RESENHA: As Duas Faces de um Homem
10 abr

RESENHA: As Duas Faces de um Homem

Resenhas

Victor Tadeu

Título: As Duas Faces de um Homem
Autor: Luís Góes
Editora: Independente/Clube de Autores
Gênero: Thriller
Número de páginas: 212
SKOOB

Adquira aqui: Clube de Autores

Sinopse: Mistérios. Morte. Suspeitos. Tensão. A partir do momento que Johnatan Lemon é encontrado morto, em seu quarto no Hotel BPM, em Nova York, vários núcleos começam a tomar forma. E a equipe de detetives da cidade – liderada pelo talentoso Detetive Harry Shadowkurk – começam a desvendar os mistérios e segredos que envolvem a intrigante personalidade de John Lemon, que sempre fora odiado por sua própria família. Os suspeitos se tornam, com o passar do tempo, cada vez mais indecifráveis e enigmáticos, enquanto segredos do passado voltam para assombrar a família Lemon. Além disso, o autor nos transporta para o mundo virtual, uma realidade nos dias de hoje, e nos questiona: será que tudo que vemos e pensamos saber é real? Ainda existem pessoas que desejam apenas manter um relacionamento, mesmo estando distantes, através de um perfil na Internet? “As Duas Faces de Um Homem” é um livro atrativo para todo o tipo de público, do jovem ao adulto, do poeta ao romancista. E é apenas o primeiro de uma saga, onde o detetive Shadowkurk estará presente em várias situações – o caso Lemon será apenas o começo.

 

Após ter visitado alguns familiares, a família Shadowkurk volta de Jersey City com destino em Nova York para retorna a suas vidas rotineiras. Dentro do carro estava Harry Shadowkurk e Alicia Shadowkurk, pais de Dawbert Shadowkurt. O assunto ali dentro era sobre o jeito que Dawbert levava a vida, mas consequentemente a decisão sobre o seu nome também entrou no bate-papo. O garoto já com 22 anos odiava o nome escolhido pela mãe em homenagem ao seu avô, ele preferia que todos o chamassem de Tom, mas a mãe repreendia o nome escolhido por ele mesmo e não aceitava a forma que Tom reagia com o próprio nome.

Antes de chegarem em Nova York a família resolve passar na Dream Place, uma praça localizada em Jersey City, na qual muitas pessoas gostavam de passar um trecho do dia sentadas admirando e refletindo sobre a vida. Harry e Tom são detetives e trabalham na mesma empresa em Nova York a LFIC (Laboratório Forense para Investigação de Crimes), e mesmo tendo que trabalhar naquele dia, eles resolvem descansar em cerca de minutos naquela praça.

Tudo fora acontecido muito rápido, até parecia que o destino estavam colocando-os para trabalharem um pouco mais cedo. Chegando à praça eles deparam com uma situação totalmente iminente, uma moça estava sendo perseguida por um homem, Harry como profissional tentou domar a situação, mas falhou quando até o segurança da praça levou um tiro do criminoso. Sendo jogada dentro de um fundo chafariz e ainda por cima sendo baleada, a moça consegue sobreviver graças a Tom Shadowkurk.

“— Ele jogou a moça na água! — uma pessoa gritou. Naquela altura da confusão, muitos curiosos estavam em volta, mas como sempre, nunca ajudavam. (página 25)”

Não aturando mais a própria esposa, a família retorna para Nova York e recebe uma das melhores notícias do dia. Harry Shadowkurk acabava de nomeado o novo detetive-chefe do prédio em que trabalhavam, mas no mesmo dia ele recebe duas notícias que cortam o seu coração. Em poucos minutos após o novo cargo ser anunciado,  Shadowkurk é noticiado que Johnatan Lemon, irmão gêmeo de Mark Lemon acaba de ser encontrado morto no Hotel BPM.

