RESENHA: Confissões de uma Numeração Especial
03 jul

RESENHA: Confissões de uma Numeração Especial

Resenhas

Victor Tadeu

Título: Confissões de uma Numeração Especial
Autora: Ana Paula Cândido
Editora: Independente
Gênero: Autobiografia/Autoajuda
Número de páginas: 80
SKOOB

Adquira aqui:Amazon

Sinopse: Em um mercado cada vez mais democrático, a moda, ainda pouco se fala de numeração especial. Mulheres que calçam mais que 40. E menos que 34. E isso pode ser mais difícil que você possa imaginar.

Confissões de uma numeração especial fala sobre paradigmas que ainda precisam ser quebrados sobre mulheres altas e magras. Tudo veste bem? Não tem problemas com o corpo? É feliz o tempo todo? Não pode reclamar de nada?
Quem disse isso?

Ana Paula Cândido nasceu em Governador Valadares (MG) no ano de 1986. Atualmente ela trabalha com contabilidade na sua cidade natal, apesar de não ser a profissão dos sonhos, ela consegue ser feliz no seu ramo de trabalho. Aparentemente a mulher demonstra ser muito feliz, porém muitos eventos negativos já marcaram a sua vida durante a infância, adolescência e uma boa parte da vida adulta.

Infelizmente ela passou por momentos “traumáticos” devido à numeração de seus calçados, saindo do padrão que mulheres calçam até o número 39, Ana Paula dotou uma diferença desde pequena obtendo pés maiores, que acabou gerando situações decepcionantes. Não só o tamanho dos pés, mas o tamanho físico do corpo também foram fatores que colaboraram para que ela escrevesse essa obra.

Confissões de uma Numeração Especial: História de uma Mulher Que Calça 42 é um livro autobiográfico que autora conta momentos da sua vida, o que, consequentemente torna-o uma autoajuda no quesito de auto-aceitação. Recentemente participando do programa Encontro com Fatima BernardesAna Paula Cândido apresentou sua história para o mundo.

“Pegando esse gancho sobre se defender, preciso comentar que diversas e diversas vezes quando escutava sofrer calada. (página 27)”

Infelizmente vivemos em uma sociedade na qual está sempre querendo nos moldar para um padrão de perfeição totalmente subestimado, na qual, acaba marginalizando algumas pessoas chegando gerar depressão ou suicídio. O mundo é repleto de diversidade, porém algumas pessoas não conseguem aceitar a sua diferença e muito menos a opressão das pessoas. Por isso, livros de autoajuda estão sempre sendo essenciais e bem receptivo para tais pessoas.

A auto aceitação é um processo muito complicado para àqueles que costumam dar ouvidos as ofensas, e apesar de ser um assunto muito bem retratado na atualidade não é sempre que as vítimas tem apoio ou emocional para aguentar tal pressão. Em Confissões de uma Numeração Especial, conhecemos a história de uma mulher que calça 42, parece ser um problema simples, porém as circunstâncias que ela já conviveu acabam tornando um pouco traumático.

De forma leve e totalmente sensível, Ana Paula Cândido conta trechos de sua história em 80 páginas, na qual durante a leitura os leitores irão conhecer como ela tentou lidar com problemas de aquisição de sapatos, comentários em seu ciclo social e vários outros. Esse é a primeira obra da autora, e por ser sua estreia acredito que ela evoluirá muito em sua escrita, pois, apesar de ter seus deslizes acaba sendo interessante.

“Não dá para todas serem bonitas cada uma do seu modo? Por que não realçarmos o que temos de melhor e assumir isso? (página 74)”

A escrita da autora é muito engrenada e um pouco fora do padrão. Utilizando um vocabulário atual e muito comunicativo, a escritora consegue transcrever de forma singela toda a sua história. Como o livro é curto, o leitor será capaz de fazer a leitura em poucas horas, o que, parece ser uma tarde de conversa com Ana Paula, pois a escrita e a quantidade de páginas influencia para uma leitura rápida, curiosa e totalmente prazerosa. No livro não temos muito contato com protagonistas secundários em sua vida, por isso, toda a perspectiva que iremos conhecer fazer a leitura é de Ana Paula.

A edição do livro conta com páginas pretas e brancas, porém não é ofuscante aos olhos. Com um material totalmente de qualidade e uma capa incrivelmente desenvolvida por Marcus Pallas — um capista muito profissional —, a obra é capaz de conquistar o leitor pela edição. A diagramação está excelente, fonte confortável aos olhos, contém ilustrações simples e encantadoras e tudo colabora para uma leitura marcante, e, ao mesmo tempo prazerosa.

A mensagem dessa autobiografia é clara e serve para todo mundo, por isso, recomendamos ele para todos vocês que em algum momento já passou por situações constrangedoras devido o porte físico. Confissões de uma Numeração Especial fala sobre pés grandes, mas é adaptável em vários outros quesitos de auto-aceitação. Faça a leitura agora mesma da obra e saiba como Ana Paula Cândido aprendeu se amar.

Leia Também:

• RESENHA: Sempre Faço Tudo Errado Quando Estou Feliz.
 RESENHA: O Diário do Erasmo.
• RESENHA: Planeta Brutal.
• 5 Motivos para ler A Parte Que Falta.

Comentários

  • Dalila Moura

    Eu amo esse livro!
    Como já disse para a Ana Paula ( tive essa honra)
    Ela é um presente de Deus na Terra, uma fonte de inspiração, coragem e dedicação.

    • Ana Paula Cândido

      Que fofa!! agora que vi o comentário! obrigada mais uma vez pelo carinho!