RESENHA: Enquanto Espero
04 jan

RESENHA: Enquanto Espero

Resenhas

Victor Tadeu

Título: Enquanto Espero
Autora: Valéria Gravino
Editora: Coerência
Gênero: Romance
Número de páginas: 132
SKOOB

Adquira aqui:Loja Coerência

Sinopse:“Enquanto espero” é um romance new adult que concorreu ao Prêmio Kindle de Literatura 2016 e concorre atualmente ao Prêmio Oceanos 2017.

A jovem advogada Vitória, encontra dificuldades para conseguir o seu primeiro emprego, mas enfim é admitida pelo Grupo Moura Ribeiro e lá encontra Ricardo, um homem rodeado conflitos e segredos, com quem vivência um romance, no mínimo, complicado.

Durante o desenvolvimento de Vitória no grupo empresarial, muitas operações acontecem por motivos escusos e influência da família e do sócio de Ricardo, sem que ele sequer desconfie, trazendo muitas intrigas em torno dos dois e fazendo com que o romance venha a esmorecer.

Reconhecendo-se sem condições de sobreviver à dor da separação, Vitória busca na pintura e na terapia de regressão um refúgio para livrar-se de seu sofrimento, quando desvenda, a partir de uma obra de arte que liga o seu passado ao seu presente, o real mistério em torno do fim de seu relacionamento com Ricardo, identificando as forças que contribuem para que eles não se mantenham unidos.

Muitos segredos permeiam essa intrigante história, trazendo lições e acontecimentos surpreendentes com as reviravoltas de “mais um encontro” de Vitória e Ricardo.

 

 

Vitória Galvão tem 23 anos e é uma menina muio fechada, desde pequena o seu foco era estudar para ter um futuro certeiro e agradável. Infelizmente isso não acontece, após estudar muito e formar em Direito, a menina não consegue encontrar um emprego digno para exercer todo o seu trabalho que passou muito tempo se dedicando aos estudos. Tudo que ela tinha era um escritório de advocacia no centro da cidade em que morava, mas todos os advogados que trabalhavam ali não recebiam um salário, e sim, de acordo com o seu caso, ou seja, cada um por si.

Após ficar sabendo de uma vaga de emprego em uma cidade muito perto da sua, ela decide encarar mais uma oportunidade sem esperança. Chegando ao local se assunta com a estrutura do estabelecimento, mas durante a entrevista feita por um dos trabalhadores, ela fica sabendo sobre o histórico daquela empresa que chamava Grupo Moura Ribeiro, o local tinha falido.

De imediato Vitória é admitida e um elemento que colaborou muito foi a sua sinceridade, ela confessou não ter nenhuma experiência e que até então todo o seu aprendizado tinha servido para nada. De início ela receberia um salário mínimo, mas de acordo com a sustentabilidade do grupo o pagamento iria aumentando. O chefe do local chama Dr. Ricardo, um cara mulherengo e cheio de segredo e logo no primeiro contato algo dele chama a atenção na tão inocente Vitória.

O perfume da chefia instigava a nova empregada do local, mas era apenas isso, nada mais era do seu interesse em Dr. Ricardo. O gosto de Vitória pelo homem é quase nulo, principalmente quando ficou sabendo de toda a história dele com as antigas meninas que trabalhavam no Grupo Moura Ribeiro, só que esse quadro está prestes a mudar. Após uma intimidade maior, a menina acaba descobrindo que sente falta de estar ao lado do chefe e isso acaba tomando rumos diferentes.

Enquanto Espero, de Valéria Gravido é um livro publicado pela Editora Coerência e foi o primeiro que fiz a leitura em 2018. Essa obra é daquelas que você faz a leitura em poucas horas devido à quantidade de páginas e o rumo da história, mas diante de poucas páginas, eu tenho algumas coisas para falar.

Todo mundo sabe que para ser uma pessoa muito bem-sucedida no Brasil requer um empenho grande para não afundar, esse empenho vem do estudo até o local de trabalho. Mas, infelizmente, o trabalho e o estudo de qualidade pode ser um dos fatores mais complicados do nosso país, principalmente por ter um nível de pessoas empregadas muito baixa diante da quantidade de habitantes, e isso querendo ou não influência na hora de pagar uma faculdade ou cursinho de qualidade para estudar no curso desejado.

Por isso, muitas pessoas acabam seguindo rumos muitos complicados para passar a vida, mas tudo isso é reflexo de uma sociedade muito exigente, na qual prega que para ser uma pessoa feliz e com futuro garantido, é preciso “ralar” de tanto estudar e trabalhar, mas, ao mesmo tempo, carrega uma certa hipocrisia ao não dar tanto trabalho e um ensino de qualidade para essas pessoas terem uma “vida feliz e sucedida”.

Esse é o caso da nossa protagonista Vitória, ela estudou Direito e infelizmente ainda não atuou no mercado de trabalho conforme sempre desejou, e o dinheiro que recebe diante de tanto sofrimento é muito desproporcional ao seu curso. Como explicado na introdução, ela conhece o Grupo Moura Ribeiro e lá tem um contato mais íntimo com o chefe do local, e só destacando um pequeno fato: Dr. Ricardo é casado e têm filhos.

