RESENHA: E Se…
15 set

RESENHA: E Se…

Resenhas

Victor Tadeu

Título: E Se…
Autora: Giovanna Vaccaro
Editora: Coerência
Gênero: Romance/Ficção
Número de páginas: 320
SKOOB

Adquira aqui: Loja Coerência

Sinopse: Logan Moore tem todos os direitos quando reclama de sua vida. Ele foi baleado em um beco escuro e mandado para um reformatório injustamente. Tudo o que ele quer é cumprir seu tempo naquela mini prisão e, então, sair e viver sua vida normalmente.
No entanto, Olivia chega para mudar todos os cursos de sua vida, fazendo Logan se apaixonar da pior maneira possível.
O que Logan não sabia era que o destino lhe dera uma chance de consertar seus erros e os erros das pessoas que ama. Em um segundo, ele se vê preso a uma pergunta insistente: Acreditar ou não acreditar quando seu pai diz que há uma maneira de viajar no tempo e evitar que uma grande tragédia aconteça mais para frente?
Logan, desacreditado, no entanto, decide enfrentar as barreiras do espaço-tempo e descobre que essa escolha talvez tenha sido a pior de sua vida. Problemas que traumatizam Olivia, mortes e até amizades desfeitas são algumas das causas pelas quais Logan está disposto a arriscar sua vida e… Seu tempo.

Andando em um beco escuro de baixo da chuva, Logan Moore é abordado por uma pessoa encapuzada tentando assaltá-lo. A pessoa parecia tensa e sabia que sua atitude não era certa, mas não deixou a tentativa ir em vão e o resultado de todo esse evento foi a prisão injustamente de Logan. O destino não prega nada por acaso e após alguns meses o pobre garoto faz amizade com Oliva, uma nova presidiária que faz sua vida tomar rumos diferentes.

Dentro da prisão ambos têm uma relação muito boa, diferente dos outros que preferiam deixar o ódio dominar o corpo e a raiva percorrer pelas veias. Fortes sentimentos começam a brotar dentro dessa amizade e quando menos esperava Logan já estava completamente apaixonado por Olivia, mas os presidiários são separados quando o menino é chamado à direção recebendo uma péssima notícia.

A mãe de Logan Moore acaba de falecer e ele recebeu liberdade somente para ir ao enterro e conversar com pouco com seu pai, assim para saber o motivo da morte e como as coisas andavam enquanto ele estava preso. Durante o enterro era nítido a falta de sentimentos exposta pelo único responsável que ele tinha no momento, e ao chegar em casa recebe uma das melhores ou piores notícias da sua vida.

Durante todo esse tempo, o pai do garoto havia criado remédios capazes de voltar no tempo e estava disposto a usar o primeiro para salvar a sua esposa. Insatisfeito com a ideia, Logan pega um dos remédios para testar e acaba se surpreendendo, tudo havia funcionado perfeitamente e agora ele estava com uma máquina do tempo nas mãos, mas até então não sabe se foi uma boa ou péssima escolha.

E Se… é o segundo livro da autora Giovanna Vaccaro, ele foi publicado pela Editora Coerência em 2016. A obra já fora lida por várias pessoas, mas hoje estou aqui para apontar pontos relevantes da história que até então não encontrei em outras resenhas.

Primeiramente quero deixar bem claro que E Se… não é um simples romance como muito pensam, muito pelo contrário, nessa obra você conhecerá uma mistura de romance e um pouco de ficção científica e, além disso, vai entender que qualquer escolha da vida deve ser bem analisada para futuramente não ser levada como uma decepção e Logan nos demonstra claramente isso.

“Senti-me mal por ela estar daquele jeito. Eu não gostava de vê-la triste, eu amava seu sorriso e sua risada, não suportava ver suas lágrimas caírem. (página 29)”

Ao fazer o uso do remédio com a capacidade de alterar o tempo, inicialmente o nosso protagonista acha o projeto do pai mil maravilhas. Poder reencontrar a mãe, voltar a ter contato com Oliva e realizar inúmeras outras vontades que havia deixado passar foram as primeiras coisas que ele decidiu fazer, mas o mesmo começa a assustar quando consequências surgem demonstrando que nem tudo é tão fácil quanto parece e é sobre isso que o livro fala o tempo inteiro.

