RESENHA: A Jovem na Floresta
05 nov

RESENHA: A Jovem na Floresta

Resenhas

Victor Tadeu

Título: A Jovem na Floresta
Autora: Carmen Weiz
Editora: Independente
Gênero: Thriller
Número de páginas: 460
SKOOB

Adquira aqui: Amazon

Sinopse: Diretamente das florestas de pinheiros na Suiça. É uma triste reviravolta do destino que catapulta Anna, uma jovem brasileira, em uma realidade maior que ela. Impulsionada pelo desejo de fazer o bem, ela se vê escrava do tráfico de seres humanos, nas mãos de torturadores impiedosos, prontos a vendê-la ao maior lance. Apenas sua astúcia permitirá que ela escape, ajudada pelo oficial suíço Thomas Graff, um homem com um coração frio e um passado que não consegue deixar para trás. Uma batalha muito picante entre duas culturas completamente diferentes que fará voar faíscas. Esta é a história de Anna, injustamente vítima como muitas outras mulheres. Entre intrigas, traições, crimes e jogos do destino, uma jovem lutará pela sua liberdade e pelo amor.

Thomas Graff estava caminhando juntamente com sua cachorra Betsy por uma trilha em uma floresta incrível para realizar a atividade. Aproveitando o encanto da natureza para trazer uma leveza ao corpo, ele e a cachorra percebem que algo estava errado na redondeza daquela trilha, uma jovem estava em perigo, e mesmo fora de expediente ele tenta exercer o serviço.

O homem faz parte de um pequeno corpo de polícia da cidade em que vive, ele persegue os dois homens que estão junto com a jovem, porém ao perceber a presença de Thomas, a mulher é jogava de um enorme abismo, chocando-se de forma bruta com toda superfície que se encontra próximo de pedras, um lago e árvores.

Inconformado com a situação e a falha miserável que teve ao tentar ajudar a moça, ele entra em desespero e entra em contato com o serviço de emergência e seu amigo. Desde o início o policial não queria sair de perto da mulher que aparentava estar morta, mesmo que outros fatores dissessem o contrário

Já no hospital, a mulher estava sendo atendia e recebendo os melhores cuidados possível para não morrer. A situação de saúde dela não estava estável e todo o seu físico demonstrava como a queda foi proporcional para prejudicá-la ainda mais. Deixando a empatia e o serviço de proteção falar mais alto, o policial decide acompanhar todo aquele caso até os responsáveis sejam encontrados.

A Jovem na Floresta, da escritora Carmen Weiz foi traduzido para português recentemente e está sendo distribuído em modo independente. A autora está com um projeto de traduzir o título para diversos idiomas que ela tem conhecimento, o livro é um thriller bastante instigante e tem assuntos incrivelmente curiosos, além disso, é o primeiro de uma série — os títulos podem ser lidos separadamente.

O desenvolvimento dessa obra é bastante engajado, apesar de haver alguns fatores que possam dividir opiniões, logo no início da leitura a escritora consegue prender a atenção do leitor apresentando uma cena extremamente impactante, acelerada e bem escrita. Ao decorrer dos capítulos iremos acompanhar a investigação de Thomas Graff diante do caso e suas nuances.

A Jovem na Floresta é narrada em perspectivas diferentes, foi um elemento bastante agradável que a autora conseguiu integrar na história para apresentar ao leitor como os personagens estão agindo e pensando de acordo com toda a situação que encontram. Anna é um dos pontos fortes nesse quesito, pois inicialmente acompanhamos a sua recuperação muito dolorosa, fazendo o leitor sentir na pele todas as suas atuais decepções e sofrimento.

A autora consegue trazer um assunto muito pouco explorado no meio literário, na leitura dessa história conheceremos uma protagonista vítima de tráfico humano em fronteiras. A escritora soube abordar de forma curiosa e realístico esse cenário cruel e massacrante desenvolvido pela ganância dos seres humanos. Apesar de ser um assunto pesado, Carmen utilizou um vocabulário consideravelmente mediano, porém com vínculos reais, assim não deixando a essência desse quadro ser esquecida.

Por falar em vocabulário, a escritora tem um estilo de escrita que pode dividir opiniões. Durante toda a leitura iremos acompanhar capítulos com descrições muito profundas e longas, esse é um elemento que os leitores costumam reclamar, porém, Carmen soube trabalhar nesse quesito. Os seus parágrafos longos são dotados de detalhes instigantes, consequentemente não deixando a leitura tediosa ou arrastada.

O título tem um romance muito bem desenvolvido, inclusive um dos pontos mais forte desse envolvimento de sentimentos, é como o “casal” conseguiu se apaixonar por uma pessoa da cultura diferente da sua, assim, sabendo lidar com as divergências e ao mesmo tempo aprendendo um com o outro.

Infelizmente dessa vez não podemos falar sobre o trabalho editorial da obra, pois não recebemos o exemplar em edição física. Porém, a escritora nos enviou um exemplar autografado para realizarmos um sorteio, por isso, essa crítica será realizada por vocês, mas podemos adiantar que a edição está sendo realizada pela gráfica do Clube de Autores.

A Jovem na Floresta é um thriller que explora de forma surpreende o tráfico de mulheres em fronteiras e, além disso, nos apresenta um romance desenvolvido através de culturas divergentes. O livro é uma excelente opção para quem gosta de história sobre investigação que envolve romance.

Leia Também:

RESENHA: Enterre Seus Mortos
RESENHA: Movimentos Perigosos
RESENHA: Contas a Pagar
RESENHA: Fogo & Aurora

Comentários