RESENHA: Interdimensional
24 maio

RESENHA: Interdimensional

Resenhas

Victor Tadeu

Título: Interdimensional
Autor: F.P. Trotta
Editora: INDEPENDENTE
Gênero: Ficção Científica
Número de páginas: 270
SKOOB

Adquira aqui: Loja F.P. Trotta

Sinopse: Depois de escaparem da Ascensão, Amanda, Lina, Stryker, Ripley e Kai são fugitivos procurados pela galáxia, morando escondidos na fortaleza invisível da Belladonna e a descoberta de como planetas do Tipo 13 ascendem de nível no cosmos tem consequências imediatas entre as relações da nave.
O grupo relutantemente decide então retornar à Terra o mais rápido possível em uma tentativa de prevenir o planeta contra uma iminente vingança de Nitro contra Amanda, mas são surpreendidos ao encontrar apenas destroços aonde nosso planeta existia e serem jogados para fora da Belladonna no vácuo do espaço por um grupo desconhecido, que saqueia a nave e os abandona pra morrer.
Protegidos apenas pelos seus trajes espaciais – com uma quantidade limitada de oxigênio racionando cada respiro o grupo se encontra flutuando na escuridão, consumidos pelo nada e sem uma hipótese ou chance restante nas mangas quando do meio do infinito de estrelas uma de suas luzes ganha força, como se um planeta estivesse rasgando o céu voando em sua direção.
No entanto, a luz que avançava como um tiro rumo a eles não pertencia a um planeta, e sim à cauda reluzente de uma libélula monstruosa – do tamanho de uma cidade – voando pelo Cosmos não para se alimentar de sua proteína (por mais faminta que estivesse) – mas pelas ordens de seu capitão.

 

Agora Amanda e sua nova equipe está correndo muito perigo pelo universo, após escaparem da Ascensão eles são os seres mais procurado pela galáxia e infelizmente a nave que os escondiam acaba sendo descoberta. Tudo aconteceu muito rápido, a nave Belladonna estava sendo atacada por um ser que até então eles não conheciam e durante a luta pelo controle do local Amanda e seus amigos são arremessados pelo espaço a fora.

Rodopiando pelo breu do espaço todos começam a ficar desesperados, pois já estavam prevendo como iriam morrer. Tudo muda quando um inseto enorme — nave biomecânica — os engolem como se fossem uma pequena bactéria vagando pela galáxia. O que eles não esperavam que dentro daquele inseto era tudo organizado e liderado por dois alienígenas.

Com muita repreensão o encontro de Amanda, Lina, Stryker, Ripley e Kai com a dupla alienígenas foi uma explosão de revelações, ali mesmo foi discutido e compreendido tudo o que estava acontecendo com todo o cosmo. E por ironia do destino o novo grupo de fugitivos ligam os pontos e começam a desvendar o verdadeiro plano de Nitro.

Agora, sendo ameaçada por toda a galáxia Amanda e todos os seus amigos estão fugindo de todos aqueles que possam lhe entregar para seus agressores, além disso, durante a conversa com os novos parceiros alienígenas alguns assuntos extremamente chocantes foram esclarecidos, assim aumentando mais ainda a preocupação de todos com a situação do espaço.

Interdimensional, segundo livro da quadrilogia Intergaláctica e escrito pelo autor F.P. Trotta continua narrando as aventuras e missões de Amanda e sua equipe. Dessa vez o livro foi publicado de forma independente e está com uma edição totalmente diferente da primeira obra que fora lançado pela Livros Ilimitados.

O início do livro é totalmente diferente de qualquer outra série/saga que já fiz a leitura. O autor começa contando histórias que inicialmente são consideradas avulsas sobre assuntos que o leitor não faz ideia do que é, mas é claro, conforme essas histórias são contadas nós vamos tendo um melhor entendimento. Até as 80 primeiras páginas do livro ficamos fazendo a leitura dessas “histórias antigas”, ou seja, o livro não começa exatamente do momento em que Intergaláctica acabou.

