RESENHA: A Vila dos Pecados
25 nov

RESENHA: A Vila dos Pecados

Resenhas

Julia Giarola

Título: A Vila dos Pecados
Autor: Soraya Abuchaim
Editora: Coerência
Gênero: Suspense, Mistério
Número de paginas: 447
SKOOB

Adquira aqui: Loja Coerência

Sinopse: Final do século XIX. Enquanto o mundo passa por transformações importantes, existe uma vila inóspita, que vive à margem da civilização e que tem as suas próprias e estranhas leis.
Lendas escuras a rondam e histórias macabras sobre Ponta Poente povoam o imaginário popular.
Quando o padre Alfonso Anes, um exemplo vivo de amor e resignação, chega à vila para substituir o seu antecessor, depara-se com segredos que o farão duvidar da própria sanidade, e uma onda de mortes trará o caos para aquele lugar ermo.
Quem estará a salvo? Serão estes segredos o fim de quem os esconde? O que esse universo tenebroso revelará para o mundo?
Um suspense sinistro, que envolverá completamente o leitor e o levará a compartilhar dos segredos da Vila dos Pecados.

Após a morte de Padre Bento, uma remota vila se encontra em uma encruzilhada ao se deparar com a possibilidade de uma mudança drástica na vida de seus moradores. Em meio de corrupção e assassinatos, o novo padre, Afonso, tem que lidar com os pecados mais sombrios de Ponte Poente, lutando contra oposições vindas daqueles que se beneficiam tanto com a vida pecaminosa. Entre dramas e mistérios, A Vila dos Pecados trás um diverso elenco de personagens bem desenvolvidos e uma trama para lá de diferente.

“O ser humano gosta do comodismo, do conforto. Qualquer mudança traz dor e, para muitos, malefícios, mesmo que os benefícios sejam em maior número. Sempre haverá resistência.”

Com uma decisão interessante de focar na vida religiosa, focando principalmente nas escolhas e sacrifícios que são implicados à esta vida, Soraya Abuchaim nos introduz à um bom protagonista, Afonso, um diferencial no livro que, apesar de bater repetidamente em alguns pontos (como a beleza do novo padre), é esse contraste estabelecido entre o novo padre e as pessoas da vila que prepara tão bem o que está por vir. A premissa política interessante, explorando assuntos como a corrupção e conspirações, A Vila dos Pecados se torna um drama muito bem contado e desenvolvido.

“… em Ponta Poente, ninguém era aquilo que demonstrava ser, e os pecados corriam livremente pelas suas ruas estreitas, como sangue nas veias de um ser humano.”

Soraya Abuchaim entende a importância do desenvolvimento dos personagens para justificar suas futuras ações e, por isso faz questão de adicionar em seu texto seus respectivos passados, seus anseios e ambições que, apesar de genéricos, funcionam no contexto da história ajudando o leitor a entender cada ponto de vista por mais extremo que seja. A autora não deixa de desenvolver o mais simples das personalidades da vila, designando a cada um características e personalidades fortes. É este ótimo elenco de pessoas que compõe um cenário sombrio e misterioso essencial em todo suspense.

“A noite avançava inclemente, o tempo parece nunca preocupar-se com as angústias pessoais, e se ele pode curar devido à sua sabedoria, também é bem verdade que acelera os anseios e processos de degeneração;”

Ao estabelecer um bom ritmo na narrativa, a história se desenvolve lentamente, mas de maneira interessante. O livro demora um pouco a encontrar seu gênero (suspense/terror), sem deixar de ser um bom drama hora nenhuma. Porém, ao se deparar com o enredo dos assassinatos, o aspecto tenso da trama aumenta, utilizando agora o drama como uma ferramenta investigativa para o leitor, o que se provou muito envolvente. Nosso conhecimento sobre os personagens ajudam no mistério que se desenvolve em Ponta Poente, nos integrando à Vila dos Pecados.

A escolha de ser um livro de época pesa um pouco a história que tem que ser ao mesmo tempo fiel às pesquisas, mas também transmitir uma linguagem fácil para o leitor. Mas a forma de escrita estabelecida desde o início que mantem sua consistência cria uma distração deste fato não deixando que atrapalhe a leitura. O clima sombrio criado neste período foi bem eficaz em transmitir a sensação de inquietação, mostrando o porquê desta ambientação.

Como todo livro da Editora Coerência, a qualidade é muito boa, se destacando o tamanho da letra que deixa a leitura muito mais rápida e confortável, apesar de ser uma história bem extensa. A diagramação é adequada ao clima da trama pesada, assim como a capa trevosa. Com certeza um livro para ficar de olho se você é fã de suspenses e dramas, com personagens bem desenvolvidos e uma boa escrita.

Leia também

Comentários