RESENHA: Eu Perdi o Rumo
26 out

RESENHA: Eu Perdi o Rumo

Resenhas

Victor Tadeu

Título: Eu Perdi o Rumo
Autora: Gayle Forman
Editora: Arqueiro
Gênero: Ficção
Número de páginas: 272
SKOOB

Adquira aqui: Amazon

Sinopse: O novo romance de Gayle Forman, autora dos best-sellers Se Eu Ficar e Eu Estive Aqui.

Suas obras já venderam mais 9 milhões de livros pelo mundo.

Freya perdeu a voz no meio das gravações de seu álbum de estreia. Harun planeja fugir de casa para encontrar o garoto que ama. Nathaniel acaba de chegar a Nova York com uma mochila, um plano elaborado em meio ao desespero e nada a perder.

Os três se esbarram por acaso no Central Park e, ao longo de um único dia, lentamente revelam trechos do passado que não conseguiram enfrentar sozinhos. Juntos, eles começam a entender que a saída do lugar triste e escuro em que se acham pode estar no gesto de ajudar o próximo a descobrir o próprio caminho.

Contado a partir de três perspectivas diferentes, o romance inédito de Gayle Forman aborda o poder da amizade e a audácia de ser fiel a si mesmo. Eu Perdi o Rumo marca a volta de Gayle aos livros jovens, que a consagraram internacionalmente, e traz a prosa elegante que seus fãs conhecem e amam.

Freya é uma cantora que está alcançando a fama, tudo começou como Irmãs K quando a dupla era composta por ela e sua irmã. Só que, com o passar do tempo as coisas não andam da forma que ela desejou e, além disso, seu produtor está cobrando um desempenho muito pesado para ela, principalmente agora, que perdeu a voz e está impossibilitada de cantar.

Harun é um menino muçulmano que não está seguindo os dogmas de sua religião e/ou cultura, ele não é heterossexual e está prestes a fugir de casa com o intuito de reconquistar o amor da sua vida. Recentemente um desentendimento rompeu o relacionamento que o menino tinha com James, e agora ele está disposto a reconquistá-lo a todo custo.

Nathaniel é um menino que sempre morou afastado de uma sociedade, na qual, desde pequeno fora ensinado pelo seu pai um modo de vida considerável selvagem, até ele costuma usar esse termo. Porém, após algumas perdas da vida, ele está em uma cidade grande para recomeçar e recompensar todo o tempo que perdeu enquanto morava ao lado do pai.

De uma forma totalmente inimaginável o destino juntou os três, agora eles estavam responsáveis — mesmo sem saber — para confortar um aos outros, pois os problemas pessoais estão cada vez mais falando mais alto. Tentando satisfazer seus próprios interesses e/ou alimentando possibilidades para resolver seus problemas, Freya, Harun e Nathanniel estão mais ligados que do imaginam.

“Se as pessoas que te ama não podem dizer a verdade, quem é que pode? (página 31)”

Eu Perdi o Rumo é mais um título da Gayle Forman publicado no Brasil, a obra está sendo lançada pela Editora Arqueiro, a mesma distribuiu o livro Eu Estive Aqui em território nacional. A escritora tem outras obras que já foram adaptadas em filmes e agora está apostando em seu lançamento que pretende despertar uma visão incrível nos leitores.

O desenvolvimento de Eu Perdi o Rumo é remediado de altos e baixos, na história acompanhamos a trajetória de três pessoas com estilos de vida totalmente distintos. Apesar de o livro ser bastante interessante e cativante, algumas partes acaba sendo massante por causa de explicações um pouco longas, consequentemente isso desacelera o ritmo de leitura, porém isso não é um problema, já que os outros momentos recompensam.

A inclusão dentro de Eu Perdi o Rumo é bastante nítida, Gayle Forman foi responsável o suficiente para incluir diversas minorias dentro de seu lançamento e, além disso, desenvolveu personagens de culturas distintas vivendo em Nova York, demonstrando o quão diverso o país é. Mesmo de forma leve e provavelmente intencional, a escritora fez uma crítica social diante do estado político de o Estados Unidos está passando.

Além dessa crítica social, Gayle também conseguiu gesticular uma mensagem excepcional no decorrer desse livro. Eu Perdi o Rumo é um título que fala sobre diferenças e pessoas diversas, e ela consegue nos mostrar o quão dependente somos uns dos outros, seja de forma financeira, sentimental, política e entre diversos outros assuntos necessários para uma convivência estável e harmoniosa.

O desenvolvimento de Freya, Harun e Nathaniel é um dos pontos fortes da obra, durante a leitura acompanhamos o presente em que eles estão vivendo, porém voltamos no passado para aprofundarmos em seus problemas. Esse mecanismo utilizado pela escritora foi bastante engajado, pois dessa forma descobrimos suas mágoas e vemos a maturidade desse trio sendo desenvolvida de forma rápida e bem estudada.

“Nathaniel sabe o que significa perder tudo. Significa, na verdade, perder a si mesmo. É a pior coisa que pode acontecer. (página 137)”

Cada protagonista da obra carrega consigo mensagens e, ao mesmo tempo, críticas sociais do meio em que vivem. Como a intolerância sexual presente em algumas religiões, a pressão de produtores no mundo da mídia e as exigências — mesmo sendo superficiais — de alguns pais. Os elementos utilizado pela escritora ao falar sobre essas críticas e a forma que ela utilizou para criticar são leves e notórios no decorrer da história.

A escrita de Gayle Forman em Eu Perdi o Rumo não é uma das melhores, ela é cheia de altos e baixos, algumas das vezes bastante engajada e em outros momento a autora tropeça ao ficar descrevendo muito algumas situações, assim incomodando aqueles que não gostam de descrições longas. Mesmo esse fator sendo um problema para alguns leitores, acreditamos que com um pouco de esforço e deixando ser levado pela essência da histórias, eles conseguem realizar a leitura sem nenhum problema.

O trabalho editorial da Arqueiro é muito bom, os materiais utilizados na construção física desse exemplar são de excelentes qualidades, porém gostaríamos de ressaltar que a diagramação poderia ser melhor desenvolvida. Por se tratar de perspectivas diferentes e alguns outros fatores que durante a leitura vocês irão entender, o investimento em uma diagramação nos capítulos, partes — as divisões — e em algumas partes da narrativa poderia ser melhor visada. Porém, isso não é motivo de uma obra ruim, independente disso é possível acompanhar a história sem problemas, mas a ausência dessa atenção pode incomodar alguns leitores.

Eu Perdi o Rumo não é um livro excelente em quesito de construção, porém é uma ótima opção de leitura. Gayle Forman realizou um trabalho bastante rico em informação e, ao mesmo tempo, diverso dentro desse título. Mesmo com alguns problemas, a indicação é totalmente válida, os ensinos e as mensagens encontradas nessa história são incríveis e recomendamos a leitura para todas as pessoas.

Leia também:

RESENHA: Depois Daquela Montanha
RESENHA: Fortaleza Impossível
RESENHA: O Sol Também é uma Estrela
RESENHA: Boneco de Pano

Comentários