RESENHA: Batman – Criaturas da Noite
07 abr

RESENHA: Batman – Criaturas da Noite

Resenhas

Julia Giarola

Título: Batman – Criaturas da Noite
Autora: Marie Lu
Editora: Arqueiro
Gênero: Ficção
Número de páginas: 256

Adquira aqui e ajude o Desencaixados.

Lojas disponíveis: Amazon

Clique aqui para ler um trecho grátis

Sinopse: As criaturas da noite estão caçando a elite de Gotham. Bruce Wayne é o seu novo alvo.

Bruce Wayne está prestes a completar 18 anos e herdar a fortuna de sua família, além do controle das indústrias Wayne. No entanto, no dia do seu aniversário, ele faz uma escolha impulsiva e é condenado a prestar serviço comunitário no Asilo Arkham, uma mescla de prisão e hospital psiquiátrico onde estão detidos os criminosos mais desequilibrados da cidade.

Lá ele conhece Madeleine, integrante das Criaturas da Noite, um grupo radical que deseja acabar com a elite de Gotham. Até então, a moça se recusava a confessar seus crimes ou informar à polícia os futuros ataques que planejavam, mas ela resolve se abrir para Bruce Wayne, dando início a um perigoso jogo de sedução e inteligência.

Será que o jovem Wayne vai conseguir convencê-la a revelar todos os seus segredos ou ela está apenas manipulando-o para arruinar Gotham? Enquanto o golpe final das Criaturas da Noite se aproxima, Bruce percebe que não é tão diferente de Madeleine. E, mesmo longe de se tornar o Cavaleiro das Trevas, precisará provar que está preparado para deter uma das maiores ameaças que Gotham já presenciou.

Saindo da coleção Lendas da DC, a Editora Arqueiro lança mais uma incrível história sobre responsabilidade e juventude entranhada nas mitologias das grandes figuras da DC Comics. Agora focando na jornada pessoal de Bruce Wayne, somos introduzidos à uma trama cativante e envolvente que também leva seu tempo desenvolvendo os personagens e os conflitos internos das dinâmicas que serão importantes durante toda a leitura. Acompanhando o jovem bilionário de 18 anos que perdeu seus pais muito novo, Batman – Criaturas da Noite utiliza do próprio enredo para evoluir o protagonista sem se apoiar demais nos conhecimentos pré-definidos do famoso vigilante. Não, este livro conta a história antes da existência do alter ego mascarado, construindo um contexto emocional por trás das futuras ações do super-herói.

“À distância, Bruce era quase invisível, uma diminuta silhueta perdida em meio às sombras do salão de concertos, envolta na paisagem urbana. Nenhuma luz no céu apontava para ele, nenhum rosto mirava o seu, ninguém chamava seu nome. Ninguém fazia ideia de que estava ali, uma sentinela silenciosa vigiando a cidade.” – Página 239

Assim como Mulher-Maravilha – Sementes da Guerra (leia nossa resenha aqui), este livro escrito por Marie Lu apresenta uma leitura que flui muito bem, dando destaque apenas em cenas que moverão a história adiante. Descrições, tanto físicas quanto emocionais, fazem parte do contexto maior da trama, sendo relevantes em algum ponto do enredo, de uma maneira ou de outra. Estabelecendo contexto emocional e um contexto para os acontecimentos, Batman – Criaturas da Noite logo introduz o leitor na vida íntima de Bruce Wayne, juntamente com suas ânsias e o peso de ser uma figura pública. Desde o começo, a personalidade do jovem bilionário se encaixa perfeitamente como um protagonista cativante e complexo, dando ainda espaço para sua evolução durante o livro.

Ao criar um ambiente imersivo, Marie Lu ambientaliza o leitor no mundo sombrio da cidade de Gotham, esta que sempre foi uma personagem importante nas histórias do Batman. Neste livro não é diferente, já que é neste ambiente político de corrupção e sombras que acompanhamos a lenta transformação de Bruce Wayne na figura mascarada que hoje conhecemos tão bem. A busca por justiça além das barreiras da polícia é um tema importante durante toda a história, algo que acrescenta dimensão até mesmo aos antagonistas da trama. Compartilhando esta ânsia por justiça, Batman – Criaturas da Noite estabelece uma conexão forte entre os dois lados da moeda: o “bem” e o “mal”, mesmo que não sejam assim tão simples. Explorando uma sofisticada sub-trama que traça bem esta ligação, o livro de Marie Lu mostra claramente que nada é dividido apenas entre preto e branco, apresentando os vários tons de cinza entre os dois extremos.

“Era estranho que apenas uns meses antes ele tivesse posto os pés no Asilo Arkham e conhecido uma garota que parecia existir num mundo entre o preto e o branco; que parecia uma força do mal, e depois do bem, e depois de tudo que havia entre essas duas forças.” – Página 238

A premissa extremamente interessante e criativa onde coloca Bruce Wayne em contato com a trama principal do livro abre caminho também para um desenvolvimento fundamental do futuro vigilante. Durante seus serviços comunitários no Asilo Arkham, Bruce entra em contato com uma nova face da justiça, uma face que logo se mostrará parte essencial de sua personalidade como herói. A maneira como o jovem de 18 anos lida com os diversos obstáculos em sua vida ajuda a caracterizar um protagonista complexo que comete erros e sente medo.

“Se quisesse de fato colaborar com a investigação, se quisesse mesmo aprender sobre justiça, precisava ser capaz de enfrentar a escuridão.” – Página 82

Sendo também caracterizado pelas pessoas ao seu redor, a personalidade forte estabelecida para Bruce, assim como os outros personagens envolvidos na trama, estabelece conflitos internos que ajudam a criar tensão em todas as cenas. Alternando entre personagens já conhecidos e personagens originais, Batman – Criaturas da Noite é um livro para todos. Os fãs apaixonados do justiceiro mascarado irão adorar essa nova interpretação de Marie Lu, assim como as várias referências salpicadas pelo livro; e os fãs casuais – até mesmo os não familiarizados com o personagem – irão aproveitar cada segunda da história envolvente e cativante dessa jornada emocional do jovem Bruce Wayne.

Leia também

Comentários