 para 2010. A Time Square estava bastante cheia, muitas pessoas esperavam ansiosamente pela contagem regressiva e muitas famílias estavam se divertindo junto com outras inúmeras pessoas, e entre elas estavam Harry Shadowkurk, Tom Shadowkurk e Kerry Bucklight a nova namorada de Harry.

Tudo estava ocorrendo perfeitamente bem até que a programação começa a sair dos trilhos nos telões da Time Square. Repentinamente começa a tocar uma música da banda Angra, além disso, um clipe muito reflexivo e chocante é passado para todos os presentes no local, a situação constrangedora e totalmente “inexplicável” não termina por aí. Após a apresentação da música uma transmissão ao vivo é feita assustando todos por completo, um corpo aberto é mostrado e junto uma voz modificada passa uma alerta para as pessoas e no mesmo instante a família de detetives presentes começam a trabalhar.

Em questão de segundos Tom Shadowkurk é sequestrado por uma pessoa que estava trabalhando junto com a responsável pela transmissão, essa dupla chama Fogo e Aurora cada um dos integrantes tem o seu nome e pretendia virar Nova York do avesso, assim vingando de várias pessoas. Diante de tanta crueldade o Laboratório Forense para Investigação de Crimes (LFIC) é acionado e toda a investigação para amenizar a situação começa a ser realizada.

Mathias Chase é outro profissional que trabalha na LFIC e infelizmente some após encontrarem o corpo que havia sido transmitido nos telões da Time Square, ele tinha escutado alguém chamá-lo e infelizmente não voltou mais. Só que devido ao que acabaram de descobrir os detetives não notaram a ausência do companheiro de trabalho, pois dentro do corpo aberto tinha um celular e ele tocava a música The Voice Commanding You, outra música da banda heavy metal, uma banda que Tom Shadowkurk ama.

 

Fogo & Aurora é o segundo livro da saga de suspense policial do autor Luís Góes, o primeiro livro chama As Duas Faces de um Homem e já tem resenha aqui no site. Essa é a primeira resenha da obra, pois amei o primeiro da saga e fiquei muito curioso para conhecer os outros crimes que o Laboratório Forense para Investigação de Crimes têm para resolver.


Angra é uma banda, conhecida por estar entre os maiores nomes do heavy metal brasileiro no mundo, tendo lançado aclamados álbuns e construído uma gloriosa carreira é também uma referência musical por seus interlúdios sinfônicos, instrumental altamente técnico e pela alquimia do metal com elementos regionais brasileiros, foi formada originalmente em 1991 e hoje em dia é um grande exemplo de versatilidade no meio musical.

FONTE: Site oficial da banda.


Provavelmente eu nunca fui tão surpreendido positivamente por um escritor como Luís Góes conseguiu me surpreender com a ideia e tese dessa obra. Não é novidade para quem está lendo essa resenha, mas o livro trata de dois seriais killers que matam pessoas e influência faixas do álbum Aurora Consurgens da banda Angra como dica para brincar com os detetives do Laboratório Forense para Investigação de Crimes e sinceramente, eu nunca fiquei tão grato por algo novo dar tão certo com um autor não muito conhecido.

A forma que Luís conseguiu unir os crimes com cada faixa do álbum é muito revolucionário dentro da literatura, até hoje nunca encontrei um livro que tenha a mesma ideia do autor. É válido lembrar que o escritor da saga não é conhecido como muitos por aí e têm obras incríveis, além disso, esse detalhe serve para alertar os preconceituosos literário de plantão que reconhecimento não é sinônimo de qualidade. Até hoje eu me pergunto porque Góes ainda não tem todo o reconhecimento merecido devido o tamanho da sua criatividade.

