CRÍTICA – Corra!
25 abr

CRÍTICA – Corra!

Filmes

Julia Giarola


Filme:
Corra!
Título original: Get Out
Data de lançamento: 18 de maio de 2017
Duração: 1h 44min
Direção: Jordan Peele
Gênero: Suspense, Terror
Nacionalidade: EUA

Sinopse: Chris é jovem negro que está prestes a conhecer a família de sua namorada caucasiana Rose. A princípio, ele acredita que o comportamento excessivamente amoroso por parte da família dela é uma tentativa de lidar com o relacionamento de Rose com um rapaz negro, mas, com o tempo, Chris percebe que a família esconde algo muito mais perturbador.

Corra! é um filme norte-americano escrito e dirigido pelo estreante Jordan Peele, e explora toda a noção do racismo disfarçado. A trama foca em Chris (Daniel Kaluuya), um jovem negro que está prestes a conhecer pela primeira vez os pais da namorada branca, Rose (Allison Williams). De primeira vista, os sogros aparentam serem simpáticos com apenas o pequeno desconforto da relação inter-racial, porém, ao longo do filme, a família parece esconder algo muito mais assustador.

Estreando durante um clima político quente nos EUA, a trama racial conquista novos patamares no país, principalmente após a administração de Obama, o primeiro presidente afro-americano dos Estado Unidos. A história estressa um assunto importante nos dias atuais quando parece que já rompemos todas as barreiras. Estas discussões, porém, estão longe de cessarem, pois ainda temos muito a conquistar, como podemos identificar na mensagem principal do filme. O racismo foi ponderado, mas ainda existe. Conseguimos ver isto nos diálogos do filme mostrando uma parte da sociedade que se orgulha na igualdade, mas não é capaz de promovê-la. E assim se descreve uma das importâncias do filme.

Apresentando a sinopse de uma comédia, podemos presenciar o que pode ser o ponto de virada para filmes de terror. Em 2016 já tivemos vários testemunhos deste fato com longas fantástico representantes do gênero tais quais A Bruxa, Corrente do Mal e Homem nas Trevas; porém nenhum consegue virar o jogo tanto quanto Corra!, que aparenta apresentar a nova era de filmes estilísticos que são capazes de explorar aspectos sociais e ainda se comprometer a arte.

O enredo do filme em si é envolvente, mas o que causa o verdadeiro desconforto de um clássico filme de suspense/terror é a direção de Jordan Peele, o comediante que não deixou de honrar suas raízes. Tanto os enquadramentos quanto as sequências são hipnotizantes, sendo em se uma homenagem ao próprio filme. Aspectos raciais são tocados com sutileza e classe, assim como o alívio cômico do personagem de Lil Rel Howery.

O elenco está impecável no filme. Daniel Kaluuya lidera a trama com a desconfiança necessária para nos manter fixados na história. Allison Williams assim como todos os outros atores coordenam a sensação do longa, que se tornou tão especial para esta era do cinema. A trilha sonora não deixa a desejar se encaixando perfeitamente ao clima do filme e também servindo como nostalgia para todos que amam esse gênero.

Assim como todo ótimo filme de terror, Corra! tem sim um final surpreendente.  Se não bastasse conquistar os entenderes e os amantes de cinema (uma combinação difícil de se conseguir simultaneamente), o longa também surpreende com seu final, se colocando entre os futuros clássicos!

Nossa nota é:

Assista ao trailer:

 

Leia também:

Comentários