Como faz muito tempo que li o primeiro livro da quadrilogia eu fiquei um pouco perdido durante a história, tive um pouco de dificuldade em iniciá-la e esses textos de compreensão influenciou muito. Eu fiquei tentando entender o motivo daqueles personagens — novos — ali na trama, toda hora eu me irritava tentando lembrar deles no livro anterior e devido isso pensei em desistir da obra muitas vezes. Mas vamos justificar os fatos. Esses textos iniciais foi uma forma do autor esclarecer e deixar mais amplo a nossa mente para a história que ele criou, pois mais para frente durante a leitura o leitor é capaz de entender o real motivo dos textos, e confesso para vocês que eles foram muito fundamentais durante a minha experiência com a obra — mesmo me incomodando no início.

Em Interdimensional eu achei o F.P. Trotta muito audacioso, ele arriscou muito inovando o que não é comum para MUITOS leitores, assim nos alertando para não sermos acomodados durante a leitura da obra. Além dos textos iniciais, ele também arriscou em uma nova edição física para toda a série — mais para frente falarei sobre ela. Mas um dos elementos que mais me chamou a atenção foi como ele conseguiu expandir a noção de “galáxia”, pois durante a história iremos conhecer planetas, dimensões e zonas que nunca pensamos em imaginar, e particularmente fiquei muito feliz em saber que ele foi capaz de aumentar a minha visão de espaço — mesmo que seja ficcional.

Outro elemento que chamou muito a minha atenção e mudou totalmente a história foi os seres que foram criados por ele. Eu não tenho contato com muitas obras de ficção científica e nem fantasia, por isso não sou acostumado com a apresentação de outros seres, mas sei que muitos criados e mencionados em Interdimensional foram totalmente bem trabalhos, assim fugindo do clichê e entrando no inovador.

O autor já me deixou avisado sobre a primeira revisão do livro, porque como é a primeira edição alguns erros passaram despercebidos. Sim, realmente existem alguns erros de revisão, mas eles não atrapalham a leitura em nenhum momento. O que realmente pode incomodar muitas pessoas é a diagramação interna da obra, pois o texto não é justificado — digo em linhas — e isso acabou desalinhando muitos “projetos gráficos” que ele fez no word — como o famoso traço (-) para indicar continuação de palavras na linha abaixo, eles acabam aparecendo junto com a palavra no meio do texto. — Outro ponto que também poderia ser mais atento são os capítulos que variam de curtos, médios e enormes, e infelizmente eu escalo as minhas leituras por capítulos e isso veio a me incomodar um pouco, mas foi nada grave até porque me ajudou MUITO a adiantar a leitura — após os textos iniciais eu li em quase horas.

Na orelha do livro é informado os livros que completam a série e foi uma novidade para mim ao encontrar mais um título nessa lista, pois o universo criado por F.P. Trotta é tão grande que apenas três livros não será o suficiente para explicar e narrar a história, por tanto de trilogia, Intergaláctica virou uma quadrilogia. Além disso, no final da história é exposto uma imagem com alguns personagens e um glossário com planetas que são citados durante a história.

A capa do livro condiz muito com a obra, só que a parte de trás diz muito mais sobre o que será relatado durante a leitura e podemos perceber isso nitidamente quando chegamos mais ou menos no meio do livro. Esse é outro ponto positivo, pois aparentemente o autor se dedica muito em projetos visuais com personagens cenários e elementos da obra, assim ampliando o nosso conhecimento por essa “mitologia” criado por ele.

O desfecho da história me surpreendeu muito, nunca imaginei que as reviravoltas iriam finalizar de uma forma tão surpreendente como F.P. Trotta foi capaz de pensar, o que nos leva a entender que a trama é tão original que não têm indícios para previsões concretas, assim colaborando com uma leitura ainda mais recheada de surpresas.

Portanto eu indico vocês fazerem a leitura do livro sem expectativas iniciais, espere Amanda aparecer na história para começar fazer a ficar mais animado e vidrado com o livro, pois é muito provável você fica perdido no início. Então não perca tempo, faça a leitura de Interdimensional o mais rápido possível e caso você não tenha lido Intergaláctica leia também.

Comentários