RESENHA: Eu Estive Aqui
30 mar

RESENHA: Eu Estive Aqui

Resenhas

Myrna Ariel

Título: Eu Estive Aqui
Autor: 
Gayle Forman
Editora: 
Arqueiro
Gênero: 
Romance
Número de páginas: 
240
Skoob | Goodreads

Adquira aqui: Amazon | Saraiva | Submarino

Sinopse: Quando sua melhor amiga, Meg, toma um frasco de veneno sozinha num quarto de motel, Cody fica chocada e arrasada. Ela e Meg compartilhavam tudo…
Como podia não ter previsto aquilo, como não percebera nenhum sinal?
A pedido dos pais de Meg, Cody viaja a Tacoma, onde a amiga fazia faculdade, para reunir seus pertences. Lá, acaba descobrindo muitas coisas que Meg não havia lhe contado. Conhece seus colegas de quarto, o tipo de pessoa com quem Cody nunca teria esbarrado em sua cidadezinha no fim do mundo. E conhece Ben McCallister, o guitarrista zombeteiro que se envolveu com Meg e tem os próprios segredos.
Porém, sua maior descoberta ocorre quando recebe dos pais de Meg o notebook da melhor amiga. Vasculhando o computador, Cody dá de cara com um arquivo criptografado, impossível de abrir. Até que um colega nerd consegue desbloqueá-lo… E de repente tudo o que ela pensou que sabia sobre a morte de Meg é posto em dúvida.
Eu Estive Aqui é Gayle Forman em sua melhor forma, uma história tensa, comovente e redentora que mostra que é possível seguir em frente mesmo diante de uma perda indescritível.

 

Cody e Meg… Duas melhores amigas que visavam um futuro incrível fora da cidadezinha onde moravam. Quando Meg ganha uma bolsa de estudos e se muda para Tacoma, Cody se vê sozinha e continua levando uma vida monótona.
Um dia a amiga que ficou para trás recebeu um e-mail de Meg, onde ela diz que tirou a própria vida e que aquilo era uma escolha dela e de mais ninguém.

Ela tirou a própria vida, mas Cody não entende o porquê. Alegre, extrovertida, ninguém diria que Meg chegaria a esse ponto, mas as coisas começam a mudar quando Cody vai até a faculdade recolher as coisas da amiga, e lá descobre através das pessoas que Meg não agia como aquela que ela conhecia… Meg tinha algum problema e a partir daí, dessa necessidade de saber o motivo da sua amiga ter se matado, Cody entra em uma investigação. Ela tem essa necessidade que se liga ao fato dela se culpar por nunca ter percebido que Meg precisava de ajuda.

 

Depois que Meg morreu, pesquisei na internet sobre todos os indícios de um suicídio iminente. Meg não me deu nenhuma de suas coisas preferidas. Ela não falava sobre se matar. Quer dizer, dizia coisas como ´´Se a Sra. Dobson passar mais um teste, vou dar um tiro na minha cabeça“, mas isso conta? (Página. 15)

 

O que mais me chamou atenção ao ler esse livro foi o fato de Cody e Meg serem tão diferentes.Se observássemos a vida delas eu diria que quem seria a mais provável de cometer um suicídio seria Cody. A vida dela é BEM complicada, mas quem se matou foi Meg, a que aparentemente tinha uma vida perfeita. Isso mostra que as aparências podem enganar, lá no fundo Meg precisava de ajuda e algo estava errado.

Esse foi o primeiro livro da Gayle Forman que eu li e fiquei encantada com a forma que ela escreve e como acontecem algumas citações que nos leva mais e mais para dentro da história, como por exemplo citar a banda Heavens to Betsy e a música Firefly que era uma das favoritas de Meg. Então é só colocar no youtube e se sentir mais perto de Meg e Cody.

 

 

Com o passar da trama várias personagens vão aparecendo e aqueles já apresentados vão evoluindo, a própria Cody começa a história como uma garota destemida e com o passar vai ficando mais fragilizada. Entre as personagens que vão aparecendo está Ben McCallister, guitarrista e vocalista de uma banda e uma antigo amigo de Meg que está na lista de culpados de Cody. Ele foi outro personagem que teve um incrível desenvolvimento e que conquistou o meu coração.

 

Eu me surpreendi com a forma que Gayle Forman escreve, não tive muita dificuldade, devorei o livro em dois dias e deu aquela dorzinha no coração quando cheguei na última página. O livro além de citar bandas e guitarristas tem uma leve citação sobre o vegetarianismo, veganismo, bissexualidade e até o mundo geek.

Mensagens criptografadas, grupos suicidas, romance e várias perguntas a serem respondidas preenchem as páginas do livro Eu Estive Aqui. Foi uma ótima experiência e eu pretendo ler mais livros da autora.

A história já estava perfeita para mim, cheguei na última página do Epílogo e já ia fechando o livro quando vi a parte ´Nota da Autora` e quando li eu acabei chorando. Não deixem de ler essa parte, é de extrema importância, o livro Eu Estive Aqui é dedicado a Suzy Conzales e em ´Nota da Autora` vocês irão entender quem ela é.

 

Comentários