O novo caso foi capaz de proporcionar um grande desafio a toda equipe do LFIC, infelizmente a morte do rapaz estava sem explicações e a dificuldade que os detetives estavam tendo para investigar era grande. Em meio ao caos a história vai tomando um rumo diferente, revelações significantes são desvendadas e segredos jamais contados são desmascarados.

As Duas Faces de um Homem é o primeiro livro da saga, todas as outras obras são histórias dos detetives, ou seja, cada livro um caso diferente. O livro é do escritor Luís Góes e foi publicado de forma independente pelo Clube de Autores.

O primeiro thriller que fiz a leitura foi Alta Tensão de Harlan Coben, mas a história não me criou muita empatia pelo gênero. O segundo foi esse ano da Andrea Killmore, Bom Dia, Verônica, o livro me aproximou muito desse mundo de “policia/mistério” por retratar um assunto muito esquecido no Brasil. Mas As Duas Faces de um Homem foi o livro que realmente despertou o meu gosto pelo gênero, até o momento estou vivendo e tentando distinguir a reviravolta que essa obra tem.

Um dos maiores assuntos do livro é a desvalorização familiar — quando um membro da família desvaloriza outro e não o reconhece como parente —, muitas pessoas podem achar isso muito normal e dizer que vários livros abordam esse tema. Mas eu discordo, pois dos livros que já fiz a leitura, nunca vi uma desvalorização familiar como essa, além disso, essa desvalorização gera uma grande bola de neve que sai atingindo e grudando todos que por ela passam, ou seja, o autor conseguiu retratar isso de uma maneira fantástica, encaixando mais pessoas dentro dessa bolha de “desgosto”.

“… Não sabe como me sinto culpada todos os dias… O dia da sua morte, Johnatan, será um alívio para todos nós. O que você aproveitou em tirar de mim, e foi muita coisa, nunca foi devolvido com o afeto esperado! Dei-te essa moradia, dei-te comida para te alimentar, ingrato… (página 36)”

As Duas Faces de um Homem também aborda o perigoso que a internet pode nos trazer. Na história encontramos uma personagem que namorava 6 meses via Orkut com Johnatan Lemon — não é spoiler, isso é narrado nas primeiras páginas —, e acaba desiludindo quando marcam o primeiro encontro. O autor conseguiu nos alertar sobre o perigoso que redes sociais podem nos causas e, além disso, ele justifica e argumenta detalhadamente o assunto que está sendo tratado. Isso é um ponto muito relevante, pois a história não fica superficial e com pontas soltas, muito pelo contrário, tudo foi pensado nos mínimos detalhes.

Um grande ponto positivo que encontrei no livro foi a forma que o autor aderiu a cultura norte-americana na história. Eu já li livros que a história é passada fora do Brasil, mas a cultura brasileira e até mesmo as regras do nosso país permanecem na história, um exemplo é Sombra do Mundo, de Daniella Rosa. Em nenhum momento vejo essa escolha como algo negativo, é até legal sair do “comum” que nós conhecemos e ser radicais em se aventurar no “diferente”. Mas é muito admirável o jeito que Luís Góes conseguiu aplicar a cultura na história, é nítido para o leitor perceber que ele tinha conhecimento do que estava escrevendo, colaborando para uma leitura muito empolgante. Sei que isso é questão de gosto, no meu ponto de vista em relação a As Duas Faces de um Homem foi um ponto extremamente importante, mas, ao mesmo tempo, eu não desfaço daqueles que radicalizam a história saindo do “comum”, por isso em geral considero essa questão muito relativa, vai de cada obra e cada leitor.

Os personagens criados pelo Luís foram extremamente importantes para a história, em nenhum momento algum deles foram esquecidos. Como é um romance policial o livro é intercalado por olhar de personagens diferentes — na 3° pessoa —, colaborando para o suspense da história e deixando mais dinâmico, e por esse motivo não são todos os personagens que participam do mesmo capítulo, mas todos são de extrema importância e não são esquecidos em nenhum momento, quando você pensa que o autor o deixou de lado, ele aparece te surpreendendo.

