CRÍTICA – O Aviso
24 jul

CRÍTICA – O Aviso

Filmes

Victor Tadeu




Título: O Aviso
Título original: El Aviso
Data de lançamento: 24 de julho de 2018
Duração: 1h 34min
Direção: Daniel Calparsoro
Gênero: Ficção/Suspense
Nacionalidade: Espanha

Sinopse: Depois de seu amigo ser baleado, Jon descobre um padrão matemático nas mortes ocorridas no local e tenta alertar a próxima vítima.

 

Em uma noite chuvosa Jon estava dentro do seu carro em frente de um apartamento esperando o seu amigo David sair de uma aparente reunião de trabalho, um pouco preocupada com a demora, a namorada do seu amigo liga perguntando se têm notícias do homem, aproveitando a ligação ela pede Jon para passar na conveniência do posto mais próximo para comprar gelos. Após alguns minutos David aparece com novidades e muito feliz para revelar o segredo que estava guardando há um tempo.

Ainda dentro do veículo, David conta para Jon que comprou passagens para viajar com sua esposa até Paris, onde ele iria pedir ela em casamento e Jon seria um dos padrinhos caso ela aceitasse o pedido. Indo para a loja de conveniência ela decide comprar um champanhe em comemoração, porém ao entrar no estabelecimento é recepcionado com um disparo iminente na cabeça. Justamente em uma noite decisiva o homem é baleado e o motivo dos disparo ninguém sabe.

O Aviso, dirigido por Daniel Calporsoro é o mais novo longa-metragem Original Netflix lançado dia 24 de julho de 2018. Ele é uma produção espanhola e está contando com a atuação de Raúl Arévalo (Tarde Para la Ira), Aura Garrido (Formatura Fantasma), Hugo Arbues (O Ministério do Tempo) e entre outros atores com um excelente trabalho. Continue lendo a crítica e saiba mais sobre a produção.

Nesse longa-metragem você vai conhecer mais um típico suspense que tem uma grande mescla com enigmas matemáticos, a história é rodeada em volta do ataque misterioso ao Jon e elementos históricos com uma junção de matemática influenciam para o suspense considerável de O Aviso. A ideia central é muito bacana, porém a produção peca ao deixa o cronograma um pouco indecifrável, pois em certos momentos acreditamos que as cenas são intercaladas em passado e presente, porém em outros momentos somente no presente com perspectivas diferentes.

O suspense da história poderia ser melhor explorado, a direção estava com fatores elementais divinos para um longa-metragem totalmente inovador, só que, acabou pecando quando deixou de aprofundar na história dando várias voltas no enigma fácil de ser decifrado. A grande reviravolta de O Aviso acaba ocorrendo no final, o que está sendo muito típico dos filmes que a Netflix está lançando recentemente. Apesar do calado desenvolvimento da história as cenas chegam ser interessantes e instigante por causa da boa interpretação dos atores.

O filme pode ser decepcionante para uma grande porcentagem dos expectadores, carregado de referências de outros filmes com a mesma ideia, ele acaba tornando-se complexo para alguns e totalmente magnífico para outros. Também é válido ressaltar que para uma boa interpretação de conclusão o cinéfilo deve ficar muito atento aos pequenos detalhes apresentados durante as cenas, o que torna o título um tanto confuso e para alguns totalmente sem sentido. Por tanto, assista o longa-metragem ciente de toda atenção necessária para um entretenimento mais agradável.

Transtorno psicológico e bullying são outros assuntos muito bem tratados em O Aviso, nele iremos companhar Jon (Raúl Arévalo) lidando com os problemas que afeta a sua mente, e, por outro lado, Lucía (Aura Garrido) enfrentando a onda de bullying e perseguição que seu filho de 10 anos, chamado Nico (Hugo Arbues) anda passando na escola que estuda. Nesse quesito os roteiristas trabalharam de forma muito bem estudada e delicada, pois o problema que eles passam conseguem emocionar os cinéfilos mais emotivos e abalar o coração daqueles de coração mais duro.

A atuação dos atores estão excelentes, eles conseguiram passaram toda a essência do filme para os expectadores, Raúl transmitiu de forma eficiente o personagem em dificuldade com o transtorno psicológico; Aura e Hugo fizeram um trabalho incrível como mãe e filho, os dois trazem uma sensibilidade maior para a história e exploram de forma natural o amor materno. Todo esse combo de trabalho dedicado e bem estudado acaba recompensando alguns problemas que o longa-metragem carrega.

O Aviso tem uma fotografia muito admirada de ser assistida, a produção teve um excelente cuidado ao hidratar a filmagem das cenas e isso deixa o filme ainda mais profissional. A trilha e os efeitos sonoros também estão ótimos, porém não traz nenhuma novidade no meio de filmes que carregam o mesmo gênero cinematográfico. Por tanto, a produção visual e sonora teve um cuidado bacana e juntou ótimos elementos para deixar o longa ainda mais profissional.

A indicação desse filme é feita por nós, porém é valido o expectador levar em conta todos os fatores nessa crítica ressaltadas. O Aviso não é um título para agradar todos, mas sim, abranger um público específico e apresentar para os novatos uma história um tanto diferente de suspense conhecidos devido às vendas de bilheteria. O longa-metragem está disponível no catálogo Netflix e você pode conferir agora mesmo.

Nossa nota é:

Assista ao trailer

Comentários