“— A vida é passageira, assim como a natureza será um dia! — exclamou Aurora, que usava um aparelho para disfarçar sua voz. (página 25)”

Fogo e Aurora são duas pessoas extremamente inteligentes, eu nunca fiquei tão assustado e chocado com crimes em livros, mas nessa obra em todos eu ficava urrado com tamanha crueldade vinda dessas duas pessoas. A morte de cada plano que eles criaram são totalmente fora do comum, algumas pessoas podem não gostar de muito sangue e tortura e outras acredito eu que procuram isso em história, caso você seja a segunda pessoa faça a leitura de Fogo & Aurora o mais rápido possível. Cada tortura dessa obra são semelhantes aos de Jogos Mortais, o nível de torturar, dor e crueldade pode chegar a ser até maior dependendo do seu ponto de vista.

A escrita de Luís Góes continua a mesma, ou melhor, nessa obra percebi um detalhe que influência bastante no ritmo da leitura de quem está fazendo a leitura. Ele conseguiu dominar o ritmo da minha leitura com a forma que escreve as cenas, a meu ver isso não é um problema, muitas pessoas até gostam desse ritmo de escrita, pois a história flui mais rápido. Só que, eu tive um problema bem grande com o livro em si e está longe de ser com a escrita do autor.

Infelizmente a edição dessa obra segue o mesmo estilo de As Duas Faces de um Homem, ambos livros têm as páginas brancas, mas até então esse não é o meu problema com a edição. Quem me acompanha sabe que eu tenho uma grande dificuldade em ler livros com fontes pequenas, eu acabo demorando MUITO para concluir a leitura, já pesquisei se isso é normal ou apenas uma mania minha e até hoje não encontrei nenhuma resposta. Então se você também tem algum problema com fontes pequenas faça a leitura do livro consciente disso, mas também não deixe de ler e perder uma história maravilhosa devido ao tamanho das letras.

A capa do livro é outro elemento que o autor poderia trabalhar melhor, mas conversando com ele eu descobri o que ela realmente significa e de coração, juro para vocês, esse olho de cor vermelha refere a um dos crimes que me causou ânsia de vômito. ENTÃO PELO AMOR QUE VOCÊ TENHA AOS THRILLERS, não deixe de ler esse livro, porque ele tem a capacidade de tocar a alma dos leitores.

Como informado na ficha da obra, o livro foi publicado em formato independente e o trabalho do autor em relação aos aperfeiçoamento é muito dobrado. Durante a leitura encontrei alguns erros de digitação e revisão, mas nada que atrapalhe a leitura e como tenho um grande amor pelas histórias de Luís Góes estou tentando publicar a obra do autor junto com a equipe do Desencaixados por uma editora, assim evitando qualquer erro minusculo dentro do trabalho do escritor. Além disso, também pretendo abrir um projeto para outro autor publicar gratuitamente também pelo nosso site.

“… Eu juro por meus pais que o outro braço chamado Mathias Chase não será perdido, não mesmo. Nós somos uma família… este serial killer vai ser descoberto, antes mesmo de descobrir que mexeu com a família errada. (página 97)”

O final desse livro me deixou sem reação, estava apostando em outras pessoas como os assassinantes e fiquei surpreendido quando foram revelados. Estou muito ansioso para ler o terceiro livro da saga que chama O Legado do Papa 111, pois o final de Fogo & Aurora faz uma pequena ligação com esse livro — a saga não têm livros depentes — e o mesmo envolve romance homoafetivo e isso me deixou bastante curioso.

É válido lembrar que para fazer a leitura de Fogo & Aurora não é preciso ter lido o livro anterior, pois são histórias totalmente diferentes e que somente envolve a equipe da LFIC (Laboratório Forense para Investigação de Crimes), então não leve isso como desculpa para descobrir quem são os responsáveis por tantas mortes e o motivo de todas essas ações violentas.

Indico o livro para todos que tem estômago o suficiente para encarar muito sangue em palavras, além disso, essa é uma obra incrível para os fãs da banda Angra terem um contato melhor com o álbum explorado na história. Ficou curioso para saber descobrir quem são os seriais killers e como músicas são capazes de dar dicas para planos criminais? Então não deixe para depois, adquire um exemplar de Fogo & Aurora agora mesmo.

Leia Também: 

RESENHA: As Duas Faces de um Homem.
RESENHA: Boneco de Pano.
TOP 10: Livros nacionais.
• Livros para ler em 24 horas

Comentários