“Era um capítulo escondido no fundo de sua alma. (página 73)”

“Tinha inicio uma relação movida apenas pelo prazer e pela gostosa sensação da traição. (página 61)”

A forma que o livro foi escrito me chamou muita a atenção. Os capítulos são curtos e muito empolgantes, sempre convidando o leitor a ler o próximo e consequentemente deixando-os com uma pulga atrás da orelha. Eu fiz a leitura da 3° edição da obra, ou seja, os erros são mínimos, mas isso não significa que não existem erros. — encontrei repetição de palavras seguidas. — A forma que ele conseguiu intercalar cada capítulo com ambientes diferentes deixou a leitura muito dinâmica, além disso, colaborou muito para que eu lesse achando que estivesse assistindo uma série policial, achei isso muito bacana e muito prazeroso.

A capa do livro condiz muito com a história, as cores escolhidas escondem muito dos personagens e o prédio ao lado parece-me ser o LFIC, após ler o livro você consegue visualizar os pequenos detalhes que a capa nos apresenta, são detalhes muitos revelador da obra. Apesar de a capa dizer muito da história, eu achei ela muito simples, acho que poderia ser mais trabalha, principalmente com o fundo, pois o azul e suas diversidades deixou o livro um pouco “distante” do interesse, acho que leitores poderiam passar pela estante de uma livraria e não se interessar pela obra, até porque o primeiro contato do leitor com um livro é a capa e ela deve ser bem trabalhada. Por outro lado, eu entendo o motivo de tudo, pois o autor é independente e não teve o apoio de uma editora, além disso, produzir uma capa não é barato e requer uma grande quantia em dinheiro, por isso devemos entender esse lado e procurar sermos menos preconceituosos na hora de julgar um livro pela capa.

De início eu fiquei um pouco incomodado com a diagramação do livro, pois estou sem os óculos e minhas vistas estão péssimas e acabei tendo um pouco de dificuldade em pegar um ritmo agradável na leitura, mas depois de algumas páginas lidas a minha visão acostumou com o tamanho da fonte e engrenei rapidamente na história. Em geral a fonte não é muito grande e nem muito pequena, é média, o espaçamento é muito agradável e a divisão dos capítulos é muito bom, o que torna a leitura prazerosa. — para quem está com os óculos.

O desfecho da história é totalmente imprevisível, eu consegui imaginar o final em algumas passagens da história, mas nunca levei em consideração a minha ideia achando que muito maluca, mas acabei me surpreendendo quando cheguei nas últimas páginas. A forma que a bola de neve criada com o caso se desfaz é muito bem criado, o autor pensou nos mínimos detalhes e consegue enganar o leitor a todo mundo — mesmo aquele que tem uma ideia do final —, fazendo ele acusar tal personagem, mas no mesmo momento dando a esperança de que outro era o criminoso. Estou muito ansioso para ler a continuação e saber se o próximo caso é instigante como o caso de Johnatan Lemon.

Todos os livros têm um público especial para fazer a leitura, mesmo eu tendo falado muito bem de As Duas Faces de um Homem eu não o recomendo para qualquer pessoa. O livro aborda assuntos familiares e algumas pessoas podem ficar incomodadas, principalmente para aquelas que não sabem diferenciar ficção realista — o assunto abordado é real, mas pouco falado — e que não tem a mente aberta. Por outro lado, eu indico para todos que gostam de conhecer histórias intrigantes e diferentes, envolvendo várias pessoas em um só caso. Mas afinal, quem matou Johantan Lemon? Só lendo As Duas Faces de um Homem para descobrir.

Comentários

  • Daniele Vieira

    Olá
    Que bom que esse livro te conquistou para o gênero policial que eu tanto amo. Achei o livro bem interessante especialmente por envolver as redes sociais na trama.
    Concordo com você sobre a capa, mesmo porque olhando para ela me vem na cabeça Auto Ajuda.