“Sabe quando dizem que quanto mais alguém fala de outra pessoa, mais aprendemos sobre quem está falando? (página 27)”

Essa resenha eu vou começar pelo único elemento que me incomodou de forma incrível dentro da história, eu fiquei tão inconformado que fiz a leitura do livro duas vezes para ver se possivelmente eu estava interpretando errado, talvez eu ainda esteja, mas foi a minha experiência “dupla” pela história. Relembrando: Dr. Ricardo é casado, têm filhos e relacionamento com outras mulheres que trabalharam em sua empresa, OU SEJA, ELE TRAÍA A ESPOSA NA FRENTE DOS EMPREGADOS.

É muito comum traições acontecer em empresas, muitos colegas de trabalhos casados conseguem ter um relacionamento escondidos, mas os outros acabam sabendo. Isso sempre me incomodou, traição é algo que quase todas as pessoas não aceitam, e acaba saindo do “normal” quando um grupo de pessoas sabem que um cara traí a esposa dele com frequência e não fazem nada. MULHERES sabendo que uma estão sendo TRAÍDAS e mesmo assim sustenta esse relacionamento para mim — opinião pessoal — é o cúmulo do absurdo, a falta de sororidade é muito grande e gritante.

Felizmente não é só isso a história, no final a gente tem uma reviravolta muito legal — depende do seu ponto de vista — e que me agradou por completo, mas enquanto eu fazia a leitura e acompanhava a atrição inicial me dava a vontade de socar a parede de tanta indignação das personagens que viam e de certa forma apoiavam. É muito provável que isso tenha uma explicação, porque a empresa estava falida e o medo de ficar desempregado poderia ser muito grande, mas, sei lá, eu participalmente fiquei revoltado com esses personagens e para ser sincero, esse sentimento de raiva acabou me agradando de uma forma ou outra.

O romance da história em si é legal, não vou negar, felizmente não é aqueles clichês que a moça inexperiente está caída pelo homem rico. No início Vitória é resistente, mas não é pelo poder aquisitivo que ela começa a ter um gosto por ele, e mesmo gostando ela sabe se controlar e jamais se “rebaixar” para Dr. Ricardo, que por sinal, tem um histórico com mulheres muito grande.

Na ficha do livro é informado que a obra é um romance, mas sinceramente eu acho que Valéria Gravino conseguiu explorar mais na história do que somente o romance. Principalmente o ar de advocacia, a escrita dela é muito boa e colabora bastante para o cenário em que a história é narrada, e sinceramente, isso me agradou de forma inigualável, pois enriquece muito o nosso vocabulário e a leitura fica bem fluída.

Os personagens criados pela autora de certa forma podem ter me incomodado, mas infelizmente é a realidade de muitas pessoas, muitas mulheres olham as amantes de seus esposos como rivais, sendo que é ELE o errado da história. Sem falar que muitas outras acabam apoiando a traição e certamente aumentando o ego do homem. Mas por outro lado, todos os personagens são fortes, marcantes, possivelmente reais e, além disso, bem criados.

Como dito na resenha o final é muito agradável dependendo do seu ponto de vista, pois existem dois finais. Enquanto Espero publicado pela Editora Coerência é a segunda edição do livro, pois a autora já recebeu alguns prêmios na versão Kindle, então para agradar aos que leram a primeira edição ela resolveu escrever dois finais. E não querendo me expor, mas me expondo eu preferi o primeiro final, foi o que me agradou e eu vi uma reviravolta maior.

“Poderia até argumentar que se há amor verdadeiro, nada disso importa. Mas não estávamos nessa fase. Não mesmo. Era apesar empolgação, atração e uma massagem e tanto no meu ego carente. Mal eu sabia que no dele, também. (página 42)”

A diagramação do livro é muito boa, a fonte é grande e o espaçamento maravilhoso. Os capítulos foram separados de formas muito boas e colaborou para uma leitura ainda mais fluída, eu fiz a leitura de livro em menos de 24 horas e só fiquei desejando mais diálogo entre os personagens, pois tem muita narração, só que isso não é um problema, não altera na obra.

A capa do livro condiz muito com a história, eu gostei muito dessa vibe meio escura porque remete ao final que me deixou satisfeito. Achei as cores utilizadas pelo capista muito boas, ele soube combinar sem cometer erros e isso é uma grande influência dentro de uma livraria, pois é o primeiro contato que o leitor tem com a obra.

Enfim, esse foi um livro que me arrancou vários sentimentos e que de certa forma me agradou, sem falar que ele tem um pouco de crítica social. Como ele têm finais alternativos fica complicado eu dizer que não gostei, pois gostei sim, no caso da história toda + o primeiro final, e devido essa alternatividade, eu recomendo para todos, principalmente para você que gosta de romance com reviravoltas chocantes e ao mesmo tempo de advocacia.

Leia também:

• RESENHA: O Meu Melhor Amigo é Gay.
• RESENHA: Não Tão Primos.
RESENHA: Planeta Brutal.
RESENHA: E Se…

Comentários