CRÍTICA – Fortuna Maldita
15 nov

CRÍTICA – Fortuna Maldita

Filmes, Notícias

Victor Tadeu

Título: Fortuna Maldita
Título original: Sebelum Iblis Menjemput
Data de lançamento: 15 de novembro de 2018
Duração: 1h 50min
Direção: Timo Tjahjanto
Gênero: Suspense/Terror/Drama
Nacionalidade: Indonésia

Sinopse: Na esperança de encontrar respostas para a misteriosa doença do pai, uma jovem visita a velha casa dele e descobre uma verdade terrível sobre o passado.

Na tentativa de obter riqueza de modo aparentemente fácil, Lesmana opta por realizar um pacto com uma entendida no porão de sua residência. Inicialmente tudo estava dando certo, repentinamente ele tornou um empresário, separou da primeira esposa e construiu uma outra família com uma ex-atriz, mas as coisas começaram a sair do controle. O homem envelhece, adoece e fica impossibilitado de pagar a dívida que deve a entendida.

Fortuna Maldita é um filme indonésio que está sendo distribuído pela Netflix, consequentemente carregando o selo Original Netflix. O terror explora o lado mais tenso de um pacto, principalmente quando a família é incluída nele. Na direção está Timo Tjahjanto (A Noite nos Persegue) desenvolvendo um longa capaz de dividir opiniões.

Em um mundo de dificuldades, onde quem tem dinheiro consegue ganhar mais oportunidades na vida, a ganância humana acaba sendo um dos pontos mais fortes para alcançar essa fortuna necessária para uma vida estável. Diante dessa obsessão o filme explora o desejo cruel das pessoas querendo ter uma fortuna de forma fácil e visivelmente confortável, porém ao mesmo tempo demonstra como isso pode acarretar rapidamente.

A protagonista Alfie (Chelsea Islan) é um dos pontos mais forte de Fortuna Maldita, ela é um dos elementos de toda a história com o engajamento de aprofundar no passado das duas famílias criadas por seu pai Lesmana. Sua mãe morreu e durante as cenas do filme vamos entendendo melhor a angustia da menina e agora ela segue uma vida solitária, por isso, consegue apresentar o passado mostrando como toda a situação atual é impacto dele.

Por ser um filme carregado de drama, o suspense e/ou o terror do longa-metragem acaba não obtendo tanto sucesso como provavelmente os produtores pretendiam. As cenas carregam momentos de tensão, muitas das vezes bizarras, com a presença de possessões, invocações e a utilização de boneco vodu. Apesar desses elementos ocultos serem bastante assustadores por si próprio, não houve momento de susto ou medo, apenas cenas de impacto, algumas das vezes fazendo jus ao suspense e drama da história.

Infelizmente a infidelidade é motivo para desenvolver diversos problemas em um relacionamento, por isso, a inimizade entre Alfie e seus meio-irmãos é bastante representado no filme, e devido essa situação que o expectador consegue interpretar todo o passado de ambas as famílias. Mesmo sendo uma estratégia bastante conhecida em filmes, Timo Tjahjanto sou trabalhar de forma considerável nessa exploração no passado de todos.

Em termo de produção, é relevante dizer que algumas cenas de possessão ou ataque poderiam ser melhores trabalhadas, mas, ao mesmo tempo, não deixaram de transmitir a essência do longa. A fotografia foi bem desenvolvida, principalmente quando o cenário é fora da casa que está acontecendo a perseguição da entidade, além disso, os efeitos sonoros utilizados não contém novidade.

Fortuna Maldita é um filme que carrega cenas bizarras, mas não com o alcance de ser assustados. Consequentemente o longa acaba sendo uma opção agradável para os expectadores mais sensíveis com a presença de possessões em filmes, já que o drama e o passado de todas as famílias é um dos assuntos mais explorados pelo diretor.

Nossa nota é:

Assista ao trailer

Comentários