  • Ola
    eu não conhecia esse título, mas a premissa não chamou muito a minha atenção, apesar de gostar bastante do gênero e por mais que a capa tenha me deixado um pouco curiosa. Ainda assim, devo dizer que adorei poder conferir suas impressões a respeito, especialmente pelos destaques e suas importâncias no enredo.
    Beijos, F

  • Priscila

    Que resenha maravilhosa, e me fez ficar com vontade de conhecer mais profundamente essa história, principalmente porque é sobre algo muito interessante e sobre pessoas que convivemos no dia a dia…..Afinal não conhecemos a fundo nossos colegas…….Todos escondem segredos.

  • Aline Dias

    Sempre tive uma paixao por romances policiais…a ansiedade…a duvida..o misterio…a luta para encerrar o caso…E pela resenha estou mais que ansiosa para ler. Como reconhecer uma pessoa duas caras? Garanto que nao é pela convivência, voce pode conhecer a pessoa a 10 anos e ainda assim nao saber que ela é duas caras. Eu para reconhecer sempre pergunto a alguem. Dou uma de reporter investigativa kkk Mas serio, eu conheco alguem e desconfio que algo esta errado, eu entao pergunto para um conhecido dessa pessoa como ela é. Se os fatos nao baterem..se ela for de um jeito e comigo de outro..entao é uma pessoa falsa…duas caras. E é isso ^^ Amei a resenha Victor. Amei o Livro Luis. Espero ganhar esse sorteio 🍀

  • Danusia De Paula

    Olá, foi um bela resenha, mas a história não despertou minha curiosidade. capa muito bonita. Meu género é mais fantasia.

  • Joanice Oliveira

    Olá meu anjo,

    Tu escolheu começar a ler o gênero pelo pior livro do Coben haha…Alta Tensão faz parte da série Myron Bolitar e por isso acaba deixando muitas pessoas frustradas. O livro Bom dia, Verônica é bem detalhado e parece mais com As Duas Faces de um Homem e por isso fiquei curiosa por ele.

    Beijos!

  • Anastacia Cabo

    Olá tudo bem?!? Antes de falar da sua resenha preciso defender meu Careca preferido, Harlan Coben! Você não fez uma boa escolha de livro, porque o Alta Tensão é livro da série Myron Bolitar, e realmente se você não tem alguama experiência com a série, então te sugiro ler os livros independentes e dar mais uma chance a ele. Ufa!!! Rsrsrsrsrs
    Adorei a sinopse do livro, eu sou super fã de policiais e principalmente quando tem mistério e não só o crime a ser desvendado. Sua resenha foi bem elucidativa e já anotei a dica :)
    Bjs

  • Eu sou fã de Harlan Coben e esse gênero é o meu preferido, achei a premissa do livro interessante e fiquei curiosa pra saber um pouco mais.

  • Paula Sesterheim

    Olá, tudo bem?
    Então, confesso que o livro não chamou muito minha atenção, não sou fã do gênero literário, porém, achei bem legal e importante ele abordar questões como o abandono familiar e os perigos da internet. Muitas pessoas se escondem atrás de computadores e pensam que podem fazer o que quiserem, mas não é assim. Gostei mesmo, mas vou passar a dica, pois a premissa não me interessou muito.
    Parabéns pela resenha, achei bem completa e rica em detalhes.

  • Rayanni Kellsin

    Olá, tudo bem?
    Nossa que obra mais enigmática, me deixou muito curiosa.
    A sua resenha está muito rica em detalhes, e me deixou com vontade de ler a obra o quanto antes.
    Um beijo.

  • Letícia Godoy

    Nossa, que resenha completa! Parabéns, está difícil achar blogs que falem tão bem dos livros. Uma observação minha é que Laboratório Forense para Investigação de Crimes ficaria melhor com CRIMINAIS hahaha, mas essa é uma observação minha.
    Sobre o enredo, para mim, que sou fascinada por romances policiais, este livro parece um prato cheio. Amei!

