Oscar sofrerá mudanças para aumentar audiência
09 ago

Oscar sofrerá mudanças para aumentar audiência

Notícias

Victor Tadeu

Há 90 anos a Acadêmia de Artes e Ciências Cinematográfica criou uma premiação voltada para os cinéfilos, na qual, até hoje conhecemos como Oscar. Apesar de o programa ser transmitido há muitos anos e em apenas uma noite, algumas mudanças para as próximas edições foram afirmada justamente para manter o publico anda caindo de forma gradativa, como 20% de 2018 em relação a 2017.

Os direitos de transmissão do programa é totalmente da ABC, o canal pago da Disney, mas com a audiência caindo as propagandas e intervalos também estão sofrendo queda de valores, o que, infelizmente acarreta na maior fonte de lucro da Acadêmia de Artes e Ciências Cinematográfica, uma nota já afirmada pelos pesquisadores ser a transmissão do Oscar.

Apesar de ser assustador para os amantes da cimatografia, mas essa queda anda acontecendo desde a indicação de Titanic, que segundo a F5 — Entretenimento da Folha — reuniu 40 milhões de americanos. Porém uma mudança foi realizada com o intuito de ajustar essa queda, adicionando 10 longas metragem invés de 5, mas não adiantou muito, já que somente jovens andam consumindo, principalmente quando Mad Max: Estrada da Fúria foi indicado.

Portanto, três mudanças foram feitas pela ABC diante da Acadêmia de Artes e Ciências Cinematográfica para tentar reajustar o público do Oscar. A mais impactante é que nessa quarta-feira (4) foi votado pelo júri a criação da categoria “Melhor Filme Popular”, que até o momento não foram divulgados os critérios e formas de avaliação, por outro lado, as próximas premiações durará somente 3 horas — com prêmios entregue antes ou até mesmo durante os intervalos, semelhante ao Grammy — e as transmissões serão adiadas para o início de fevereiro, ou seja, não será mais no final do mês.

É valido lembrar que a cerimônia do Oscar de 2019 continua marcada para o dia 24 de fevereiro, porém a de 2020 está agendada para 9 de fevereiro, assim, iniciando mais cedo.

Comentários