Power Rangers
29 abr

Power Rangers

Filmes

Julia Giarola

Filme: Power Rangers
Título original: Power Rangers
Data de lançamento: 23 de março de 2017
Duração: 2h 04min
Direção: Dean Israelite
Gênero: Ação, Aventura
Nacionalidade: EUA
Sinopse: A jornada de cinco adolescentes que devem buscar algo extraordinário quando eles tomam consciência que a sua pequena cidade Angel Grove – e o mundo – estão à beira de sofrer um ataque alienígena. Escolhidos pelo destino, eles irão descobrir que são os únicos que poderão salvar o planeta. Mas para isso, eles devem superar seus problemas pessoais e juntarem suas forças como os Power Rangers, antes que seja tarde demais.

Depois de fazer parte da infância de milhares de crianças, Power Rangers, agora, vem para conquistar todos os públicos. Acompanhando a história de cinco jovens que são escolhidos pelo destino para se tornarem defensores de toda a vida do planeta, o filme toma algumas decisões ousadas, mas não deixa de escapar dos clichês. A trama é uma bela mistura entre o clássico dos anos 80, Clube dos Cinco e os novos filmes de super-heróis, trazendo familiaridade para diferentes gerações.

Com certeza muitos fãs já estão contentes apenas em ver os heróis coloridos na telona, porém o filme parece não querer se apoiar apenas na nostalgia, desenvolvendo bem seus personagens e alguns enredos da história. O grande problema, porém, são vários pontos na trama que parecem forçados e muito convenientes para serem ignorados. Apesar de conseguirem escapar com alguns clichês, a persistência é o que atrapalha o longa.

O filme tem um início sólido, com diálogos dinâmicos e interessantes entre os protagonistas. O desfecho agrada devido as sequências de ação bem dirigidas e o toque brega do antigo programa de televisão. É o segundo ato, contudo, que pesa o longa. As montagens de treinamento e relacionamentos forçadas entre os personagens abaixam o nível do filme, que poderia ter sido uma enorme surpresa.

O design do filme é seu maior pecado, pois além de não se encaixar no ambiente que se passa a história, também não consegue fazer homenagem ao clássico. As armaduras são distrativas e mal executadas, o que prejudica os elementos fortes do longa.

O elenco faz um bom trabalho, mas nada além disso. O único que se destaca é RJ Cyler, que interpreta Billy, o Ranger Azul. Seu alívio cômico é sutil e beneficente, distraindo o público de pequenos erros do filme. Elizabeth Banks também traz uma boa atuação como Rita Repulsa, homenageando o clássico com sua extravagância, mas a ponderando quando necessário.

A trilha sonora é um ponto alto do filme, pois se encaixa perfeitamente aos acontecimentos chegando até a ser icônica. Muitas músicas estabelecem o clima das cenas explorando sons atuais, sem contar com o enorme easter egg que também faz participação: Go Go Power Rangers. Mas este não é o único presente para os fãs, Power Rangers também conta com pequenas participações especiais de Jason David Frank e Amy Jo Johnson, os originais Ranger Verde e Rosa. A aparição é pequena, mas os fãs mais dedicados irão conseguir identificá-los.

Power Rangers tem muitos problemas, mas é uma boa experiência nos cinemas. Vale a pena comprar ingressos, ir com os amigos e voltar a ser criança por duas horas se quer. Tem ação, tem comédia e tem nostalgia, o que acaba fazendo o filme divertido. ESPEREM OS CRÉDITOS ACABAREM… tem cena extra!

Nossa nota é:

Assista ao trailer:

Comentários