  • Ivi Campos

    Quado a diagramação de um livor me incomoda, a história tem que ser boa mesmo para eu ir até o fim. Já tinha ouvido falar do livor, mas agora fiquei mais curiosa.
    Beijos

  • Luisa Aranha

    Nossa! Amei a sua resenha, super descritiva e detalhada… não tem como não ficar muito afim de ler esse livro… Eu pelo menos fiquei! Sendo autor nacional então me da mais vontade!
    Bjos

  • noconfortodoslivros@gmail.com

    Olá!! :)

    Eu não conhecia este livro e confesso que não me convenceu muito a leitura… Enfim, não sei se lerei, mas ainda bem que gostaste!

    Não sou grande leitor do género, mas a tua resenha esta muito completa, parabéns! Que bom que o livro aborda temas não muito falados!!

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

  • Raíssa Nantes

    Eu gosto muito do gênero, comecei por ele e com os romances na adolescência e adoro. Entendo seu problema com o Harlan, nenhum livro dele consegue me prender ou me impressionar como funciona com o povo que é fã dele. Não conhecia esse livro, o que me lembra que nunca li nada do gênero de autor nacional ainda. To defasada né? Dica pra lá de anotada :) Obg.

    Raíssa Nantes

  • Jennifer Silva

    Que estória maravilhosa! Engraçado que no começo da sua resenha e por conta do título, eu imaginava que o livro iria se tratar apenas do Dawbert/ Tom, e que ele possuía duas personalidades, mas não é nada disso kk. Adorei sua resenha e fiquei super curiosa para ler, o enredo parece ser realmente envolvente,o gênero: thriller policial sempre me deixa empolgada, porque quando eu penso que já estou desvendado o mistério, acaba sendo algo totalmente diferente e melhor. Sua resenha está ótima, obrigada pela dica e já vou adicionar esse livro a minha lista. Bjss!

  • Olá Victor.
    Eu gosto bastante de histórias que envolvem detetives porque é desafiante tentar descobrir quem são, de fato, os responsáveis pelo crime. Melhor ainda ter um final imprevisível.
    Os capítulos serem curtos certamente é um ponto muito positivo, isso faz com que a leitura flua mais rápida também.
    Espero que os próximos mantenham o mesmo nível de qualidade.
    Abraços.

  • Beta Oliveira

    Detalhe que quando li o nome do livro fiz uma confusão com um filme da década de 1990 que tinha um título semelhante, com o Richard Gere e o Edward Norton como protagonistas. A história parece intrigante e envolvente. Muitas possibilidades se desdobraram na minha mente à medida que lia sua resenha. Obrigada pela indicação! Abraços!

  • Jessica Christina

    Oi, tudo bom?
    Eu adoro romances policiais, amo mistério.
    Porém, a capa não me chamou a atenção. Como o tema trata disso, de alguém com duas caras, acho que uma arte mais criativa faria todo o diferencial para me “prender”.

    • Desencaixados

      Olá, Jessica!

      Justamente por isso que eu disse na resenha sobre “não julgar um livro pela capa”, isso é um grande erro nós, até porque fazemos a leitura de um livro pela história e não pela capa, a história que te prende e não o designer gráfico.

  • Paula Sesterheim

    Oii, tudo bem?
    Conheci esse livro há um tempo e me chamou a atenção devido ao mistério. Não curto livros policiais, mas essa é a segunda resenha que vejo falando muito bem dele, acho que vou ter que dar uma chance, haha.
    http://oxenteleitora.blogspot.com.br

  • Carol Mendes

    Adorei a capa e o título e você falando tão bem me deixou super curiosa pra conferir!
    Eu tô querendo ler mais desse gênero, e, como gosto de ler histórias intrigantes, e tenho mente abertas pra ler sobre assuntos não tão abordados assim, sei que irei amar esse livro!
    Tô curiosa pra saber que matou Johnatan!

