CRÍTICA – Artista do Desastre
17 jan

CRÍTICA – Artista do Desastre

Filmes

Julia Giarola

Filme: Artista do Desastre
Título original: The Disaster Artist
Data de lançamento: 25 de janeiro de 2018
Duração: 1h 38min
Direção: James Franco
Gênero: Drama, Comédia , Biografia
Nacionalidade: EUA

Sinopse: Greg Sestero (Dave Franco), amigo de Tommy Wiseau (James Franco) e co-estrela do filme “The Room”, relembra curiosidades da produção, considerada até hoje um dos piores filmes já produzidos. Dirigido, escrito e estrelado por Tommy Wiseau em 2003, o longa, que possui uma história desconexa, diálogos absurdos e atuações destoantes, desperta ainda a atenção do publico no circuito midnight.

Melhor que o sucesso imediato, é uma base de fãs dedicados, tão dedicados que esperam mais de uma década para todos perceberem que eles tinham razão e que aquilo que eles tanto amam na verdade é simplesmente genial. Quinze anos após seu lançamento, The Room, um filme produzido, escrito, dirigido e estrelado por Tommy Wiseau continua ganhando momento, agora ultrapassando o status cult ao chegar no radar de Hollywood. Depois de ser considerado o”Cidadão Kane dos filmes ruins”, muitos ainda estão curiosos com a incrível repercussão do longa, este que ainda atrai pessoas do mundo inteiro para as sessões descontraídas. Baseado no livro homônimo, Artista do Desastre tenta explicar o charme por trás do pior filme de todos os tempos e o por quê de depois todos esses anos, o projeto de Tommy Wiseau ainda atiça tanto o público.

Originalmente exibido em um número limitado de cinemas na Califórnia, The Room acabou virando uma espécie de filme cult, frequentemente sendo considerado o pior filme de todos os tempos. Ignorando as falhas técnicas, história estranha e falas ridículas, o filme ainda é um mistério a ser estudado. Focando no incrível fenômeno que se tornou o trabalho de Tommy, James Franco segue fiel ao seu público com constantes referências ao longa, piadas internas e muito humor. Frequentemente questionando as escolhas bizarras de Wiseau em relação ao filme, Artista do Desastre é nada menos que uma linda homenagem e um interessante estudo sobre o que fez The Room um sucesso.

Contando a história sobre a amizade de Greg Sestero e Tommy Wiseau, o longa consegue dissecar a catástrofe artística de The Room, explorando as motivações por trás dos sonhos dos personagens. A boa construção do relacionamento entre os protagonistas se encaixa bem com o tema principal de Artista do Desastre, mostrando a importância de criar suas próprias oportunidades, mesmo que as coisas nem sempre funcionem como imaginamos. A perseverança de Wiseau é celebrada com carinho em um filme que atinge um incrível nível emocional ao final dessa história sobre sonhos e vocação.

Sendo liderada, tanto em frente quanto atrás da câmera por James Franco, essa comédia divertida atinge um novo patamar de meta-linguagem já que, assim como The Room é o show de WiseauArtista do Desastre é o show de Franco. Com uma atuação carismática e engraçada, o ator conseguiu captar a insanidade e o mistério que rodeiam a personalidade de Wiseau. Comandando um espetáculo de referências e participações especiais, Franco mostra a enorme influência de The Room na cultura pop, mesmo que o filme não exige nenhum conhecimento prévio para ser divertido e hilário. Porém, como deve ser, a experiência é ainda melhor para aqueles que conhecem o clássico cult.

Assim como é extremamente difícil fazer um filme onde tudo está perfeito, há uma enorme improbabilidade de existir um filme em seu total extremo, onde tudo está errado. The Room pode muito bem ser este feito: um filme tão ruim que é bom. Porém, por trás das bizarrices e os “Oh, hi Mark!“, o real sucesso do cult é explorado em Artista do Desastre que tenta realmente entender sua criação, originada totalmente em uma paixão compartilhada e uma bela amizade, onde reside um charme que todos nós podemos nos relacionar.

Nossa nota é:

Assista ao trailer:

Leia também

Comentários