Na vida temos várias escolhas, é nos proporcionados inúmeros caminhos e se você não analisar antes de idealizar um para a sua vida, você acaba indo de mal a pior. Giovanna Vaccaro nos ensina claramente que devemos colocar vários “e se…” diante de nossas vontades, “E se eu perder meu dinheiro se eu investir nessa loja e não ter retorno?”, “E se minha namorada não achar legal a forma que trato minha mãe?”, “E se o mundo acabar hoje e eu não ter tempo de fazer um elogio para as pessoas que amo?”, pode ser exemplos fracos, mas é nessa base aí que segue uma das lições que a autora nos ensina.

Destino também pode ser uma palavra-chave para essa obra. Eu não vou dizer em qual parte da história e quais personagens estão incluídos nesse quesito, mas em um determinado momento personagens reencontram após um evento muito chocante. E aí que fica mais uma lição de Giovanna Vaccaro, não faça nada sem pensar no futuro, qualquer atitude de agora pode ser consequência daqui há algumas horas ou alguns anos, e a pessoa que você realizou essa determinada atitude pode retribuir da mesma forma ou não. Essa ideia reforça ainda mais sobre nós colocarmos “e se…” em nossas ações antes de realizá-las.

Quem já leu Procura-se já deve ter uma opinião formada sobre a escrita da autora, mas o que muitos não entendem é que a pequena Vaccaro escreveu o livro quando tinha seus 14 anos de vida e estava começando a desenvolver escrita inteligência, mas é claro, isso não impediu que ela escrevesse uma história excelente, pois a obra é maravilhosa. Só que em E Se… eu consegui desconstruir a imagem de escrita que eu tinha por ela. A autora desenvolveu muito de Procura-se para E Se… a escrita dela evoluiu bastante e colaborou muito para uma história bem elaborada. Fiquei muito feliz por isso, pois encontrei nenhuma ponta solta durante a leitura.

              “— O mundo é uma caixa de surpresas — ele gritou rindo orgulhoso. (página 45)”

Os personagens criados em nenhum momento me decepcionaram, todos foram bem descritos e tiveram personalidades próprias, assim demonstrando o quanto a história é original. Além disso, os personagens secundários não estiveram no livro somente para tampar buraco — muitos autores fazem isso —, completamente ao contrário, a autora conseguiu demonstrar a importância de cada elemento que fora utilizado para construir essa história maravilhosa.

Não deve ser novidade para ninguém que segue o Desencaixados, mas mais uma vez a Editora Coerência conseguiu me surpreender no trabalho de designer e ilustração de um livro. A capa da obra é simples e maravilhosa, as cores utilizadas fazem referências a história e a parte de trás têm citações sobre o desempenho da autora, isso é um ponto muito relevante em capas de livros, pois muitos leitores decidem comprar ou não uma obra por essas opiniões.

A diagramação está maravilhosa, o tamanho da fonte é simplesmente do tamanho que me agrada — odeio fontes pequenas, pois atrasam minhas leituras —, as ilustrações que foram utilizadas também são lindas e a divisão de capítulos está impecável. Por falar em capítulos tem outro diferencial maravilhoso em E Se… que algumas pessoas não destacaram em suas resenhas, em cada capítulo tem uma frase maravilhosa e inspiradora que faz referência ao que vai acontecer naquele momento da história. Em minha opinião foi uma ideia muito boa.

Para quem conhece Giovanna Vaccaro já deve saber que em todas as suas obras ela tem o hábito de criar uma playlist para aqueles leitores que gostam de ler ouvindo música. Confesso que a playlist de E Se… está maravilhosa, eu consegui ler o livro em uma madrugada e fiquei o tempo inteiro ouvindo as músicas que se encontram no Spotify da autora, nele vocês vão encontrar Halsey, Zayn, Troye Sivan, Shawn Mendes, Adele, Ariana Grande, The Weeknd e muitos outros ótimos cantores.

Para finalizar essa resenha com chave de ouro, eu indico esse livro para quem deseja conhecer a história de Logan Moore e principalmente você que odeia romance superficiais. A autora foi um dos destaque da Bienal do Livro de 2017 no Rio de Janeiro e espero que vocês levem isso como referência, pois destaque é motivo de qualidade. Recentemente foi divulgado que todos os exemplares da obra foi vendido, mas a editora já está providenciando outra tiragem e em breve chegará nas maiores livrarias do Brasil.

 Leia Também:

RESENHA: Procura-se.
Giovanna Vaccaro se destaca na Bienal do Livro.
TOP 3: escritas adolescentes.
RESENHA: O Meu Melhor Amigo é Gay.

Comentários