    Virando Amor

  • Ruth Brandão

    Oi. :)
    Achei interessante, mas não curto esse gênero.
    Não conhecia o livro, mas sua resenha ficou muito boa. Parabéns.
    Obrigado pela visita ao Blog As Meninas Que Leem Livros.
    Bjs.

  • Oi, tudo bem?
    Que bom que esse livro fez você gostar mais do gênero. Eu adoro, mas ainda não conhecia esse.
    Gostei dos temas que foram abordados no livro e fiquei curiosa pela leitura. Pelos elogios parece ser mesmo uma ótima leitura.

    Blog Livros, vamos devorá-los

  • Suzzy L Chiu

    Heiii, tudo bem?
    Eu ao contrario gostei mto dos livros do Harlan Coben, amo o genero.
    AInda nao conhecia As Duas Faces de um Homem, mas animei de ler, justamente por ja gostar do genero e pelos pontos abordados na resenha.
    A capa nao é mto do meu gosto, mas se condiz com a historia, ok.
    Valeu pela dica.
    Beijos.

    Visitem: https://livrosesushi.wordpress.com

  • Ray Pereira

    Oi, eu gosto muito dessas histórias policias. O que gosto mesmo é tentar desvendar algo só com as pistas, mas esses livros parecem que sempre dificultam isso, hahaha. Afinal, nunca consigo desvendá-los. Gosto bastante de histórias desse gênero e acho que vou guardar essa dica para ler futuramente. Você levantou alguns pontos que curto em livros e acho que seria uma boa dica.

  • Krizia Loiola

    Olá!!
    Eu achei bem legal o título dessa obra. Sua resenha ficou bem completa mesmo.
    Como assim sério? Orkut? haha
    É bom ter esse questionamento sobre os perigos do mundo Online. Hoje em dia está tudo muito insano.
    Dica anotada.
    https://cantinhodabrub.blogspot.com.br

  • Este é um livro que eu ainda não conhecia e que talvez se fosse julga-lo apenas pela capa acabaria não dando muita bola, mas a sua resenha super completa conseguiu me deixar bastante curiosa.
    Esta é uma história que aparentemente possui os elementos necessários para me deixar presa a cada nova página. Vou adicionar aos desejados com certeza!

  • Doralice penedo guimaraes

    A resenha esta maravilhosa, você me deixou curiosa para saber quem é o criminoso, adoro livro de suspense detetive querendo desvendar o crime e a cada página lida vou tentando descobrir o criminoso rsrsrs vai ser uma leitura intrigante.

  • Renata

    Oi Victor, como está?
    Achei muito da hora a proposta do livro e com certeza quero um dia fazer a leitura do mesmo! A tua resenha com certeza me deixou curiosa com relação ao livro, ainda mais pelo tema da desvalorização familiar presente. E claro, o suspense e a trama policial são belo adendo.
    Abraços e beijos da Lady Trotsky…
    http://rillismo.blogspot.com

  • Suzane Cruz

    Mistério, suspense e tensão? Livro de detetive? JÁ QUERO! Sou apaixonada por esse gênero literário, pra mim é um dos melhores e aliás sou apaixonada pela escrita do Harlan Coben <3
    A capa do livro acho que não me agradou muito, poderia ser mais chamativa, mas pela sua resenha vou procurar o livro para ler, aliás parabéns, resenha muito bem escrita e completa. Amei!

  • Kamila Villarreal

    Olá!

    Meu primeiro policial foi Os Assassinos do Cartão Postal, do James Patterson e Liza Marklund e desde então os devoro! Esse eu não conhecia, mas chamou minha atenção. Sobre a segunda foto: na tela do note é a página inicial do Orkut??? Linda foto, aliás.

