CRÍTICA – A Sociedade Literária e a Torta de Casca de Batata
10 ago

CRÍTICA – A Sociedade Literária e a Torta de Casca de Batata

Filmes

Victor Tadeu

Título: A Sociedade Literária e a Torta de Casca de Batata
Título original: The Guernsey Literary and Potato Peel Pie Society
Data de lançamento: 10 de agosto de 2018
Duração: 2h 4min
Direção: Mike Newell
Gênero: Drama/Romance
Nacionalidade: EUA, Reino Unido

Sinopse: Juliet Ashton (Lily James) é uma escritora na Londres de 1946 que decide visitar Guernsey, uma das Ilhas do Canal invadidas pela Alemanha durante a Segunda Guerra Mundial, depois que ela recebe uma carta de um fazendeiro contando sobre como um clube do livro local foi fundado durante a guerra. Lá ela constrói profundos relacionamentos com os moradores da ilha e decide escrever um livro sobre as experiências deles na guerra.

Após muito tempo forçando um bom lançamento, a Netflix conseguiu selecionar um título capaz de agradar muitos assinantes devido ao todo preparo de produção. A Sociedade Literária e a Torta de Casca de Batata está sendo lançado no catálogo de streaming hoje (10/08/2018) no Brasil, já que o drama foi estreado durante o mês de maio em Portugal. Contando com a boa atuação de Lily James, Glen Powell e Jessica Brown Findlay no elenco, enquanto Mike Newell estava responsável pela direção, o longa pretende trazer diferença dentro do catálogo.

The Guernsey Literary and Potato Peel Pie Society, traduzido para o português como A Sociedade Literária e a Torta de Casca de Batata é um filme inspirado no livro de Annie Barrows e Mary Ann Shaffer publicado em 2009 pela Rocco no Brasil, na qual, carrega o mesmo título. Ele conta a história de Juliet Ashotn, uma escritora, indo até Guernsey para conhecer uma sociedade literária alemã formada durante a Segunda Guerra Mundial, onde a mesma passa por grandes aventuras.

O cenário pós-guerra muito bem produzido tratado do filme é um dos grandes elementos desse título, durante as cenas iremos acompanhar os protagonistas lidando com os recentes traumas causados pela guerra, principalmente a forma que os alemães foram tratados durante todo esses momentos de sufoco e pressão. A equipe de produção fez um excelente trabalho ao construir os a personalidade dos personagens, cada um deles carregam motivos para reprimir qualquer atitude do governo, muitas das vezes chegando ser era, caso não for.

A boa atuação dos atores foi de grande responsabilidade e importância para todo o desenvolvimento da história, já que expressão facial é um assunto muito bem trabalhado por eles. Os costumes durante a Segunda Guerra Mundial também foi um fator muito bem trabalhado por eles, todos os membros da Sociedade Literária e a Torta de Casca de Batata é bem expressado e trabalhado de forma aprofundada, assim, eliminando qualquer ponta solta possível ao longo da história.

A Sociedade Literária e a Torta de Casca de Batata é uma sociedade privada sobre literatura que os moradores de Guernsey criaram em uma situação totalmente cômica e arriscada, porém eles utilizaram o espaço para realmente falarem sobre literatura e acreditamos que esse ponto seja um dos mais relevantes e responsáveis da trama. Os membros da sociedade conseguem nos apresentar como a leitura de livros podem ser saudável para qualquer questão de nossas vidas, como a literatura tem a capacidade de mudar nossas vidas e quão ela é importante. Ou seja, além do título ser baseado em um livro, a produção teve a atenção de incentivar a literatura de modo eficiente.

O filme é um drama histórico, porém está longe de conter cenas entediantes e com compreensões complexas, muito pelo contrário, Mike Newell fez um trabalho excelente dirigindo toda a produção conseguindo desenvolver um longa-metragem muito instigante e rico em estudos. As cenas da adaptação cinematográfica contém um humor muito leve e totalmente respeitoso, muita das vezes desferido pelos membros da sociedade, só que, também é equilibrada em flahsbacks que nos apresenta como era a vida dos protagonistas e personagens secundários durante a Segunda Guerra Mundial, o que nos aprofunda ainda mais na história de cada personagem ali presente.

O roteiro do filme está muito aceitável, chegando até ser assustador diante de todos os recentes lançamentos da Netflix, os diálogos e monólogos foram bem desenvolvidos e contém uma gesticulação muito boa. A fotografia é bem agradável também, chegando ser muito encantador aos olhos em algumas cenas de paisagens. Músicas é um assunto muito ausente no longa-metragem, porém isso não é sinônimo de erro, já que, a ausência de trilha sonora não chega ser um incômodo, assim deixando o título bem equilibrado e sem nenhum mecanismo forçado.

A Sociedade Literária e a Torta de Casca de Batata é uma adaptação muito boa para aqueles que gostam de fazer a leitura de livros, mas, por outro lado, também acaba sendo uma excelente opção de filme para quem deseja conhecer pessoas tendo uma experiência com a literatura, assim, sendo fluente em sua vida. O filme teve uma boa produção, concluindo ser bastante agradável aos fãs do livro e das autoras. Você pode conferir o longa-metragem agora mesmo, já que o mesmo se encontra disponível no catálogo Netflix carregando o selo Original Netflix.

Nossa nota é:

Assista ao trailer

Comentários