Netflix é criticada por normalizar o abuso infantil após revelar nova série
13 jan

Netflix é criticada por normalizar o abuso infantil após revelar nova série

Notícias

Myrna Ariel

Após o anuncio da sua nova série, intitulada Baby, a Netflix começou a ser acusada de normalizar o abuso infantil a partir do enredo do novo projeto da plataforma. A acusação está sendo feita por uma ONG chamada de National Center on Sexual Exploitation, onde os seus integrantes são sobreviventes de abuso sexual infantil.

Baby conta a história de adolescentes ricas, que para adquirirem roupas de grife e eletrônicos de última geração se prostituem. A série será baseada no Baby Squillo Scandal, um acontecimento que ficou bastante conhecido na Itália em 2014 quando foi descoberto um cartel de prostituição infantil, onde garotas de 14 e 15, que faziam parte de famílias de classe alta da Itália, vendiam seus corpos em troca de dinheiro para adquirem bens de consumo.

A National Center on Sexual Exploitation divulgou uma carta falando sobre o assunto e acusando a Netflix de agir com duplo padrão. Vítimas, advogados e psicólogos que fazem parte da ONG assinaram a carta pedindo o cancelamento da série e uma mudança de postura da plataforma de streaming que lucraria ao abordar o tema, mas que estaria deixando de cumprir o seu papel social ao fornecer Baby como entretenimento. Em 2014, no Baby Squillo Scandal, muitas celebridades, políticos e executivos foram presos após o escândalo, entre os detentos estava o marido de Alessandra Mussolini, neta do político Benito Mussolini.

A Netflix até o momento não se pronunciou sobre o assunto, não sabemos se a série será cancelada ou continuará com a produção que aconteceria na Itália. O que parece é que a plataforma pode falhar ao tentar mostrar os acontecimentos chocantes de 2014 em um formato de série, é um tema bastante complicado de ser abordado, qualquer descuido no roteiro e o enredo pode acabar passando uma mensagem diferente da que deveria.

Fonte: NCSE

Comentários