  • Suzana Chaves Linhares

    Olá! Não conhecia o livro e achei a premissa bastante interessante. Também não tenho problemas com autores nacionais que escrevem histórias fora do Brasil, o que importa é uma boa história. Gosto do gênero e fiquei curiosa para conhecer mais e descobrir quem matou o Johantan, abraços

  • Eu leio muitos thrillers, então estou familiarizada com o gênero. Infelizmente, apesar da ótima resenha, o interesse não surgiu, não vi um tchãm na história. Mas achei. Não gostei muito da capa, mas concordo com suas colocações sobre custo e tal…
    E que bom que a ambientação é satisfatória, tenho receio de livros cuja ambientação seja em um local de onde o autor não é nativo.

    Beijos

  • Dayhara Martins

    Com toda a certeza capitulos curtos são a chave para atrair a curiosidade do leitor, é impossível deixar de ler, quase que viciante! Achei o tema abordado, muito importante, a internet por mais que seja um meio incrível, ainda é cheio de armadilhas. Dica de leitura anotada.

  • Tahis Aguiar

    Olá!
    Eu amo thrillers e sério Que Harlan Coben não te prendeu? eu amo os livros desse careca rs dê mais uma chance, te recomendo “Cilada” um dos meu favoritos!
    Eu não conhecia esse livro e achei a premissa muito legal, gosto de livros que abordam a família também, isso me deixa mega envolvida com os personagens. Gostei de conhecer e irei colocar na lista de leituras, pois já faz um tempo que não leio um bom thriller!

    Beijos!
    http://blogdatahis.blogspot.com.br/

  • Maria Luíza Lelis

    Olá, tudo bem?
    Eu lia muitos romances policiais quando era mais nova, porém, com o tempo, eu fui perdendo o interesse. Comecei a achar as histórias repetitivas e já não sentia mais vontade de ler.
    No entanto, nos últimos tempos tenho recuperado a curiosidade por esse tipo de livros e a premissa deste me deixou curiosa. Me desanima um pouco saber que é uma série, mas, como cada livro é um caso diferente, acho que darei uma chance para esta leitura.
    Adorei a dica!
    Beijos!

  • Larissa Telles

    Olá, tudo bem?
    Eu ainda não conhecia esse livro e confesso que não sou muito fã desse gênero literário, sabe? Por essa razão devo admitir que não fiquei lá muito animada com a sua dica. No entanto, ao mesmo tempo gostei bastante da sua resenha, pois deu para saber bastante coisa sobre o livro e o mesmo parece ser interessante. Achei bem bacana o autor abordar a desvalorização familiar, pois isso é algo muito real e frequente, né? E gostei de saber que o desfecho é imprevísivel, outro ponto que também gostei foi a capa.

    Beijos :*

  • Resenhando

    Oii, gostei da história e da trama. Não conhecia esse livro e nem o autor, mas com certeza vou querer ler esse livro. Fiquei bem curiosa para conhecer essa história e como tudo vai se desenvolver. Parabéns pela resenha.

    beijos

  • Bruna Costabeber

    Olá!
    Esse gênero é um dos que mais curto e fiquei contente por conhecer suas impressões, principalmente, porque ainda não conhecia esse título. Acho que muitos leitores podem não gostar dessa obra pelos temas abordados, como você bem disse. Estou me perguntando quem matou o Johantan e espero ter a oportunidade de ler para saber.
    Beijos ♥

  • Rafaella Viegas

    OIii tudo bem??

    Achei um pouco confusa a história, e não sei se iria gostar da mesma pelo mesmo motivo.
    Gosto de suspense e policial, mas não consegui sentir uma conexão com esse livro.
    A resenha me esclareceu um pouco, mas não tanto.
    Bjus Rafa

  • Rafaelle Vieira

    Oi, Victor!
    Primeira resenha que leio desse livro, mas já fiquei curiosa por ser um livro de detetives. Gosto muito de histórias do gênero e fiquei curiosa para ler o livro. Sua resenha me instigou ainda mais e se tiver oportunidade vou conhecer o livro.

    Beijos,

    Rafa [ blog – Fascinada por Histórias]

  • Pollyanna Campos

    Olá, tudo bom?
    Não conhecia esse thriler mas confesso que fiquei super curiosa para lê-lo por ter essa temática de desvalorização da família, que nunca encontrei em nenhum outro livro do gênero. Outro tema que curti foi essa questão dos perigos da internet. Juntando isso ao fato de que fora esse livro que te aproximou de vez do gênero, só me deixou extremamente curiosa para lê-lo. Quero muito conhecer esse final imprevisível! Sugestão mais que anotada! Adorei a resenha!

    Beijos

  • Our Brave New Blog –

    Eu adoro esse gênero, seja em livros, filmes ou séries.
    Não conhecia esse livro, mas confesso que a história em si não despertou muito a minha curiosidade.
    Mas as vezes acontece de você ver uma história, ela não encher seus olhos e depois você se surpreender né?! Por enquanto não leria, mas lerei a resenha dos próximos volumes…

  • Luan Sampaio

    Oi, tudo bem?
    Essa sua resenha me apresentou inúmeras curiosidades a respeito, confesso para você que sou uma pessoa que julga muito o livro pela capa, infelizmente, então talvez eu não ia despertar o interesse logo de cara, mas entendendo a premissa e conferindo a respeito dos temas e o desfecho, tudo me aparentou ser interessante, tenho certeza que eu irá gostar bastante da leitura! Li um livro recentemente a respeito da desvalorização familiar e me cativou totalmente! Com certeza esse está na lista dos desejados!

    Att,
    Lu – @justificou | https://justificou.blogspot.com.br/

  • Cristiane Rodrigues

    Oii!!!
    Gosto muito desse tipo de livro. Tanto é, que sou fã de Agatha Christie. Achei o livro bem interessante, e fiquei curiosa para entender melhor o caso do Johantan Lemon. Por mais que as vezes fique frustrada por não conseguir descobrir o assassino, eu continuo instigada a ler livros assim. Como é uma série de livros com os mesmos investigadores, me lembrei dos livros de Robert Galbraith, (J.K. Rowling) que seguem a mesma linha com o detetive Cormoran Strike. Gosto de mais de leituras didinâmicas, não ficamos com vontade de parar de ler. Vou querer esse livro com certeza.
    Beijos

  • Ana Paula Lima Miranda

    Oiii!

    Eu não conhecia esse livro, faz tempo que não leio nada do gênero, como você mesmo disse, esse é um livro que por mais maravilhoso que seja, ele precisa de um momento certo para ser lido, pois se você não tiver na vibe vai acabar não lendo com tanta vontade e não apreciando a história.
    Gostei da sua resenha!

    beijinhos

  • drielymeira

    Oiee ^^
    Ainda não conhecia este livro, mas achei a trama interessante e um pouco diferente de tudo o que eu já li, mas não gosto muito quando têm detetives na história *-* Estranho, porque eu até que gosto de thrillers…haha’ mas não gosto dos detetives e da parte policial *-* Vai saber, né?
    Mas eu fiquei curiosa depois de tudo o que você disse a respeito da história. Gostei :)
    MilkMilks ♥
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

  • Leitora Voraz

    Oi Victor, tudo bem?
    Eu adoro esse gênero investigativo. Gostam quando falam de família. É muito triste quando um dos membros é isolado pelo outro. Fiquei curiosa para saber sobre o que ele vai falar ao abordar esse tema. Que bom que os capítulos são curtos e o final é imprevisível. Dica anotada. Sua resenha ficou ótima!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

  • Tamara Padilha

    Oi, bacana que esse livro conseguiu realmente te atrair para os livros policiais. Achei bacana esse alerta aos perigos da internet e também essas discussões familiares. Só uma dica, cuidado com os erros ortográficos, as vezes eles atrapalham um pouco na leitura de resenhas.